Federação Internacional de Futebol de Salão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de FIFUSA)
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde agosto de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Federação Internacional de Futebol de Salão
Fundação 25 de julho de 1971 (46 anos)
Paralisação 31 de dezembro de 2004 (12 anos)
Tipo Desportiva

A Federação Internacional de Futebol de Salão, ou FIFUSA, foi a primeira federação internacional a gerenciar o Futebol de salão no mundo. Desde 2002, com a fundação da Associação Mundial de Futsal - AMF a modalidade passou a ser organizada pela nova entidade. Paralisou suas atividades em 2004, onde sua sede se encontrava na Espanha, precisamente em Madrid.[nota 1]

Sua documentação está registrada no Registro Civil das Pessoas Jurídicas do Rio de Janeiro sob nº matricula 76485 em 24/11/1983 contendo a Ata de Fundação e o Estatuto Social.

História[editar | editar código-fonte]

Criação[editar | editar código-fonte]

A FIFUSA foi fundada em 25 de julho de 1971, no Brasil, na cidade de São Paulo, em uma iniciativa da Confederação Sul-americana de Futebol de Salão (criada dois anos antes) e da Confederação Brasileira de Desportes. A entidade foi fundada inicialmente com as filiações de Argentina, Brasil, Bolívia, Paraguai, Peru, Portugal e Uruguai.[1]

O brasileiro João Havelange, que não estava presente no Congresso foi eleito o primeiro presidente do conselho-executivo da FIFUSA.[1] Mas na pratica foi dirigida pelo brasileiro Luiz Gonzaga de Oliveira Fernandes (secretário-geral), pois Havelange - além de estar no comando da antiga CBD - empenhava-se em conquistar a presidência da Federação Internacional de Futebol.

O Congresso teve como secretário o senhor Vinicio Fanucchi e a presença das seguintes entidades representadas: Dr. Luiz Maria Zubizarretta (Primeiro Vice-Presidente da Confederação Sul Americana de Futebol de Salão); Felipe Ramon Figuerôa e Ruben Eguia (Presidente e Delegado da Federação Uruguaia de Futebol de Salão); Dr. Rafael Romero Maciel e Kurt Singer (Delegados credenciados pela Federação Paraguaia de Futebol de Salão); Luiz Felício dos Santos ( Delegado credenciado pela Confederação Brasileira de Desportos); Juan Oswaldo Gonzalez Geminaze e Florêncio Godoi (Delegados Credenciados pela Associação Correntina de Futebol de Salão e representantes do Bienestar Social da Argentina); Dr. Roberto Ludero Aguilera e Ismael Serrate (Delegados Credenciados da Associação Crucenha de Futebol de Salão, da Bolívia); Sr. Mario Parejas Lecaros e Sr. Luiz Cabrejos Lopes (o primeiro Consul Geral do Peru, em São Paulo, representando o Ministério dos Esportes Peruano); Antonio Soares Calçada (representante da Federação Portuguesa de Futebol); Dr. Mario Carlos Beni (representante do Dr. Laudo Natel - governador do Estado de São Paulo); Sr. Fabio Lazzari (representante do Dr. José Carlos Figueiredo Ferraz - Prefeito Municipal de São Paulo; Professor José Paiano - representante do Dr. Paulo Machado de Carvalho (Secretário de Esportes do Município de São Paulo); Sr. Walter José dos Santos (representante do Comitê Internacional de Imprensa Olímpica); Dr. Waled Perri (Assessor Juridico do Conselho Nacional de Desportos); Sr. Sérgio Guedes Giskow (Presidente da Federação Gaucha de Futebol de Salão); Professor Manoel Virgílio Pimentel Côrtes (Presidente da Federação Carioca de Futebol de Salão); Chalon Pantil Moritz (Presidente da Federação Mineira de Futebol de Salão); José Wilson Chagas Cavalcanti (VIce-Presidente da Federação Cearense de Futebol de Salão); Rafael Garcia (representante do Clube Esportivo da Penha); Hilário Moreira Cruz (representante do Círculo Militar de São Paulo); Capitão José Haroldo Castelo Branco (Chefe da Delegação Brasileira no segundo campeonato Sul Americano de Futebol de Salão) e Hélio Babo (Diretor de Desportos Terrestres da Confederação Brasileira de Desportos e Luiz Gonzaga de Olveira Fernandes (Presidente da Federação Paulista de Futebol de Salão e Presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol de Salão).

Por indicação do representante da Confederação Brasileira de Desporto, Senhor Luiz Felício dos Santos, tecendo considerações elogiosas aos presentes no ato da fundação, solicitou aprovação aos nomes do Conselho Executivo: Presidente Sr. João Havelange (Brasil), Secretario Geral Sr. Luiz Gonzaga de Oliveira Fernandes (Brasil), Tesoureiro Sr. Raphael Romeiro Maciel (Paraguai), Vice Presidente Sul Americano Sr. Juan Francisco Carro Franco (Uruguai), para Conselho Fiscal: Sr. Antonio Fernando D'Aguiar (Brasil), Professor Florêncio Godoy Cruz (Argentina) e Dr. Roberto Lydero Aguilera (Bolívia) e para Conselho Técnico de Arbitragem: Antonio Gomes da Cunha (Brasil), Ramon Gimenez (Paraguai), Felipe Ramon Figueiroa (Uruguai), Eduardo Roque Rial (Argentina), Luiz Cabrejos Lopes (Peru) que foi aprovado por unanimidade, tornando-se o primeiro quadro diretivo da FIFUSA.

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

Em 1980, Januário D'Aléssio Neto tornou-se o novo presidente da FIFUSA. Dirigente da Sociedade Esportiva Palmeiras, D'Aléssio Neto abriu caminho para que a modalidade ganhasse expressão internacional década de 1980, com a criação de competições importantes como o Campeonato Pan-Americano de 1980 e o Campeonato Mundial de 1982.[1]

O primeiro Pan-Americano de futebol de salão foi disputado no México. Participaram as equipes do Argentina, Brasil, Bolívia, Estados Unidos, México, Paraguai e Uruguai. O torneio foi vencido pela seleção brasileira.

Dois anos depois, a FIFUSA organizou o seu primeiro Campeonato Mundial. Com a participação de 10 países (Brasil, Uruguai, Tchecoslováquia, Argentina, Costa Rica, Paraguai, Colômbia, Itália, Países Baixos, Japão), a competição foi realizada no Ginásio do Ibirapuera, em São Paulo e teve como campeã a seleção brasileira.

Pressão da FIFA[editar | editar código-fonte]

O sucesso do primeiro Mundial da FIFUSA despertou a atenção da FIFA, que passou a brigar pelo controle do futebol de salão.[1] Além de ameaçar criar seu próprio mundial, com suas regras (praticadas principalmente na Europa), a FIFA criou dificuldades para as competições patrocinadas pela FIFUSA e proibiu a utilização da palavra futebol por outras entidades.[1]

Resistindo as investidas da FIFA, a FIFUSA alterou o nome da modalidade para fut-sal às vésperas do Mundial da Espanha, em 1985.[2] Com muitas dificuldades, a FIFUSA organizou o Mundial da Austrália, em 1988.

Em 1989, após três reuniões realizadas entre FIFUSA e FIFA: 19 de janeiro, 14 de março e 05 de setembro, onde o teor era a tentativa de integração entre as duas organizações desportivas, onde praticamente estava aprovado os acordos realizados nas três reuniões; o Congresso Extraordinário FIFUSA realizado em 23 de setembro de 1989 em Madrid, na Espanha, suas afiliadas com maioria esmagadora, rejeitou o acordo de integração com a FIFA.[3]

Congresso de 1992[editar | editar código-fonte]

Nos dias 21 e 23 de fevereiro, na Cidade do México, os principais dirigentes da FIFUSA se reuniram para atualização do Estatuto e composição de nova Diretoria, ratificando o espanhol Sr. Antonio Alberca Garcia como Presidente da entidade. O evento foi realizado no salão do auditório do Centro Interamericano de Segurança Social, na cidade do México-DF, com a participação de autoridades e personalidades convidadas: Eng Jorge Gilling Cabrera (Secretário Geral da Confederação Desportiva Mexicana - CODEME) em representação do Sr. Raul Gonzalez Rodrigues, Presidente da Comissão Nacional do Desportes Mexicano (CONADE). Lic. Sr, Javier Ostos Mora (Vice Presidente do Comitê Olímpico Mexicano em representação do Licenciado Sr. Mario Vasquez Raña (Presidente do Comitê Olímpico Mexicano). Lic. Sr. IVar Sisniega Campbell (Diretor de Esportes e Cultura Fisica do Instituto Mexicano do Seguro Social IMSS), Lic. Sr. Mario Vasquez Raña Presidente da ODEPA e do COM, Ilmo Sr. Fernando Galmarini (Secretario de Esportes da Nação Argentina).

A nova Diretoria Executiva da FIFUSA eleita teve os seguintes membros:

Presidente: Antonio Alberca Garcia (Espanha)
Vice-Presidente I: Rolando Alarcon Rios (Paraguai)
Vice-Presidente: Joseph Charles Brendt (Austrália)
Vice-Presidente: João Cid Castelo Branco (Portugal)
Vice-Presidente: Getúlio Barbosa Horta (Brasil)
Vice-Presidente: Lorenzo Garcia (México)

Membros:
Roberto Salinas (Venezuela)
Yadin Machness (Israel)
Oswaldo S. Garcia (Argentina)
Jean Jacques Robert (França)
Tesoureiro: Carmelo Paz Duran (Bolívia)
Secretáro Geral: Teodosio Carbonell (Espanha)

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Ano Presidente
1971 – 1975 Brasil João Havelange
1975 – 1980 Brasil Waldir Nogueira Cardoso
1980 – 1989 Brasil Januário D’Aléssio
1989 – 2004 Espanha Antonio Alberca García

Continuação do legado[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 1989, a FIFA promoveu sua primeira Copa do Mundo de Futsal. Ainda filiada a FIFUSA, a CBFS autorizou que o time do Bradesco representasse o Brasil.

Em 1990, a CBFS desvinculou-se oficialmente da FIFUSA e se filiou a FIFA, sendo seguida por diversas federações nacionais. Com o enfraquecimento da FIFUSA, seus dirigentes divergiram quanto ao seu futuro da entidade.[1]

Dissidentes da FIFUSA resolveram criar uma nova entidade independente da FIFA, a PANAFUTSAL, que seguiu organizando o campeonato mundial original da modalidade.

Os atritos entre as duas entidades mantiveram-se até o fim dos anos 90, quando foi proposto um acordo oficialmente em 2000, pelo qual a FIFUSA se tornaria um departamento da FIFA e esta passaria a comandar o futebol de salão. No entanto, por motivos diversos a parceria não vingou, e cada entidade seguiu seu caminho. Em 2002, membros da PANAFUTSAL criam a Associação Mundial de Futsal, para seguir o legado da FIFUSA.

Tentativas de reativação[editar | editar código-fonte]

Após uma década de paralisação, duas assembleias e chapas com candidatos distintos protocolaram interesse na reativação da entidade no cartório do Rio de Janeiro. Um protocolo com data do dia 28 de abril de 2015, sob o nº 1334200 e outro protocolo com data do dia 29 de abril de 2015, sob o nº 1016006; ambos sem êxitos.[nota 2]

Notas e referências

Notas

  1. Em 2 de outubro de 2003 a Confederação Nacional de Futebol de Salão recebeu ofício da FIFUSA, com sede em Madrid na Espanha, atestando sua filiação.
  2. Consultar protocolos, Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas do Rio de Janeiro consulte aqui.

Referências

  1. a b c d e f História do Futsal - Federação Mineira de Futsal
  2. AMF - Antecedentes
  3. *CAFS-Confederación Argentina de Fútbol de Salón. «Documento para no olvidar&#8207» (em espanhol). 30 de novembro de 2001. Consultado em 27 de janeiro de 2015 

Veja também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Campeonatos Mundiais FIFUSA