Ermida de Nossa Senhora da Boa Nova

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Fachada da antiga Ermida, agora Sala de Leitura da Biblioteca Municipal.
Antigo Solar de João Falcão de Sousa, atual Biblioteca Municipal.
Ermida de Nossa Senhora da Boa Nova: aspecto anterior à requalificação.

A Ermida de Nossa Senhora da Boa Nova localizava-se na rua da Boa Nova, freguesia da Vila do Porto, concelho da Vila do Porto, na Ilha de Santa Maria, nos Açores.

História[editar | editar código-fonte]

A capela integra o conjunto do solar de João Falcão de Sousa, capitão do donatário de Santa Maria a partir de 5 de setembro de 1654 e superintendente das fortificações da ilha.

FRUTUOSO acerca deste personagem refere:

"João Falcão de Sousa foi voluntariamente ao cerco do castelo da ilha Terceira na época da Restauração e edificou, juntamente com sua mãe, a ermida de Nossa Senhora da Boa Nova, em Vila do Porto, junto das casas da sua residência, dando-lhe património por escritura pública de 6 de abril de 1657."[1]

Encontra-se referida por MONTE ALVERNE (1986) ao final do século XVII.[2]

Ao final do século XX encontrava-se em ruínas, tendo o conjunto sido protegido pelo Decreto Legislativo Regional nº 22/92/A, de 21 de outubro de 1992.

Desde 2010 o conjunto sofreu extensa intervenção de consolidação, sendo requalificado como Biblioteca e Arquivo Público Municipal. A obra, avaliada em 2,5 milhões de euros, foi inaugurada em 23 de abril de 2011.[3]

Características[editar | editar código-fonte]

A capela ergue-se entre os dois corpos do solar, em alvenaria de pedra rebocada e caiada, com dois pavimentos cada um. No que resta do conjunto, identifica-se a data de 1637 inscrita num lintel de uma porta no pavimento térreo. A capela apresentava um frontal de altar em azulejo de tapete, com as cores azul, amarelo e branco, e um retábulo de madeira com motivos em estilo maneirista (rombos e "rolwerk") encimado por uma placa de madeira semicircular com enrolamentos em estilo barroco em relevo, hoje desaparecidos.

Na fachada da capela, sobre o portal rasga-se uma janela de sacada no pavimento superior, correspondente ao coro, com uma grande consola de pedra.

As coberturas eram em telha de meia-cana tradicional, rematadas em beiral duplo sobre cornija.

Referências

  1. FRUTUOSO, Gaspar. Saudades da Terra, Anotações ao Livro III das Saudades da Terra, p. 98.
  2. Op. cit., cap. I.
  3. "Biblioteca e Arquivo Público Municipal de Vila do Porto abre ao público". O Baluarte de Santa Maria, ano XXXVIII, 2ª série, nº 407, 19 mai 2011. p. 3.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • CARVALHO, Manuel Chaves. Igrejas e Ermidas de Santa Maria, em Verso. Vila do Porto (Açores): Câmara Municipal de Vila do Porto, 2001. 84p. fotos.
  • FIGUEIREDO, Nélia Maria Coutinho. As Ilhas do Infante: a Ilha de Santa Maria. Angra do Heroísmo (Açores): Secretaria Regional da Educação e Cultura/Direcção Regional da Educação, 1996. 60p. fotos. ISBN 972-836-00-0
  • MONTE ALVERNE, Agostinho de (OFM). Crónicas da Província de S. João Evangelista das Ilhas dos Açores (2ª ed.). Ponta Delgada (Açores): Instituto Cultural de Ponta Delgada, 1986.
  • MONTEREY, Guido de. Santa Maria e São Miguel (Açores): as duas ilhas do oriente. Porto: Ed. do Autor, 1981. 352p. fotos.
  • Plano de Salvaguarda da Vila do Porto, Santa Maria, 1ª fase, Análise, Paulo Gouveia, SREC/DRAC, 1992.
  • Ficha A-22 do "Inventário do Património Histórico e Religioso para o Plano Director Municipal de Vila do Porto".
  • Fichas 138 e 139/Santa Maria do "Levantamento do Património Arquitectónico da Vila do Porto", SREC/DRAC.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]