Gérard Castello-Lopes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gérard Castello-Lopes
Nome completo Gérard Maria José Leveque de Castello-Lopes
Nascimento 6 de agosto de 1925
Vichy, França
Morte 12 de fevereiro de 2011 (85 anos)
Paris, França
Ocupação Fotógrafo, crítico, distribuidor de cinema

Gérard Maria José Leveque de Castello-Lopes (Vichy, 6 de Agosto de 1925Paris, 12 de fevereiro de 2011) foi um fotógrafo, crítico e distribuidor de cinema, português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascido em Vichy, viveu ao longo da sua vida, em Lisboa, Cascais e Estrasburgo, onde integrou o Corpo Diplomático da Missão Permanente de Portugal junto do Conselho da Europa. Mais tarde fixaria residência em Paris. Licenciado em Economia, pelo Instituto Superior de Ciências Económicas e Financeiras, dedicou a sua vida ao cinema e à fotografia. Herdeiro e gerente da distribuidora Castello-Lopes, fundada pelo seu pai, foi também assistente de realização de Artur Ramos e de Fernando Lopes no filme "Os Pássaros de Asas Cortadas" (1962), co-autor e assistente de produção e realização da curta-metragem de 1970, "Nacionalidade: Português", e foi um dos fundadores do Centro Português de Cinema.[1] Entre 1991 e 1993, foi presidente do júri do Instituto Português de Cinema, e integrou o conselho consultivo da Culturgest.[2] Foi crítico de cinema, de 1964 a 1966, na revista O Tempo e o Modo, e escreveu para os jornais A Tarde e o Semanário, entre 1982 e 1984.[2] Também foi assistente de encenação de duas óperas, subsidiado pela Fundação Calouste Gulbenkian, e produzidas pelo Grupo Experimental de Ópera de Câmara.[2]

[3][4][5][6]

Fotógrafo a partir de 1956, desenvolveu a sua criação de forma autodidacta, seguindo os ensinamentos de Henri Cartier-Bresson, e bebendo a influência da pintura, da escultura, do cinema e da própria fotografia. Os fundamentos técnicos da fotografia, apreendeu-os através de revistas e livros estrangeiros da especialidade.[7]

Realizou dezenas de exposições individuais, antes e depois do 25 de Abril de 1974, e participou em diversas exposições colectivas, tanto em Portugal como no estrangeiro, mas foi apenas em 1982 que se relançou como fotógrafo, através de uma mostra retrospectiva.[2]

Referências

  1. Lusa (12 de fevereiro de 2011). «Morreu Gérard Castello-Lopes, fotógrafo e distribuidor de cinema». Publico. Consultado em 12 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  2. a b c d Lusa (12 de fevereiro de 2011). «Morreu Gérard Castello-Lopes, fotógrafo e distribuidor de cinema». Expresso. Consultado em 12 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  3. Apparitions, photography by Gérard Castello-Lopes – Artigo de Gonzalo Bénard em Camera Obscura, 8 julho 2012
  4. Apparitions by Gérard Castello-Lopes in Paris – Notícia da Fundação Calouste Gulbenkian, 30 de abril.2012
  5. Artigo de Sérgio C. Andrade e Sérgio B. Gomes, jornal Público, 13 de fevereiro 2011
  6. Notícia da agência LUSA, 24 de abril 2012
  7. «GÉRARD CASTELLO-LOPES - "Homenagem a Henri Cartier-Bresson"». Galeria Fernando dos Santos. Consultado em 12 de fevereiro de 2011  Verifique data em: |acessodata= (ajuda) (Ver: Artistas - Gérard Castello-Lopes)

Ver também[editar | editar código-fonte]

ANEXO

Ligações externas[editar | editar código-fonte]