George Armstrong Custer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
George Custer
Nascimento 5 de dezembro de 1839
New Rumley, Ohio
Morte 25 de junho de 1876 (36 anos)
Próximo ao rio Little Bighorn, Montana
Nacionalidade Americano
Parentesco Thomas Custer (irmão)
Boston Custer (irmão)
James Calhoun (cunhado)
Cônjuge Elizabeth Bacon Custer (c. 1864—1876)
Serviço militar
Lealdade US flag 37 stars.svg Estados Unidos
Flag of the United States (1861-1863).svg União
Serviço Exército dos Estados Unidos
Exército da União
Tempo de serviço 1861–1876
Patente Tenente-coronel
Comando Brigada do Michigan
3ª Divisão de Cavalaria
2ª Divisão de Cavalaria
7º Regimento de Cavalaria
Batalhas/Guerras Guerra Civil Americana


Guerras Indígenas

George Armstrong Custer (5 de dezembro de 1839 — 25 de junho de 1876) foi um oficial do exército dos Estados Unidos e comandante de uma unidade de cavalaria durante a Guerra Civil Americana e as Guerras Indígenas. Criado em Michigan e Ohio, Custer foi aceito em West Point em 1857 e se formou em último da sua classe em 1861, com a patente de segundo-tenente. Com o começo da guerra civil no país, Custer foi convocado a servir no Exército da União.[1]

Custer desenvolveu uma boa reputação militar durante a guerra civil nos Estados Unidos. O primeiro grande combate que participou foi a Batalha de Bull Run, em 21 de julho de 1861, próximo de Washington, D.C.. Sua associação com vários oficiais de alta patente durante o conflito ajudou a catapultar sua carreira, além de suas habilidades como comandante de cavalaria. Custer recebeu um mandado (brevet) de general de brigada aos 23 anos, uma semana antes da Batalha de Gettysburg, onde ele liderou um ataque de cavalaria contra uma tropa confederada que pretendia reforçar os companheiros no ataque de Pickett. Custer foi mais tarde ferido na batalha de Culpeper, na Virgínia, em 13 de setembro de 1863. Em 1864, ele recebeu uma comendação por bravura, além de mais um mandado, o promovendo, em caráter temporário, para major-general. Na conclusão da Campanha de Appomattox (março-abril de 1865), onde ele e suas tropas desempenharam um papel fundamental, Custer estava presente quando o general Robert E. Lee se rendeu para Ulysses S. Grant, em 9 de abril de 1865.[2]

Após a guerra civil, Custer continuou no exército, mantendo a patente de capitão e depois foi apontado como tenente-coronel no 7º Regimento de Cavalaria americana, em julho de 1866. Ele foi despachado para o oeste, em 1867, para lutar contra os índios. Em 25 de junho de 1876, enquanto liderava seus homens na Batalha de Little Bighorn, no Território de Montana, contra uma coalizão de tribos indígenas, Custer e todo o seu destacamento — que incluía seus dois irmãos — foram mortos. Sua derrota fatídica acabou obscurecendo seus feitos anteriores em guerra. Muitos o saudaram como um herói trágico, que lutou até a morte junto com seus soldados. Outros o culpam pelo massacre, afirmando que ele recusou ofertas de reforços, querendo receber toda a glória de uma eventual vitória. Sua reputação militar nos Estados Unidos segue controversa.[3][4]

Referências

  1. «Biography: George Custer - General». Biography.com. Consultado em 10 de novembro de 2017 
  2. Caudill, Edward and Paul Ashdown (2015). Inventing Custer: The Making of An American Legend. Lanham, MD: Rowman e Littlefield. ISBN 9781442251861
  3. Ambrose, Stephen E. (1996 [1975]). Crazy Horse and Custer: The Parallel Lives of Two American Warriors. New York: Anchor Books. ISBN 0-385-47966-2.
  4. Robbins, James S. The Real Custer: From Boy General to Tragic Hero. Washington, DC: Regnery Publishing, 2014, ISBN 978-1-62157-209-1
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.