Fagus sylvatica

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Como ler uma infocaixa de taxonomiaFagus sylvatica
faia-europeia
Grib skov.jpg
Estado de conservação
Espécie pouco preocupante
Pouco preocupante
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Fagales
Família: Fagaceae
Género: Fagus
Espécie: F. sylvatica
Nome binomial
Fagus sylvatica
L.

A faia-europeia (Fagus sylvatica L.) ou faia[1], é uma espécie do género Fagus, árvore de folha caduca pertencente à família Fagaceae.

Muito embora seja apresentada como nativa do sul e do centro da Europa, existem registos fósseis da sua presença no Norte de Portugal, anteriores ao Neolítico[2].

É uma árvore graciosa que pode crescer até 40 metros de altura. A copa é cónica e estreita nos exemplares mais jovens. Nas árvores mais velhas é larga, arredondada e muito ramificada. O tronco tem casca lisa e tons claros[3].

Possui folhas ovais, com margens dentadas e coloração prateada na face inferior. As flores são unissexuais, em glomérulos. O fruto é uma noz com semente oleaginosa comestível[1].

É uma espécie característica de montanha, cresce em encostas e no fundo dos vales e tem preferência por estações mais frias e húmidas. Prefere zonas de sombra, sobretudo nas idades mais jovens, e tem preferência por solos delgados, profundos, ligeiros e bem drenados, mas com boa disponibilidade de água e com pH alcalino. É resistente aos frios do inverno, embora não seja tolerante às geadas tardias. Não tolera seca estival nem ventos costeiros[4].

Tem um crescimento muito lento, sobretudo nos primeiros 10 anos de vida, podendo atingir cerca de 30 metros aos 100 anos. Em média, uma faia pode viver de 200 a 250 anos[5].

Utilização[editar | editar código-fonte]

Móvel de compensado de faia vergado

A árvore fornece madeira utilizada na fabricação de numerosos objetos, notadamente móveis, sobretudo na forma de compensado vergado. A madeira é usada também como combustível, para aquecimento, principalmente na Europa Central. É também fonte de fibras para indústria papeleira.

A faia, que apresenta grande número de variedades, é igualmente apreciada como planta ornamental. Todavia a espécie não suporta as podas severas nem os solos compactados, sendo o seu uso reservado principalmente aos parques. A árvore também se presta à arte do bonsai.

É usada na formação de sebes e pequenos bosques unicamente em regiões de clima temperado e úmido. Historicamente, a faia foi empregada para a extração de diversas substâncias, como o creosoto.

As folhas jovens desta árvore são comestíveis, cruas ou cozinhadas, misturadas em saladas[6]

Além disso, a árvore produz frutos comestíveis, para consumo animal (sobretudo por roedores e pássaros) ou, em pequenas quantidades, também humano. São nozes levemente tóxicas, se ingeridas em grande quantidade, por conterem taninos e alcaloides. Até o século XIX, eram usadas para a produção de óleo para alimentação e iluminação. Também eram moídas para fazer farinha, que podia ser ingerida após os taninos serem lixiviados por imersão.[7][8][9]

Faia-europeia no outono
Fagus sylvatica no Bosque de Soignes, Bélgica
Fagus sylvatica (Museu de Toulouse)
Fagus sylvatica (frutos e sementes)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outros ficheiros sobre Fagus sylvatica
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Fagus sylvatica