Fernando Pernes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fernando Pernes
Nascimento 1936
Lisboa
Morte 2 de outubro de 2010 (74 anos)
Porto
Nacionalidade Portugal Portuguesa
Ocupação Crítico de arte, professor

Fernando Pernes (Lisboa, 1936 — Porto, 2 de outubro de 2010) foi um ensaísta, professor e crítico de arte português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Fernando Pernes completou os seus estudos de arte em França e Itália, como bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, primeiro na Sorbonne, Paris, com o historiador e crítico de arte Pierre Francastel (1900-1970), depois em Roma e Florença, com Giulio Carlo Argan (1900-1992).[1]

Iniciou atividade como crítico de arte na revista Vida Mundial; colaborou depois em diversas publicações, entre as quais as revistas O Tempo e o Modo e Colóquio-Artes. A relevância do seu trabalho nassa área foi cedo reconhecida, tendo-lhe sido atribuído o prémio de Crítica de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian em 1965.[1]

Foi presidente da secção portuguesa da Associação Internacional de Críticos de Arte entre 1981-1984 e fez parte da direção da Sociedade Nacional de Belas-Artes, onde criou uma galeria de arte moderna e promoveu cursos de história de arte. Dirigiu ainda ou foi colaborador de galerias privadas (Galeria Divulgação, Lisboa; Galeria 111 / Zen, Lisboa e Porto).[1]

Fixou-se no Porto em 1973. Foi professor da Escola Superior de Belas-Artes do Porto; responsabilizou-se pela direção do suplemento de arte e cultura do Jornal de Notícias. Depois do 25 de abril de 1974, assumiu a direção do Centro de Arte Contemporânea do Museu Nacional de Soares dos Reis. Em 1979 integrou a Comissão para a Instalação do futuro Museu Nacional de Arte Moderna, que daria origem à Fundação de Serralves, da qual viria a ser o primeiro diretor artístico (1987-1996) e de cujo Conselho de Administração foi Assessor Cultural.[1][2]

Fernando Pernes foi um dos críticos de arte e curadores de arte mais atentos às novas gerações de artistas portugueses a afirmarem-se desde o final da década de 1960. Foi autor de monografias sobre artistas portugueses e de inúmeros textos e ensaios sobre arte nacional e internacional. A sua vida e obra foram reconhecidas através da atribuição da Comenda da Ordem do Mérito pelo Presidente da República Mário Soares e da Medalha de Ouro da Cidade do Porto (Câmara Municipal do Porto).[1][3]

Referências

  1. a b c d e «Fernando Pernes – Biografia» (PDF). Universidade do Porto. Consultado em 13 de maio de 2014 
  2. «Morreu Fernando Pernes, primeiro diretor artístico da Fundação de Serralves». Jornal Público. Consultado em 13 de maio de 2014 
  3. «Morreu Fernando Pernes, primeiro diretor artístico da Fundação de Serralves». Jornal Público. Consultado em 13 de maio de 2014