Exonúcleo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Exonúcleo é um sistema operacional kernel desenvolvido pelo grupo MIT Sistemas Operacionais Paralelos e Distribuídos,[1] e também uma classe de sistemas operacionais semelhantes.

Os sistemas operacionais geralmente apresentam recursos de hardware para aplicativos por meio de abstrações de alto nível [abstração (ciência da computação)], como sistemas de arquivos (virtuais). A idéia por trás dos exokernels é forçar o mínimo possível de abstrações nos desenvolvedores de aplicativos, permitindo que eles tomem o maior número possível de decisões sobre abstrações de hardware.[2]

A proposta de exonúcleo tende a ser de propósito específico e ainda pouco explorada no contexto de sistemas operacionais de propósito geral (Linux, *BSD, MS Windows etc.). Novas pesquisas poderão mostrar os potenciais benefícios na utilização dos sistemas operacionais que tendem a ser específicos para uma aplicação. Esta é uma tendência, pois percebemos o aumento da quantidade de dispositivos diferentes e o respectivo uso específico (como é o caso de Internet das Coisas - IoT). Essas afirmações tornam-se evidentes ao observar o esforço do setor de telecomunicações na padronização e suporte a IoT como uma das principais aplicações do 5G.[3]

Referências

  1. «MIT Exokernel Operating System». pdos.csail.mit.edu. Consultado em 25 de janeiro de 2018 
  2. Engler, D. R.; Kaashoek, M. F.; O'Toole Jr., J.; Engler, D. R.; Kaashoek, M. F.; O'Toole Jr., J. (3 de dezembro de 1995). «Exokernel: an operating system architecture for application-level resource management, Exokernel: an operating system architecture for application-level resource management». ACM SIGOPS Operating Systems Review. 29 (5): 251, 251–266, 266. ISSN 0163-5980. doi:10.1145/224056.224076 [ligação inativa]
  3. «IMT for 2020 and beyond». itu.int. Consultado em 10 de abril de 2020 
Ícone de esboço Este artigo sobre Informática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.