Saltar para o conteúdo

Sapiranga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
 Nota: Este artigo é sobre um município brasileiro. Para o atleta, veja Sapiranga (futebolista). Para o parque, veja Reserva Sapiranga.
Sapiranga
  Município do Brasil  
Centro de Sapiranga com a torre da Igreja Evangélica ao fundo
Centro de Sapiranga com a torre da Igreja Evangélica ao fundo
Centro de Sapiranga com a torre da Igreja Evangélica ao fundo
Símbolos
Bandeira de Sapiranga
Bandeira
Brasão de armas de Sapiranga
Brasão de armas
Hino
Lema Cidade das Rosas
Gentílico sapiranguense
Localização
Localização de Sapiranga no Rio Grande do Sul
Localização de Sapiranga no Rio Grande do Sul
Localização de Sapiranga no Rio Grande do Sul
Sapiranga está localizado em: Brasil
Sapiranga
Localização de Sapiranga no Brasil
Mapa
Mapa de Sapiranga
Coordenadas 29° 38' 16" S 51° 0' 25" O
País Brasil
Unidade federativa Rio Grande do Sul
Região metropolitana Porto Alegre
Municípios limítrofes Novo Hamburgo, Campo Bom, Araricá, Dois Irmãos, Nova Hartz, Santa Maria do Herval e Morro Reuter
Distância até a capital 60 km
História
Fundação 28 de fevereiro de 1955 (69 anos)
Administração
Prefeito(a) Carina Nath (PP, 2021 – 2024)
Características geográficas
Área total [1] 136,473 km²
População total (2021) [2] 80 514 hab.
 • Posição RS: 25º BR: 413º
Densidade 590 hab./km²
Clima Subtropical
Altitude 36 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 93800-001 até 93824-999
Indicadores
IDH (2010) [3] 0,711 alto
 • Posição RS: 271º BR: 1574º
PIB (2020) [4] R$ 3 183 264,37 mil
 • Posição RS: 26º BR: 344º
PIB per capita (2020) R$ 39 772,41
Sítio http://sapiranga.rs.gov.br (Prefeitura)
http://camarasapiranga.com.br (Câmara)

Sapiranga é um município brasileiro do estado do Rio Grande do Sul. Está localizado na Região Metropolitana de Porto Alegre e conta com 85.973 habitantes, em uma área de 138,314 quilômetros quadrados. A atual prefeita é Carina Nath, que sucedeu Corinha Molling, sendo ambas do PP - o que marca uma hegemonia de dez anos do partido na administração de Sapiranga [5]

Etimologia[editar | editar código-fonte]

A partir de 1890, Sapiranga deixa de ser parte do 4.º Distrito de São Leopoldo para ser vila e sede do 5.º distrito, pelo Ato Intendencial n.º 154. Em 1899, iniciou-se a construção da Ferrovia Novo Hamburgo-Taquara, inaugurada em 1903, ampliando o transporte que até então era feito por lanchões, barcos, cavalos, mulas e carretas.

Com a ferrovia, Sapiranga recebeu um novo impulso e, ao longo da estrada de ferro, se formaram os povoados, como Araricá e Campo Vicente.

Nesta época também surgiria o nome que daria origem à atual denominação do município. Havia abundância na região de uma fruta chamada araçá-pyranga (termo indígena para a fruta), denominação que originaria o nome do município de Sapiranga (Sapyranga, no início), em uma corruptela dos moradores que acabariam pronunciando o nome da fruta como "a-ça-piranga". Esta fruta ainda existe em quantidade significativa nos capões do Kraemer-Eck. A denominação de Sapyranga, inclusive, segundo historiadores, teria surgido pela primeira vez nessa região.

No entanto, ainda existe a versão defendida pelo livreiro Arti Hugentobler[6] segundo a qual a origem do nome da cidade decorre de palavra idêntica no tupi-guarani.[7] O significado, então, seria "Inflamação das pálpebras, produzida pela presença de um parasito que faz cair as pestanas."[8]

História[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Caminhos de Jacobina[9][editar | editar código-fonte]

O roteiro Caminhos de Jacobina foi criado com a intenção de ajudar as pessoas a conhecer mais sobre o episódio dos Muckers. Episódio esse que inspirou o romance Videiras de Cristal do autor Luis Antônio de Assis Brasil e que, posteriormente, se transformou no filme A Paixão de Jacobina de Luiz Carlos Barreto. O roteiro tem os seguintes pontos:

  • Cemitério no bairro Amaral Ribeiro - Mantém os túmulos de quatro moradores de Sapiranga, mortos no conflito com os Mucker (anti-Mucker), na década de 1870. Os Mucker foram enterrados em valas e cobertos com espessa camada de sal para que seus corpos se decompusessem o mais rapidamente possível. Portanto não existe Mucker enterrado nos cemitérios de Sapiranga, pois não eram considerados santos e merecedores de tal honraria. A arte funerária e as inscrições nas lápides do século XIX mostram traços culturais e religiosos da comunidade.
  • Estátua do Cel. Genuíno Sampaio - Estátua erguida por colonos próximo à residência de Jacobina, no ano de 1931 por iniciativa de um morador local, Reinaldo Scherer.[10] Em 1874, nesse local, travaram-se duas batalhas entre os soldados do Coronel Genuíno Sampaio e o grupo de Jacobina.
  • Cruz de Jacobina - Neste local, Jacobina e alguns do seu grupo se abrigaram para fugir do confronto com seus perseguidores. A cruz foi colocada no início do século XX, aproximadamente em 1910, depois da visita de um dos remanescentes do confronto. Acredita-se que neste local Jacobina tenha sido assassinada.
  • Locação "A Paixão de Jacobina" - A propriedade serviu como locação para o filme "A Paixão de Jacobina". Possui uma casa em estilo enxaimel, com mais de cem anos e reproduções dos personagens do filme, uma cozinha em estilo enxaimel, um galpão onde foi filmada a cena final e a trilha da Três Quedas com acesso a cascatas onde se pode tomar banho.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Sul é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.