Gẹlẹdẹ

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Gelede)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Se procura a ONG, veja Geledés - Instituto da Mulher Negra.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
O património oral Gẹlẹdẹ
Cové2.jpg
Festa Gẹlẹdẹ
País(es)  Benim
Nigéria
Togo
Domínios Tradições e expressões orais
Usos sociais, rituais e atos festivos
Referência 00002
Região África
Inscrição 2008 (3.ª sessão)
Lista Lista Representativa
Unesco Cultural Heritage logo.svg UNESCO-ICH-blue.svg
Mascara Gelede do Benim no Brasil

Gẹlẹdẹ é originalmente uma forma de sociedade secreta feminina de caráter religioso existente nas sociedades tradicionais yorubas. Expressa o poder feminino sobre a fertilidade da terra, a procriação e o bem estar da comunidade. O património oral Gẹlẹdẹ foi inscrito em 2008 na Lista Representativa do Património Cultural Imaterial da Humanidade (originalmente proclamado em 2001).[1]

Gẹlẹdẹ é um festival anual homenageando "nossas mães" (awon iya wa), não tanto pela sua maternidade, mas como ancião feminino. Ela ocorre durante a época seca (março-maio) entre os Yorubas do sudoeste da Nigéria e o vizinho Benim.

A máscara (ou adorno de cabeça, uma vez que não cobrem o rosto) é um par de um conjunto usado pelos homens vestidos como mulheres mascaradas para divertir, e aplacar as mães que são consideradas muito poderosas, e podem usar os seus poderes para o bem ou como feitiçaria de efeitos destrutivos.

Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade[editar | editar código-fonte]

Máscara Gelede yoruba no Indianapolis Museum of Art.

Da Nigéria são dois os listados como Patrimônio Oral e Imaterial da Humanidade: O Gelede, que também é praticado no Benim e Togo, e o Ifa Divination System, e em estudo na Nigéria um sistema de Tesouros Humanos Vivos e esforços para salvaguardar o suas línguas ameaçadas.[2][3][4]

O Gẹlẹdẹ celebra a sabedoria das mães anciãs e mulheres entre os yorubas. O festival inclui máscara (ou adorno de cabeça, uma vez que não cobrem o rosto) usado pelos homens que vestidos como mulheres mascaradas para acalmar as mulheres mais velha da tribo. Dança e música são parte integrante da cerimônia, que utiliza elementos tradicionais da música yoruba incluindo percussão complexa e músicas. O Gelede é precedido por uma cerimônia chamada Efe, que tem lugar na noite anterior.

O Gẹlẹdẹ veio a público provavelmente no final do século XVIII ou no início do século XIX. Pode estar associada com a mudança de uma sociedade matriarcal para uma patriarcal, mas então se poderia esperar que tenha origens mais antigas.

A cerimônia Gẹlẹdẹ pode também ter lugar nos funerais de membros do culto ou em períodos de seca ou de outras situações graves, que se pensa ter sido trazida por feitiço maléfico.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Gẹlẹdẹ

Em português:

Em inglês:

Ícone de esboço Este artigo sobre candomblé é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.