Força Aérea da República Sérvia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Translation to english arrow.svg
A tradução deste artigo está abaixo da qualidade média aceitável. É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, tente encontrar a página original e melhore este verbete conforme o guia de tradução.
Ambox grammar.svg
Esta página ou secção precisa de correção ortográfico-gramatical.
Pode conter incorreções textuais, e ainda pode necessitar de melhoria em termos de vocabulário ou coesão, para atingir um nível de qualidade superior conforme o livro de estilo da Wikipédia. Se tem conhecimentos linguísticos, sinta-se à vontade para ajudar.
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2016).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Força Aérea da República Sérvia
País borde República Sérvia
Corporação Exército da República Sérvia
Subordinação Ministério da Defesa
Missão Defesa Aérea da República Sérvia
Sigla RV i PVO VRS
Criação 1992
Aniversários 27 de Maio
Extinção 2006
História
Guerras/batalhas Guerra da Bósnia
Logística
Efetivo 4.000 militares
Insígnias
1º Cocar da RV i PVO VRS Roundels of Republika Srpska.svg
2º Cocar da RV i PVO VRS Roundels of Republika Srpska v2.svg
Sede
Sede Banja Luka, República Sérvia

A Força Aérea da República Sérvia foi a força de defesa aérea da República Sérvia, durante toda a Guerra da Bósnia e após o fim da mesma. Em 2005, a Força Aérea da República Sérvia foi integrada com a Força Aérea da Bósnia e Herzegovina. Em 2004, sua estrutura contava com 4.000 militares e 42 aeronaves.

Historia[editar | editar código-fonte]

Criação[editar | editar código-fonte]

A RV i PVO VRS (Ratno Vazduhoplovstvo i Protivvazdusna Odbrana Vojske Republike Srpske/Força Aérea e Defesa Aérea do Exército da República Sérvia) foi criada em 27 de maio de 1992, com equipamento, pessoal e aeronaves restantes da Força Aérea e Defesa Aérea da Iugoslávia (JRV i PVO/Jugoslovensko Ratno Vazduhoplovstvo i Protiv Vazdusna Odbrana). A cerimônia oficial da criação da força foi na Base Aérea de Zalužani, em 27 de maio de 1992.

Maioria das aeronaves de asa fixa eram da antiga 82ª Brigada de Aviação, sediada na Base Aérea de Cerklje ob Krki, na Eslovênia. Na noite de 27 de junho de 1991, estas aeronaves foram evacuadas da base na Eslovênia após a declaração de independência do país, e mandadas para a Base Aérea de Zadar-Zemunik, na Croácia, com toda a equipe e equipamentos da 474ª Vazduhoplovna Baza (Base Aérea), incluindo ILS e iluminação da pista, todo equipamento, pessoal e aeronaves foram mandados para Banja Luka em 12 de julho de 1991 e distribuídos nos Aeródromos de Mahovljani e Zalužani, na República Sérvia. Finalmente, em 11 de agosto de 1991, toda a 82ª Brigada de Aviação foi mandada para a Base Aérea de Mahovljani.

A agora 74ª Vazduhoplovna Baza (Base Aérea) da RV i PVO VRS, sediada na Base Aérea de Mahovljani, era formada por três esquadrões. O 27º LBaE (Lovačko Bombarderska Eskadrila/Esquadrão de Caças-Bombardeiro, antiga 237ª LBaE), formado por jatos de ataque J-21 Jastreb, a 28º LBaE Risovi Vrbasa (Linces de Vrba, antiga 238ª LBaE), formada por jatos de ataque J-22 Orao e o 351º IaE (Esquadrão de Reconhecimento), formada por jatos IJ-21 Jastreb, J-22 Orao e IJ-22 Orao.

As aeronaves de asa rotativa, eram, em parte, da 111ª Brigada de Aviação, sediada na Base Aérea de Zagreb-Pleso (Croácia), formado pelo 679º Esquadrão de Transporte, equipado com aeronaves de transporte russas Antonov An-2 e Antonov An-26, o 711º Esquadrão de Helicópteros Anti-Blindados e o 713º Esquadrão de Helicópteros Anti-Blindados, ambos equipados com helicópteros franco-iugoslavos Soko HN-42M Gama e o 780º Esquadrão de Helicópteros de Transporte, formado por helicópteros russos Mil Mi-8T, além de três helicópteros Soko HI-42 Hera, do comando do 2º Distrito de Sarajevo. Isso foi a base para a criação do 111º Regimento de Helicopteros, baseado em Zalužani e formado pelo 711º Esquadrão de Helicópteros Anti-Blindado, equipado com os helicópteros Soko HN-42M Gama e Soko HI-42 Hera e o 780º Esquadrão de Helicópteros de Transporte, equipado com os helicópteros russos Mil Mi-8T.

Um outro esquadrão criado foi o 92º Esquadrão de Aeronaves Utilitárias Leves, formado por varias aeronaves aprendidas em aeroclubes na Bósnia. Eram operados um mix de aeronaves como Antonov An-2, Utva 66, Utva 75, Zlin 526F, PZL-104 Wilga, Piper PA-18-150 Super Cub e Cessna 172. Estas aeronaves eram baseadas em Zalužani, Prijedor e Bratunac.

A defesa anti-aérea da RV i PVO VRS eram formada pela 155ª Brigada de Misseis Anti-Aéreos, realocada de Zagreb e Cerklje (Croácia) para Banja Luka em 1991, equipada com misseis S-75M Volkhov e SA-75MK Dvina, pela 84º Regimento de Artilharia Anti-Aérea, pelo 172º Regomento de Misseis Anti-Aéreos Autopropulsado, equipado com baterias 2K12 Kub e pelo 51º Batalhão de Reconhecimento.

Em 26 de julho de 1992, a RV i PVO VRS foi reestruturada, o 111º Regimento de Helicópteros foi extinto, e em seu lugar, foi criado a 92ª Brigada Mista de Aviação, formado por esquadrões de asa fixa e asa rotativa. No mesmo ano, o 711º Esquadrão de Helicópteros Anti-Blindados e o 708º Esquadrão de Helicópteros de Transporte se fundiram e criaram o 89º Esquadrão Misto de Helicópteros.

Guerra da Bósnia[editar | editar código-fonte]

Durante a guerra, a RV i PVO VRS conduziu 17.316 surtidas, uma grande parte dessas surtidas foi na Operação Deny Flight. é importante citar que 18% das surtidas entre 27 de maio de 1992 e dezembro de 1995, eram voos de evacuação medica, um total de 3.179 surtidas. Durante toda a guerra, 18 aeronaves foram perdidas, cinco J-22 Orao, seis J-21 Jastreb e dois Mi-8, resultado de fogo inimigo ou acidentes.

Pós-Guerra[editar | editar código-fonte]

Em março de 1996, o Exército da República Sérvia foi reorganizado, e a arma aérea Bósnia-Sérvia foi renomeada para Aviação e Defesa Aérea do Exército da República Sérvia (V i PVO VRS ou Vazduhoplovstvo i Protivvazdusna Odbrana Vojske Republike Srpske). Todas as unidades da Força Aérea foram reorganizadas e renumeradas. A 74ª Base Aérea foi renumerada para 874ª Base Aérea, a 92ª Brigada de Aviação se tornou 892ª Brigada Mista de Aviação e a 89ª Brigada Mista de Helicópteros se tornou 2ª Esquadrão Misto de Helicópteros. A 27º e 28º Esquadrões de Caça-Bombardeiro foram fundidos e criaram o 1º Esquadrão de Caça-Bombardeiro. O 92º Esquadrão de Aeronaves Utilitárias Leves foi dissolvido e as aeronaves foram distribuídas para os Aeroclubes de Banja Luka, Bratunac e Prijedor, somente duas aeronaves Utva 75 foram mantidas pela força aérea, para treinamento de pilotos. Segundo o Acordo de Florença, a República Sérvia estava autorizada e possuir 21 aeronaves de combate e seis helicópteros de combate. Com isso, a Força Aérea da República Sérvia teve que retirar de serviço quatro jatos de ataque J-21 Jastreb e desarmar seis helicópteros Soko HN-42M Gama.

Fim da Força Aérea[editar | editar código-fonte]

Em 2004, a Força Aérea da República Sérvia contava somente com 4.00 militares, um esquadrão de caças-bombardeiro, um esquadrão misto de helicópteros e um batalhão de artilharia anti-aérea. Em 2006, o Exército da República Sérvia foi integrado as Forças Armadas da Bósnia e Herzegovina, sendo assim a Prvi Puk Vazduhoplovstva i Protiv Vazdušna Odbrana Vojske Republike Srpske (1ª P V i PVO VRS) foi integrada as Forças Armadas Bósnias. Os jatos foram todos estacados ou desmontados para prover peças de reposição a os jatos do mesmo modelo que operam na Força Aérea Bósnia, os pilotos desses jatos forma re-treinados para pilotar helicópteros. O esquadrão misto de helicópteros foi retirado de serviço e estocado. O batalhão de artilharia anti-aérea se mantem em serviço, tendo seu batalhão de reconhecimento aéreo e o Batalhão de suporte logístico continuam em Banja Luka, já o batalhão de misseis anti-aéreos foi remanejado para Sarajevo. 17 aeronaves de asa fixa da antiga Força Aérea da República Sérvia foram oferecidas a venda, a única interessada foi a Sérvia, que se interessou em compara sete jatos de ataque J-22 Orao e um Soko G-4 Super Galeb.

Organização[editar | editar código-fonte]

Ubdina

  • 105ª VB (Vazduhoplovna Brigada - Brigada de Aviação).
    • 249º IBaE "Kobre"(Lovačko Bombarderska Eskadrila - Esquadrão de Caça-Bombardeiro "Cobra")
    • 251º IBaE "Pume" (Lovačko Bombarderska Eskadrila - Esquadrão de Caça-Bombardeiro "Puma")
    • 728º MHE (Mešovita Helikopterska Eskadrila - Esquadrão Misto de Helicópteros)

Banja Luka

  • 92ª MABr (Mješovita Avijacijska Brigada - Brigada Mista de Aviação)
    • 238º IBaE "Risovi Vrbasa" (Lovačko Bombarderska Eskadrila - Esquadrão de Caça-Bomabredeiro "Linces de Vrba")
    • 252º IBaE "Kurjaci sa Ušća" (Lovačko Bombarderska Eskadrila - Esquadrão de Caça-Bomabredeiro "Lobos da Boca do Rio")
    • 92º LEVN (Laka Eskadrila Višestruke Namjene - Esquadrão de Aeronaves Utilitárias Leves)
    • 89º MHE (Mešovita Helikopterska Eskadrila - Esquadrão Misto de Helicópteros)

Aeronaves[editar | editar código-fonte]

Aeronave Origem Tipo Designação Quantidade
Soko J-21 Jastreb Iugoslávia Ataque/Caça J-21 11
Soko J-22 Orao Iugoslávia Ataque/Caça/Reconhecimento (IJ-22) J-22
IJ-22
7
Soko G-4 Super Galeb Iugoslávia Treinamento/Ataque G-4 1
Utva 75 Iugoslávia Treinamento V-53 2
Soko Gama  França
Iugoslávia
Ataque/Utilitario HN-42M 19
Soko Hera  França
Iugoslávia
Ataque/Utilitario HI-42 3
Mil Mi-8  União Soviética Transporte Mi-8T 11

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referencias[editar | editar código-fonte]