Fórum Social Mundial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outro significado de Fórum, veja Fórum (desambiguação).

O Fórum Social Mundial (FSM) é um evento organizado por movimentos sociais de muitos continentes, com objetivo de elaborar alternativas para uma transformação social global. Seu slogan é Um outro mundo é possível.

O número de participantes tem crescido nas sucessivas edições do Fórum: de 10 000 a 15 000 no primeiro fórum, em 2001, a cerca de 120 000 em 2009, com predominância de europeus, norte-americanos e latino-americanos, exceto em 2004, quando o evento foi realizado na Índia. Contudo, podemos dizer que ele foi importante para o Brasil e o Mundo.

Diretrizes[editar | editar código-fonte]

Na origem, foi proposto como um contraponto ao Fórum Econômico Mundial de Davos, na Suíça, que se realiza anualmente, em janeiro. Atualmente as datas de ambos os eventos não são coincidentes.

O Fórum se realizou várias vezes (em 2001, 2002, 2003 e 2005), no Brasil, na cidade de Porto Alegre, capital do Estado do Rio Grande do Sul; em 2004, na Índia; de forma descentralizada em 2006, e em Nairobi, Quênia, em 2007. A nona edição do Fórum novamente teve lugar no Brasil, em Belém, capital do Estado do Pará.

Das propostas dos movimentos que compõem majoritariamente o fórum, resultou, durante o evento de 2005 em Porto Alegre, o Consenso de Porto Alegre.

O empresário israelense naturalizado brasileiro, Oded Grajew, é geralmente considerado como o principal idealizador do FSM.[1][2]

Os fóruns[editar | editar código-fonte]

Os fóruns são realizados anualmente. Os Dois primeiros foram em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul. A partir de então decidiu-se que seria itinerante(Itinerante é um termo com origem no latim cujo significado está relacionado com o ato de se deslocar constantemente, de percorrer itinerários) devendo ser sediado em várias cidades diferentes a cada ano. Em 2006 foi policêntrico (Caracas, Karacki e Bamako) e em 2008 foi descentralizado. Em 2007 foi na África, durante os dias 20 e 25 de janeiro em Nairóbi (Quênia) e em 2009, aconteceu em Belém do Pará.

FSM 2001[editar | editar código-fonte]

O primeiro Fórum Social Mundial foi realizado em janeiro de 2001 na cidade de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. A programação foi composta por 420 oficinas autogestionadas organizadas pelas entidades participantes, além de seminários, 16 conferências, 22 testemunhos e diversas outras atividades culturais.

FSM 2002[editar | editar código-fonte]

O segundo Fórum também foi em Porto Alegre em janeiro e contou com cinquenta mil participantes; 12.274 delegados de 123 países e 3.356 jornalistas credenciados. Foram 622 atividades autogestionadas, 27 conferências e 96 seminários e diversas outras atividades culturais.

FSM 2003[editar | editar código-fonte]

O terceiro Fórum também foi em Porto Alegre em janeiro e contou com cem mil participantes; 20 mil delegados de 123 países e 4.000 jornalistas credenciados. Foram 1.300 atividades autogestionadas (oficinas e seminários), 10 conferências, 22 testemunhos, 4 mesas de diálogo e controvérsia, 36 painéis e diversas outras atividades culturais.

A Ciranda Internacional da Informação Independente experimentou, em sua terceira edição, a organização prévia da cobertura conjunta por coletivos e veículos de comunicação alternativos brasileiros, com encontros preparatórios, um seminário e a montagem da redação jornalística que fez a acolhida das midias alternativas internacionais em Porto Alegre.

FSM 2004[editar | editar código-fonte]

O quarto fórum aconteceu em Mumbai, Índia, em janeiro. Contou com 111 mil participantes; 74.126 inscritos, representando 1.653 organizações de 117 países; 3.200 jornalistas e 1.203 atividades autogestionadas (seminários, oficinas e reuniões).

Pela primeira vez, a Ciranda Internacional da Informação Independente foi organizada em outro continente e fortemente influenciada pela gestão indiana da comunicação do FSM e sua opção pelo desenvolvimento de sistemas próprios em software livre. Com o IV FSM começavam os laboratórios para definição de uma ferramenta aberta para o sistema de alimentação de conteúdos da Ciranda.

FSM 2005[editar | editar código-fonte]

Em 2005 o Fórum voltou para Porto Alegre, em janeiro. Contou com 155 mil participantes representando 135 países e 6.588 organizações; 6.823 jornalistas; 2.900 voluntários 2.580 trabalhadores da Economia Popular e Solidária. Foram 2.500 atividades autogestionadas entre as quais: 130 shows; 115 filmes e vídeos e 96 exposições de artes. 12345

Na marcha de abertura, participaram mais de 200 mil pessoas.

Após meses de construção conjunta, as midias alternativas ampliam os recursos para suas ações compartilhadas. No V FSM, a Ciranda Internacional da Informação Independente se interconecta com Fórum de Rádios, Fórum de TVs e Laboratório dos Conhecimentos Livres (cultura digital). Seu novo sistema de alimentação é inteiramente desenvolvido na linguagem Wiki.

Nesta edição, a direção do FSM decide por não mais realizar o evento em Porto Alegre, pois após algumas reuniões entre os membros do Conselho Internacional percebeu-se a necessidade de fazer circular a proposta do Fórum por outros países do terceiro mundo, que, a partir da dinâmica do FSM, poderiam adotarFSM 2006 policêntrico

Programado para realizar-se quase simultaneamente em três continentes, África, Ásia e América Latina, teve um de seus eventos, o de Karachi, adiado por causa do terremoto no Paquistão em 2005. Os outros dois se realizam de 19 a 23 de janeiro de 2006, na cidade de Bamako, em Mali e de 24 a 29 de janeiro de 2006, na cidade de Caracas, na Venezuela.

FSM 2007[editar | editar código-fonte]

Nairóbi, Quênia. Na sétima edição do Fórum Social Mundial (FSM), os movimentos de sociedade civil africana foram os grandes protagonistas.

Favela Kibera, a maior de Nairóbi, capital do Quênia. No local, em que foi filmado O jardineiro fiel, local da marcha de abertura do 7°Fórum Social Mundial. Foto: Valter Campanato/ABr

FSM 2009[editar | editar código-fonte]

Participantes do Fórum Social Mundial montam suas barracas no Acampamento da Juventude, em Belém, 2009.

C, a nona edição do FSM aconteceu na Amazônia, em Belém, capital do estado do Pará, entre 27 de janeiro e 1° de fevereiro de 2009, reunindo cerca de 120 mil pessoas de 150 países.[3][4]

Considerado o criador do Fórum Social Mundial, o engenheiro Oded Grajew, do Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social,

FSM 2010[editar | editar código-fonte]

Monumento marcando a passagem do Fórum Social Mundial 10 anos por Sapiranga - Grande Porto Alegre. Na foto representantes Brasileiros, da Argentina e de Angola

No seu décimo ano, o Forum Social Mundial descentraliza-se em pelo menos 27 eventos espalhados pelo mundo e no Brasil.

FSM 2011[editar | editar código-fonte]

Em fevereiro de 2011, o Fórum Social Mundial aconteceu em Dakar, com 75 mil participantes.

FSM 2012[editar | editar código-fonte]

O Fórum de 2012 foi realizado no Brasil, na cidade de Porto Alegre, de 24 a 30 de janeiro, e teve como tema central Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental.

FSM 2013[editar | editar código-fonte]

O FSM de 2013 ocorreu na última semana de março de 2013, na Tunísia.[5][6]

FSM 2014[editar | editar código-fonte]

Entre 21 e 26 de janeiro de 2014, ocorreu em Porto Alegre um Fórum Social Temático, que teve como tema: "Crise Capitalista, Democracia, Justiça Social e Ambiental". Reuniu mais de 5 mil militantes sociais, com 17 atividades de convergência reunindo cerca de 300 convidados internacionais e nacionais de 40 países.[7][8]

FSM 2015[editar | editar código-fonte]

O FSM 2015 foi realizado em Túnis (Tunísia), entre os dias 24 e 28 de março de 2015. Reuniu cerca de 45.000 ativistas de 4.400 organizações e movimentos de mais de 120 países. A delegação brasileira contou com mais de 200 pessoas, representando cerca de 100 organizações.[9]

FSM 2016[editar | editar código-fonte]

Entre os dias 19 e 23 de janeiro de 2016, ocorreu, em Porto Alegre, o "Fórum Social das Resistências — Democracia e Direitos dos Povos e do Planeta".[10]

FSM 2017[editar | editar código-fonte]

Entre os dias 17 e 21 de janeiro de 2017, ocorreu um evento preparatório em Porto Alegre, com o tema "Paz, Democracia, Direito dos Povos e do Planeta", que reuniu mais de 10 mil pessoas.[11] O evento principal ocorreu entre os dias 9 a 14 de Agosto de 2016, em Montreal (Canadá).[12]

FSM 2018[editar | editar código-fonte]

A décima sexta edição do Fórum Social Mundial aconteceu em Salvador, Bahia, Brasil, de 13 a 17 de março de 2018[13], com representantes de 120 países.[14]


Referências

  1. O pai do FSM. Oded Grajew relembra corno foram os primeiros passos para a criação do Fórum Social Mundial. Por Glauco Faria. Fórum, 22 de outubro de 2011.
  2. Another World is Possible. Oded Grajew, Founder, WSF - World Social Forum. Stanford Graduate School of Business,16 de setembro de 2007.
  3. Agência Brasil Caminhada abre Fórum Social Mundial em Belém, por Luana Lourenço
  4. Agência Brasil Cobertura do Fórum Social Mundial 2009.
  5. Um relato sobre o Fórum Social Mundial 2013 na Tunísia, acesso em 14 de janeiro de 2018.
  6. Dossier 204: Fórum Social Mundial 2013 na Tunísia, acesso em 14 de janeiro de 2018.
  7. FÓRUM SOCIAL TEMÁTICO 2014: Um primeiro balanço, acesso em 15 de janeiro de 2018.
  8. FSM 2014: A democracia é fundamental para a classe trabalhadora, acesso em 15 de janeiro de 2018.
  9. Publicação do Fórum Social Mundial 2015, acesso em 15 de janeiro de 2018.
  10. Resistência dos povos é tema do Fórum Social em Porto Alegre que começa nesta semana, acesso em 15 de janeiro de 2018.
  11. FÓRUM SOCIAL MUNDIAL 15 ANOS, acesso em 15 de janeiro de 2018.
  12. Carta aberta desde o Fórum Social Mundial 2016 Montreal (Canadá), acesso em 15 de janeiro de 2018.
  13. «Open Letter convenes World Social Forum 2018 in Salvador». World Social Forum. World Social Forum. 18 de agosto de 2017. Consultado em 9 de janeiro de 2018. 
  14. «Livro que denuncia o golpe é lançado hoje, 15 h, no Fórum Social Mundial - O Cafezinho». O Cafezinho. 14 de março de 2018 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]