Fannie Mae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Federal National Mortgage Association (Fannie Mae)
Tipo Empresa de capital fechado
Fundação 1938
Pessoas-chave Herbert M. Allison, CEO
Lucro US$ -2.0 bilhões em 2007[1]
LAJIR US$ -5.1 bilhões em 2007[1]
Faturamento US$44.8 bilhões em 2007[1]
Website oficial Fannie Mae

A Federal National Mortgage Association (FNMA), conhecida como Fannie Mae, era uma empresa de capital aberto, garantida pelo governo dos Estados Unidos (government sponsored enterprise ou GSE), autorizada a conceder e garantir empréstimos. O apelido "Fannie Mae" é uma criação fonética, a partir da sigla da empresa, que permite identificá-la mais facilmente.

Fannie Mae era líder do mercado secundário de hipotecas do país, o qual se destina a dar liquidez aos geradores de hipotecas, de modo que as empresas de poupança, empréstimo e hipotecas, bem como os bancos comerciais e agentes financeiros públicos do setor habitacional possam financiar os adquirentes da casa própria.

Até setembro de 2008, Fannie Mae e a Federal Home Loan Mortgage Corporation (Freddie Mac) possuíam ou garantiam aproximadamente a metade do mercado de hipotecas dos EUA, que totalizava US$12 trilhões .[2] Por essa razão, as duas empresas foram particularmente afetadas pela crise que atingiu o mercado habitacional, a partir de 2007. Em 7 de setembro de 2008, James Lockhart, diretor da Federal Housing Finance Agency - FHFA (Agência Federal de Financiamento Habitacional), anunciou que Fannie Mae e Freddie Mac sofreriam intervenção (conservatorship) da FHFA. Foi uma das mais drásticas intervenções do governo no mercado financeiro privado em muitas décadas.[3][4][5]

História[editar | editar código-fonte]

Fannie Mae foi criada como uma agência governamental, em 1938, como parte do New Deal de Franklin Delano Roosevelt, a fim de dar liquidez ao mercado de hipotecas. Nos trinta anos seguintes, Fannie Mae deteve o virtual monopólio do mercado secundário de hipotecas nos Estados Unidos.

Em 1968, foi convertida em empresa privada,[6] deixando de ser avalista das hipotecas geradas pelo governo. Essa responsabilidade passou à nova Government National Mortgage Association (Ginnie Mae).

Em 1995, Fannie Mae começou a aceitar créditos habitacionais subprimes.[7] Segundo The New York Times, a empresa estava sendo pressionada pela administração Clinton para facilitar a concessão de empréstimos hipotecários à população de baixa e média renda. [8]

Fannie Mae foi colocada sob intervenção do governo dos Estados Unidos em 7 de Setembro de 2008.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Google Finance: Fannie Mae». Google. Consultado em 6 de agosto de 2008 
  2. Duhigg, Charles, "Loan-Agency Woes Swell From a Trickle to a Torrent", The New York Times, 11/07/2008
  3. Lockhart, James B., III (7 de setembro de 2008). «Statement of FHFA Director James B. Lockhart». Federal Housing Finance Agency. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  4. «Fact Sheet: Questions and Answers on Conservatorship» (PDF). Federal Housing Finance Agency. 7 de setembro de 2008. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  5. Goldfarb, Zachary A.; David Cho and Binyamin Appelbaum (7 de setembro de 2008). «Treasury to Rescue Fannie and Freddie: Regulators Seek to Keep Firms' Troubles From Setting Off Wave of Bank Failures». Washington Post. pp. A01. Consultado em 7 de setembro de 2008 
  6. Krishna Guha, Saskia Scholtes, James Politi: Saviours of the suburbs, Financial Times, 04/06/2008.
  7. Leonnig, Carol D. (10 de junho de 2008). «How HUD Mortgage Policy Fed The Crisis». Washington Post 
  8. "Fannie Mae Eases Credit To Aid Mortgage Lending"
Ícone de esboço Este artigo sobre uma empresa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.