Graciano, o Velho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Graciano
Nascimento 290
Vinkovci
Morte Desconhecido
Filho(s) Valente, Valentiniano I
Ocupação militar

Graciano, o Velho (em latim: Gratianus Funarius ou Gratianus Major) foi um soldado ilírio do Império Romano que viveu no século IV e foi pai dos imperadores romanos Valentiniano I e Valente, fundadores da dinastia valentiniana.

Vida[editar | editar código-fonte]

Graciano era oriundo da cidade de Cíbalas (moderna Vinkovci, na Croácia), na porção sul da Panônia Segunda, possivelmente na década de 280.[1] Em sua juventude, recebeu o cognome "Funário", que significa "homem da corda", quando trabalhou como vendedor de cordas. Juntou-se ao exército e ascendeu rapidamente até se tornar protetor doméstico (protector domesticus) durante o reinado de Constantino, o Grande.[2] Um protetor doméstico chamado "...atianus" aparece em evidências epigráficas em Salona (moderna Split, na Croácia) da mesma época, o que levou alguns a defenderem que Graciano esteve estacionado lá.[2] O primeiro cargo independente de Graciano foi de tribuno, provavelmente no exército de Constantino.[2] No final da década de 320 ou no início da seguinte, foi feito conde (comes) da África, possivelmente para supervisionar a defesa da fronteira.[3] Contudo, Graciano foi logo acusado de apropriação indébita e forçado a se aposentar.[4]

No início da década de 340, foi reconvocado e tornou-se conde da Britânia, provavelmente para comandar uma unidade de comitatenses sob a liderança de Constante I em sua campanha na região no inverno de 342 ou 343,[4] Depois que sua carreira militar terminou, Graciano retornou para sua terra natal e abandonou a vida pública.[5]

Durante sua aposentadoria, o imperador Constâncio II (r. 337–360) confiscou todas as suas propriedades por suspeitar que ele teria apoiado o usurpador Magnêncio (r. 308–312). Ainda assim, Graciano ainda era popular no exército e essa popularidade pode ter contribuído para a vitoriosa carreira de seus filhos. Quando um deles, Valente, tornou-se imperador, em 364, o Senado, em Constantinopla, ordenou que fosse erigida uma estátua de latão em sua homenagem.

Árvore genealógica[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Lenski, Noel Emmanuel (2002). Failure of empire: Valens and the Roman state in the fourth century A.D. [S.l.]: University of California Press. p. 46. ISBN 978-0-520-23332-4. Consultado em 12 de outubro de 2010 
  2. a b c Tomlin, R. (1973). The Emperor Valentinian I. [S.l.: s.n.] p. 2 
  3. Tomlin, R. (1973). The Emperor Valentinian I. [S.l.: s.n.] p. 3 
  4. a b Tomlin, R. (1973). The Emperor Valentinian I. [S.l.: s.n.] p. 4 
  5. Tomlin, R. (1973). The emperor Valentinian I. [S.l.: s.n.] p. 5 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]