Guy de Rothschild

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Guy de Rothschild
Nascimento 21 de maio de 1909
8.º arrondissement de Paris
Morte 12 de junho de 2007 (98 anos)
Paris
Residência Castelo de Ferrières
Cidadania França
Progenitores Mãe:Germaine de Rothschild
Pai:Édouard Alphonse James de Rothschild
Cônjuge Alix Freiin Schey von Koromla, Marie-Hélène de Rothschild
Filho(s) David René de Rothschild, Édouard de Rothschild
Irmão(s) Bethsabée de Rothschild, Jacqueline Piatigorsky
Alma mater Lycée Louis-le-Grand, Lycée Condorcet, Faculdade de Direito de Paris, Faculdade de Artes de Paris
Ocupação colecionador de arte, banqueiro, advogado
Prêmios Oficial da Legião de Honra, Cavaleiro da Ordem do Mérito Agrícola

Guy Édouard Alphonse Paul de Rothschild (Paris, 21 de maio de 1909Paris, 12 de junho de 2007) foi um banqueiro francês e membro da Família Rothschild. Dirigiu o banco de Rothschild Frères entre 1967 e 1979, quando este foi nacionalizado pelo governo francês, e manteve possessões noutras companhias francesas e estrangeiras, incluindo a Imerys.

Família[editar | editar código-fonte]

O Barão Guy de Rothschild nasceu em Paris. Era filho do Barão Edouard Alphonse de Rothschild (1868–1949) e da sua esposa, German Halphen (1884–1975). O seu irmão mais velho, Edouard Alphonse Emile Lionel (1906-1911), faleceu ainda jovem devido a uma apendicectomia; teve ainda duas irmãs mais novas, Jacqueline Piatigorsky e Bethsabée de Rothschild. Metade dos seus bisavós eram Rothschilds. Era trineto do alemão Mayer Amschel Rothschild (1743-1812), que fundou o banco da família no século XVIII. Ele cresceu entre a casa citadina de seus pais, na esquina da rue de Rivoli com a Place de la Concorde em Paris (uma propriedade que já fora ocupada por Talleyrand) e as suas propriedades de Château de Ferrières, 25 milhas a nordeste de Paris, uma casa maciça construida segundo o desenho de Joseph Paxton na década de 1850, baseada num desenho anterior de Paxton das Mentmore Towers para o Barão Mayer de Rothschild, do ramo inglês da família Rothschild.

Foi educado no Lycée Condorcet e no Lycée Louis-le-Grand, em Paris, e por tutores privados. Responsabilizou-se por serviços militares com a cavalaria, em Saumur, e jogou golf pela França. Ganhou o Grand Prix de Sud-Ouest em 1948.

Rothschild casou duas vezes. Casou com uma prima distante, a Baronesa Alix Hermine Jeanette Schey de Koromla (19111982), a antiga esposa de Kurt Krahmer, em 1937. O casal teve um filho, David René de Rothschild. Pelo lado da esposa, Rothschild teve também duas enteadas, Lili e Bettina Kahmer. Divorcaram-se em 1956.

Casou pela segunda vez em 1957, com a Baronesa Marie-Hélène van Zuylen van Nyevelt (1927–1996), cujo casamento com o Conde François de Nicolay também se dissolvera em 1956. Tal como a sua primeira esposa, ela era uma prima distante, apesar de neste caso ser uma Católica Romana. Tiveram um filho, o Barão Édouard de Rothschild.

Depois do seu segundo casamento, Guy de Rothschild renovou o Château de Ferrières, gastando abundantemente, no início da década de 1970, antes de doá-lo à Universidade de Paris em 1975. No mesmo ano, comprou o Hôtel Lambert na Île Saint-Louis em Paris, tendo os últimos pisos sido transformados na sua residência parisiense.

Banca e negócios[editar | editar código-fonte]

Rothschild começou a trabalhar no banco da família em 1931, juntando-se à direcção da Compagnie des chemins de fer du Nord, pertença da família, em 1933. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi comandante de companhia na 3ª Divisão Ligeira Mecanizada durante a Batalha de França no início de 1940. Depois de combater os nazis em Carvin, fugiu para Dunquerque. Foi agraciado com a Croix de Guerre pela sua actuação nas praias em Dunquerque, de onde ele foi evacuado para a Inglaterra. Voltou imediatamente a França, aterrando em Brest, e tomou conta do escritório da família em Bourboule, próximo de Clermont-Ferrand. Sob o governo Fascista de Vichy, os seus pais e tios foram despojados da sua nacionalidade francesa, removidos das listas da Legião de Honra, e a família foi obrigada a vender as suas possessões. Rothschild manobrou de forma a persuadir os compradores das grandes opções, sob as quais ele estaria mais tarde apto a comprar os interesses da família de volta. Deixou a França novamente, via Espanha e Portugal, para se juntar aos seus pais em Nova Iorque. Juntou-se às Forças Francesas Livres e embarcou no cargueiro, Pacific Grove, para viajar de volta à Europa. O seu navio foi torpedeado e afundado em Março de 1943. Ele foi resgatado depois de passar 12 horas no Atlântico. Em Inglaterra, juntou-se ao staff do General Koenig nas Supreme Headquarters Allied Expeditionary Force, próximo de Portsmouth.

Regressou aos escritórios do banco na rue Laffitte, em Paris, em 1944, e reconstruiu o banco Rothschild e o império de negócios, depois da guerra. Georges Pompidou, que se tornaria mais tarde Presidente e Primeiro-Ministro da França, foi recrutado por ele para um emprego como professor, e trabalhou para ele entre 1953 e 1962. Durante este período ele tornou-se director geral do banco Rothschild. O banco diversificou-se desde o investimento como De Rothschild Frères até à captação de depósitos com o Banque de Rothschild, com agências por toda a França. Guy foi o seu presidente ente 1968 e 1978. Quando o banco foi nacionalizado em 1981 pelo governo socialista de François Mitterrand, Rothschild deixou a França colérico e mudou-se temporariamente para Nova Iorque. Em 1987, os negócios bancários da família foram restaurados como Rothschild & Cie Banque pelo seu filho David.

Criação de cavalos[editar | editar código-fonte]

Guy de Rothschild era um renomado criador de cavalos na propriedade da família Haras de Meautry, na Normandia. Prodoziu proeminetes cavalos de corrida, tendo sido o mais famoso, talvez, o Exbury, o qual ganhou o Prix Boïard, o Prix Ganay, a Coronation Cup, o Grand Prix de Saint-Cloud e o Prix de l'Arc de Triomphe em 1963.

Em 1950, ganhou o Grand Prix de Paris com o cavalo Vieux Manoir, o Grand Prix de St Cloud com Ocarina e o Grand Prix de Deauville com Alizier. Como proprietário, também venceu, entre outros, o Prix de Diane três vezes (1957, 1960, 1961), o Prix Royal-Oak duas vezes e o Prix Morny igualmente duas vezes. Guy de Rothschild presidiu à associação de criadores de cavalos em França de 1975 a 1982.

Filantropia[editar | editar código-fonte]

Em 1950, Guy de Rothschild tornou-se o primeiro presidente do Fonds Social Juif Unifié (FSJU) (Fundo Social dos Judeus Unidos), a maior agência filantrópica francesa da comunidade judia.

Em 1975, Rothschild e a sua esposa doaram o Château de Ferrières à Universidade de Paris.

Morte[editar | editar código-fonte]

Guy de Rothschild faleceu em Paris, no dia 12 de Junho de 2007, aos 98 anos de idade.

Trabalhos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]