Eleições federais na Austrália em 2019

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Gnome globe current event.svg
Este artigo ou seção é sobre um evento eleitoral atual. A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis. (editado pela última vez em 28 de julho de 2019) Ballot box current.svg
← 2016 • Flag of Australia.svg • 2022
Eleições federais australianas de 2019
151 assentos na Câmara dos Representantes da Austrália
(76 necessários para a maioria)
18 de maio de 2019
Tipo de eleição:  Parlamentar
Cargos a eleger:  Membros do Parlamento
Demografia eleitoral
Hab. inscritos:  16 424 248[1]
Votantes : 90.8%
Scott Morrison 2014 crop.jpg
Scott MorrisonCoalizão Liberal/Nacional - Cook
Lugares obtidos: 77[2] (Aumento1)  
  
41.5%
Bill Shorten-crop.jpg
Bill ShortenPartido Trabalhista - Maribyrnong
Lugares obtidos: 68[2] (Baixa 1)  
  
33.3%
Richard Di Natale infobox Crop.png
Richard Di NatalePartido Verde - Victoria
Lugares obtidos: 1 (Estável)  
  
10.4%
Bob Katter 2016.png
Bob KatterPartido Katter - Kennedy
Lugares obtidos: 1 (Estável)  
  
0.5%
Black flag waving.svg
Sem líderAliança Central
Lugares obtidos: 1 (Estável)  
  
0.3%
Resultado por região
Eleições federais na Austrália em 2019

Primeiro-ministro da Austrália
Parte da série sobre
Este artigo é parte da série:
Política da Austrália
Portal Portal da Austrália

As eleições federais na Austrália em 2019 foram realizadas em 18 de maio de 2019 para eleger os membros do 46º Parlamento da Austrália. A eleição foi convocada após a dissolução do 45º Parlamento como eleito nas eleições federais de dupla dissolução de 2016. Todos os 151 assentos na Câmara dos Representantes (câmara baixa) e 40 dos 76 assentos no Senado (câmara alta) estavam prontos para as eleições.

O governo minoritário da Coalizão, liderado pelo primeiro-ministro Scott Morrison, tentava ganhar um terceiro mandato de três anos contra a oposição trabalhista, liderada pelo líder da oposição Bill Shorten. Partidos minoritários e independentes também disputaram as eleições, dos quais os mais populares foram o Partido Verde, o Partido Uma Nação e o Partido da Austrália Unida, de acordo com pesquisas de opinião nacionais. O Partido Verde, a Aliança Central e o Partido Australiano de Katter defenderam com sucesso um lugar cada na Câmara dos Representantes.

A Austrália exige o voto compulsório e usa a votação instantânea de turnos de preferência total com voto distrital para a Câmara dos Deputados e preferencialmente o voto único transferível no Senado proporcionalmente representado.[3] A eleição foi administrada pela Comissão Eleitoral Australiana.

Às 0:00 h da manhã (horário local) de 19 de maio, Antony Green e a Australian Broadcasting Corporation calcularam que a Coalizão havia conquistado pelo menos 74 assentos, enquanto os trabalhistas haviam conquistado pelo menos 66, com cinco assentos ainda indecisos.[2] Green disse que, com base em seus cálculos, não havia um cenário politicamente realista para o Partido Trabalhista vencer, e a Coalizão havia, no mínimo, mantido um governo minoritário.[4]

O resultado foi considerado um transtorno, já que a Coalizão esteve consistentemente atrás nas pesquisas por quase três anos. No entanto, a Coalizão se beneficiou de uma exibição mais forte do que o esperado em Queensland. O Partido Nacional Liberal (PNL), que disputa eleições em Queensland para a Coalizão, organizou acordos preferenciais com dois partidos menores de direita, o Uma Nação e o Austrália Unida. O PNL foi projetado para ganhar até 25 dos 30 assentos do estado, devido em parte às preferências do Uma Nação e do Austrália Unida.[5]

Na noite da eleição, Morrison, conservador, foi declarado vencedor e disse que sempre acreditou em milagres. Shorten reconheceu a derrota e declarou sua intenção de se afastar como líder de seu partido, mas que quer permanecer no parlamento.[6] Sua vitória gerou surpresa, pois contrariou as pesquisas de opinião.[7]

Referências

  1. «The best electoral roll in history». Australian Electoral Comission. Consultado em 18 de maio de 2019 
  2. a b c «Federal Election 2019 Results». Australian Broadcasting Corporation. Consultado em 18 de maio de 2019 
  3. «Australian electoral systems». Parliament of Australia. Consultado em 18 de maio de 2019 
  4. «Election results 2019: Coalition ahead on seats as predicted big swing to Labor falls short». ABC News. Consultado em 19 de maio de 2019 
  5. «Election 2019: Why Queensland turned its back on Labor and helped Scott Morrison to victory». ABC News. Consultado em 19 de maio de 2019 
  6. «2019 Australia election: Morrison celebrates 'miracle' win». BBC. Consultado em 18 de maio de 2019 
  7. «Vitória conservadora surpreende em eleições da Austrália». Agência Brasil. 18 de maio de 2019. Consultado em 21 de maio de 2019 
Precedido por
2016
Eleições na Austrália
2019
Sucedido por
2022
Ícone de esboço Este artigo sobre eleições ou plebiscitos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.