Frans de Waal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Frans de Waal
Frans de Waal
Nascimento 29 de outubro de 1948
's-Hertogenbosch
Países Baixos
Morte 14 de março de 2024 (75 anos)
Atlanta, Geórgia
Estados Unidos
Ocupação biólogo

Franciscus Bernardus Maria "Frans" de Waal, PhD ('s-Hertogenbosch, 29 de outubro de 1948Atlanta, 14 de março de 2024) foi um primatólogo e etólogo.

De Waal tornou-se doutor em biologia pela Universidade de Utrecht em 1977, depois de sua formação como zoólogo e etólogo.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Waal tinha cinco irmãos. Nasceu numa família católica da província de Brabante e posteriormente se tornou ateu.

Foi um dos principais responsáveis por revolucionar a visão da ciência sobre a complexidade comportamental e cognitiva de chimpanzés e demais grandes símios. Começou a estudar a colônia de chimpanzés do zoológico de Arnhem, no seu país natal, em 1975, durante o doutorado na Universidade de Utrecht[2]

Wall destacou-se entre os principais primatólogos do mundo por sua ousadia conceitual e criatividade na hora de projetar experimentos.[2]

Ao longo da vida desenvolveu intenso trabalho como divulgador científico, com 16 livros publicados, inúmeras palestras ao vivo e online e aparições na TV. Suas últimas obras foram se tornando cada vez mais abrangentes, deixando de lado o foco exclusivo nos grandes símios.[2]

Em 2012, ironicamente, Waal (junto com a colega Jennifer Pokorny) ganhou até o IgNobel, a paródia bem-humorada do Prêmio Nobel. A láurea veio por conta de um estudo que mostrou que chimpanzés conseguiam reconhecer colegas de bando só de olhar fotografias de seus traseiros.[2]

Morte[editar | editar código-fonte]

De Waal morreu em 14 de março de 2024, aos 75 anos, em Atlanta devido a um câncer de estômago.[3]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Andrea Thompson (9 de agosto de 2007). «How did we go from ape to airplane? Scientists turn to chimpanzees to solve the mystery of our cultural roots». MSNBC. Consultado em 20 de agosto de 2007 
  2. a b c d «Morre o aclamado primatólogo Frans de Waal, aos 75 anos». Folha de S.Paulo. 16 de março de 2024. Consultado em 18 de março de 2024 
  3. «Wereldberoemde primatoloog Frans de Waal (75) overleden: 'Ik beschouw apen als collega's'». Algemeen Dagblad (em neerlandês). 16 de março de 2024. Consultado em 16 de março de 2024 
  4. Boehm, Christopher (2013). «Primatology: A wild empathy». Nature. 495 (7441): 312. doi:10.1038/495312aAcessível livremente  (review of The Bonobo and the Atheist)
  5. Hubbeling, Dieneke (2013). «Taming the beast». Journal of Evolutionary Psychology. 11 (4): 189–192. doi:10.1556/JEP.11.2013.4.4  (review of The Bonobo and the Atheist)
  6. Grandin, T. (9 de outubro de 2005). «Review of Our Inner Ape by Frans de Waal». The New York Times. p. 23 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cientista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.