Geraldo Sarno

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Geraldo Sarno
Nascimento 6 de março de 1938
Poções, Bahia, Brasil
Nacionalidade brasileiro
Morte 22 de fevereiro de 2022 (83 anos)
Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil
Ocupação diretor, roteirista
Atividade 1963-2022

Geraldo Sarno (Poções, 6 de março de 1938Rio de Janeiro, 22 de fevereiro de 2022) foi um roteirista e diretor de cinema brasileiro. O cineasta ficou conhecido por abordar temas como o movimento migratório brasileiro (em especial o nordestino), as religiões e cultura populares. Em 2008, recebeu o prêmio de melhor direção no Festival de Brasília, pelo filme Tudo isto me parece um sonho, sobre a história do general pernambucano Ignácio Abreu e Lima, que, ao lado de Simon Bolívar, participou de batalhas que resultaram na libertação da Colômbia, Venezuela e Peru da Coroa Espanhola no século XIX.[1]

Faleceu na cidade do Rio de Janeiro vítima de complicações causadas pela COVID-19, após mais de 1 mês internado no Hospital Copa D'Or.[2]

Carreira como diretor[editar | editar código-fonte]

  • 2020 - Sertânia
  • 2010 - O Último Romance de Balzac
  • 2008 - Tudo Isto Me Parece Um Sonho
  • 1985 - Deus é um Fogo
  • 1984 - A Terra Queima
  • 1978 - Casa-Grande e Senzala
  • 1977 - Coronel Delmiro Gouveia[3]
  • 1976 - Espaço Sagrado
  • 1976 - Iaô
  • 1974 - Segunda-Feira
  • 1974 - Semana de Arte Moderna
  • 1973 - O Pica-pau Amarelo
  • 1972 - Herança do Nordeste (episódio Casa de Farinha and Padre Cícero)
  • 1969 - Viva Cariri
  • 1968 - Brasil Verdade (episódio Viramundo)
  • 1965 - Viramundo
  • 1963 - Mutirão em novo sol

Carreira como roteirista[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]