Fernando Osório Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fernando Luís Osório Filho (Bagé, 3 de novembro de 1886Pelotas, 25 de fevereiro de 1939) foi um escritor e político brasileiro.

Filho de Fernando Luís Osório e de Ernestina de Assunção,[1] além de neto do marquês do Erval e do barão de Jaraú, e sobrinho-neto do visconde da Graça. Ainda criança foi residir com a família em Pelotas, onde fez seus estudos iniciais.[2] Seguiu então para o Rio de Janeiro, onde formou-se na Faculdade de Direito do Rio de Janeiro, em 1910.[2] Logo depois seguiu para a Europa, onde foi admitido na Sociedade Internacional de Ciências Sociais de Paris, retornando para o Brasil em 1912, se fixando em Pelotas.[2]

Foi um dos defensores do Tiro de guerra, criou a Escola Prática de Comércio, onde foi seu primeiro diretor.[2] Foi também presidente da Bibliotheca Pública Pelotense,[3] professor da Faculdade de Direito de Pelotas, professor de filosofia do Ginásio Pelotense (ataual Colégio Municipal Pelotense), fundador do primeiro núcleo de escoteiros de Pelotas.[2]

Positivista, pertenceu ao Partido Republicano Rio-Grandense, ao Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul e ao Instituto de Advogados Brasileiros.[2]

É patrono de uma das cadeiras da Academia Rio-Grandense de Letras. Entre seus livros destaca-se Mulheres Farroupilhas, publicado em 1935, no centenário do início da Revolução Farroupilha.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências

  1. Pela grafia arcaica: Ernestina de Assumpção.
  2. a b c d e f SPALDING, Walter. Construtores do Rio Grande. Livraria Sulina, Porto Alegre, 1969, 3 vol., 840pp.
  3. História da Bibliotheca Pública Pelotense