Hermenegildo Gonçalves

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Hermenegildo Gonçalves ou Mendo Gonçalves,[a] (em espanhol: Hermenegildo González) (morto entre 943 e 950), foi um conde galego no século X, tenente na comarca de Deza, governador do Condado Portucalense, e o genearca de uma das linhagens mais importante galaico-português da Alta Idade Média. Aparece na documentação medieval confirmando como Ermegildus Gundisaluis.

Biografia[editar | editar código-fonte]

A sua filiação como filho do conde Gonçalo Betotes[1] e Tereza Eris—filha do conde Ero Fernandes—leva-o a uma linha condal muito antiga. A sua irmã, Aragonta Gonçalves, foi esposa do rei Ordonho II, embora deste casamento não tenha tido filhos.[2] [3]

Hermenegildo começa a aparecer na documentação no ano de 926. Governou o Condado Portucalense depois da morte de Lucídio Vimaranes e foi sucedido pelo seu filho o conde Gonçalo Mendes.[1] Aparentemente, morreu relativamente jovem, uma vez que praticamente desaparece da documentação em 943 e já havia morto em 1 de agosto de 950,[4] data em que sua viúva e os filhos dividir sua herança.

Matrimónio e descendência[editar | editar código-fonte]

A comarca de Deza que governou o conde Hermenegildo Gonçalves

Casou entre 915 e 920 e antes de 23 de fevereiro de 926—quando aparecem juntos pela primeira vez[4] —com Mumadona Dias, condessa de Portucale e a fundadora do Mosteiro de Guimarães, filha do conde Diogo Fernandes e de Onecca (Onega).[5] Em 926, o rei Ramiro II doouo aos condes Hermenegildo e Mumadona a vila de Creximir perto de Guimarães.[6] Dois anos mais tarde, Onecca, fez uma doação, confirmada por vários nobres ao Mosteiro de Lorvão, onde menciona e confirman seus filhos: Munnia, Ledegundia, Exemenus Didaz, Mummadoma, e também o conde Ermegildus Gundisaluis.[7]

Os filhos deste casamento foram:

  • Gonçalo Mendes,[5] conde e dux magnus de Portucale, casado com Ilduara Pais, filha de Paio Gonçalves, conde em Deza, e de Ermesinda Guterres.
  • Diogo Mendes (morto depois de 968), casou-se com Aldonça e foi o pai de Mumadona Dias, freira no mosteiro fundado por sua mãe.[8]
  • Ramiro Mendes (nascido ca. 925[4] —ca. 961[9] ), casou com Adosinda Guterres, filha do conde Guterre Mendes e de Ilduara Eris.[9] Provavelmente foram os pais da rainha Velasquita Ramires, a primeira esposa do rei Vermudo II.[10] [11]
  • Onecca Mendes, casou antes do 26 de Janeiro de 959 com Guterre Rodrigues.[4]
  • Nuno Mendes (morto antes de 959), ainda estava vivo em 950 quando a repartição feita dos bens de seu pai. Já tinha morrido por 959 quando sua mãe fez a dotação do Mosteiro de São Memede e refere-se a seu dulcissimus mihi pignus Nunnus.[12]
  • Arias Mendes (morto depois de 964).[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Notas[editar | editar código-fonte]

[a] ^ Também conhecido como Mendo Gonçalves I para diferenciar de seu neto Mendo Gonçalves ou Mendo Gonçalves II.[1]

Referências

  1. a b c Mattoso 1982, p. 20.
  2. Salazar y Acha 1989, p. 69.
  3. Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 292.
  4. a b c d García Álvarez 1960, p. 218, n. 74.
  5. a b Mattoso 1970, p. 36.
  6. Herculano 1868, p. 20, doc. XXXI.
  7. Torres Sevilla-Quiñones de León 1999, p. 295.
  8. Mattoso 1981, p. 140–141.
  9. a b Mattoso 1981, p. 141–142.
  10. García Álvarez 1960, p. 211.
  11. Sánchez Candeira 1950, p. 461.
  12. Cardozo 1967, p. 287.
  13. Mattoso 1981, p. 143.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Mattoso, José. (1970). "A nobreza portucalense dos séculos IX a XI". Do tempo e da história (III): 35-50.
  • Mattoso, José. Ricos-homens, infançoes e cavaleiros: a nobreza portuguesa nos séculos XI e XII. Lisboa: Gimarães & C.a. Editores, 1982. OCLC 10350247
  • Salazar y Acha, Jaime de. (1989). "Los descendientes del conde Ero Fernández, fundador de Monasterio de Santa María de Ferreira de Pallares" (em espanhol). El Museo de Pontevedra (43): 67-86. ISSN 0210-7791.
  • Sánchez Candeira, Alfonso. (1950). "La reina Velasquita de León y su descendencia". El Museo de Pontevedra (40): 449–505. ISSN 0018–2141.
  • Torres Sevilla-Quiñones de León, Margarita Cecilia. Linajes nobiliarios de León y Castilla: Siglos IX-XIII (em espanhol). Salamanca: Junta de Castilla y León, Consejería de educación y cultura, 1999. ISBN 84-7846-781-5
Precedido por
Lucídio Vimaranes
Conde de Portucale
c. 924 - c. 950
(em conjunto com Mumadona Dias)
Sucedido por
Gonçalo Mendes
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.