HAT-P-7b

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Coordenadas: Sky map 19h 28m 59s, +47° 58′ 10″

HAT-P-7b
Exoplaneta Lista de exoplanetas
Exoplanet Comparison HAT-P-7 b.png
Comparação de tamanho de HAT-P-7b (cinza) com Júpiter.
Estrela mãe
Estrela HAT-P-7
Constelação Cygnus
Ascensão reta 19h 28m 59s
Declinação +47° 52′ 10″
Magnitude aparente 10.46
Distância 1044+163−130 anos-luz
320+50−40 pc
Tipo espectral F8
Elementos orbitais
Semieixo maior 0.0377 ± 0.0005 UA
Excentricidade 0
Período orbital 2.2047299 (± 4×10−6) d
Inclinação 85.7+3.5−3.1°
Características físicas
Massa 1.776+0.077−0.049 MJ
Raio 1.363+0.195−0.087 RJ
Densidade 930 g/cm³
Gravidade superficial 24.75 m/s²
Temperatura 2730+150−100 K
Descoberta
Data da descoberta 6 de março de 2008
Descobridores Projeto HATNet
Método de detecção Por trânsito
Estado da descoberta Publicado

HAT-P-7b (ou Kepler-2b) é um exoplaneta descoberto em 2008. Ele orbita muito perto de sua estrela-mãe, e é maior e mais maciço do que Júpiter. Devido ao calor extremo que recebe de sua estrela, a temperatura do lado diurno se prevê que seja 2730+150−100 K.

História[editar | editar código-fonte]

A velocidade radial de HAT-P-7 ao longo do tempo, devido à presença de HAT-P-7b.

O sistema HAT-P-7 está dentro do campo de visão da sonda espacial Kepler já operacional,[1] que confirmou as propriedades de trânsito e orbitais do planeta que melhorou significativamente a confiança e a ocultação observada e as características da curva de luz consistentes com um ambiente fortemente observado com advecção limitada para o lado da noite. Nos testes com o HAT-P-7b, Kepler provou que era sensível o suficiente para detectar planetas semelhantes à Terra.[2]

Em agosto de 2009, foi anunciado que o HAT-P-7b pode ter uma órbita retrógrada, com base em medições do efeito Rossiter–McLaughlin.[3] [4] [5] Este anúncio veio apenas um dia após o anúncio do primeiro planeta descoberto com tal órbita, WASP-17b.

Em janeiro de 2010, foi anunciado que o HAT-P-7b foi detectado através de variações de luz elipsoidais, a primeira detecção de tal tipo. Este método analisa a variação de brilho causado pela rotação de uma estrela como a sua forma sincronizada distorcida pelo planeta.[6]

Em 4 de julho de 2011, HAT-P-7b foi o tema da milionésima observação do Telescópio espacial Hubble.[7]

Referências

  1. (2008) "HAT-P-7b: An Extremely Hot Massive Planet Transiting a Bright Star in the Kepler Field". The Astrophysical Journal 680 (2): 1450–1456. DOI:10.1086/588010. Bibcode2008ApJ...680.1450P.
  2. Borucki, W.J.; D. Koch,1 J. Jenkins, D. Sasselov, R. Gilliland, N. Batalha, D. W. Latham,3 D. Caldwell, G. Basri, T. Brown,7 J. Christensen-Dalsgaard, W. D. Cochran, E. DeVore, E. Dunham, A. K. Dupree, T. Gautier, J. Geary, A. Gould, S. Howell, H. Kjeldsen, J. Lissauer, G. Marcy, S. Meibom, D. Morrison, J. Tarter. (7 de agosto de 2009). "Kepler’s Optical Phase Curve of the Exoplanet HAT-P-7b". Science 325 (5941): 709. DOI:10.1126/science.1178312. PMID 19661420. Bibcode2009Sci...325..709B.
  3. Second backwards planet found, a day after the first
  4. HAT-P-7: A Retrograde or Polar Orbit, and a Second Planet
  5. First Evidence of a Retrograde Orbit of Transiting Exoplanet HAT-P-7b
  6. Discovery of Ellipsoidal Variations in the Kepler Light Curve of HAT-P-7: William F. Welsh, Jerome A. Orosz, Sara Seager, Jonathan J. Fortney, Jon Jenkins, Jason F. Rowe, David Koch, William J. Borucki
  7. NASA'S Hubble Makes One Millionth Science Observation

Ligações externas[editar | editar código-fonte]