José Mattoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde junho de 2014) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

José João da Conceição Gonçalves Mattoso GOSE (Leiria, Leiria, 22 de Janeiro de 1933) é um historiador medievista e professor universitário português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho do professor liceal António Gonçalves Mattoso, licenciou-se em História, na Faculdade de Letras da Universidade Católica de Lovaina, e ingressou na vida religiosa. Durante 20 anos foi monge da Ordem de São Bento, vivendo na Abadia de Singeverga, e usando o nome de Frei José de Santa Escolástica Mattoso. Em 1966 doutorou-se em História Medieval, pela Universidade Católica de Lovaina, com a tese Le Monachisme ibérique et Cluny: les monastères du diocèse de Porto de l'an mille à 1200[1] . Só em 1970 retornou à vida laica, iniciando a sua carreira universitária.

Foi investigador no Centro de Estudos Históricos (Lisboa) do Instituto de Alta Cultura e assistente na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, ascendendo a professor catedrático na recém-criada Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova. Exerceu ainda as funções de presidente do Instituto Português de Arquivos, de 1988 a 1990, e de director da Torre do Tombo, entre 1996 e 1998. Viveu também em Timor-Leste, colaborando na recuperação do Arquivo Nacional e no Arquivo da Resistência, e leccionando no Seminário Maior de Díli. Autor de uma extensa bibliografia, é especialista na História Medieval portuguesa, destacando-se as suas obras Ricos-Homens, Infanções e Cavaleiros, Fragmentos de Uma Composição Medieval, O reino dos mortos na Idade Média e Identificação de Um País. Ensaio sobre as Origens de Portugal (1096-1325) (vol. I - Oposição; vol. II - Composição), sucessivamente premiada com o Prémio de História Medieval Alfredo Pimenta e o Prémio Ensaio do P.E.N. Clube Português. Dirigiu também uma edição de oito volumes da História de Portugal (1993-1995). Recebeu o Prémio Pessoa, em 1987, o Prémio Internacional de Genealogia Bohüs Szögyeny, em 1991, o grau de Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, a 10 de Junho de 1992,[2] e o Troféu Latino, em 2007.

Desde Maio de 2010 é Presidente do Conselho Científico das Ciências Sociais e Humanidades da Fundação para a Ciência e a Tecnologia.

Bibliografia activa[editar | editar código-fonte]

  • Le monarchisme ibérique et Cluny. Les monastéres du diocése de Porto de l'an mille à 1200, 1968
  • As famílias condais portucalenses dos séculos X e XI, 1970
  • Beneditina Lusitana, 1974
  • Livro de linhagens do Conde D. Pedro, ed. crítica, 1980
  • Livros velhos de linhagens, ed. crítica por Joseph Piel e José Mattoso, 1980
  • A nobreza medieval portuguesa. A família e o poder, 1981 ; 1994
  • Ricos-Homens, infanções e cavaleiros. A nobreza medieval portuguesa nos sécs. XI e XII, 1982 ; 1998
  • Religião e cultura na Idade Média portuguesa, 1982 ; 1997
  • Narrativas dos Livros de Linhagens, selecção, introdução e comentários, 1983
  • Portugal medieval. Novas interpretações, 1985 ; 1992
  • O essencial sobre a formação da nacionalidade, 1985 ; 1986
  • Identificação de um país. Ensaio sobre as origens de Portugal, 1096-1325, 1985 ; 1995
  • O essencial sobre a cultura medieval portuguesa, 1985 ; 1993
  • A escrita da história, 1986
  • Fragmentos de uma composição medieval, 1987 ; 1990
  • O essencial sobre os provérbios medievais portugueses, 1987
  • A escrita da História. Teoria e métodos, 1988 ; 1997
  • O castelo e a feira. A Terra de Santa Maria nos séculos XI a XIII, em colab. com Amélia Andrade, Luís Krus, 1989
  • Almada no tempo de D. Sancho I (Comunicação), 1991
  • Os primeiros reis (História de Portugal - Vol. I) (Infanto-juvenil), com Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada, 1993 ; 2001
  • A Terra de Santa Maria no século XIII. Problemas e documentos, em colab. com Amélia Andrade, Luís Krus, 1993
  • No Reino de Portugal (História de Portugal - Vol. II) (Infanto-juvenil), com Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada, 1994 ; 2003 Coja, 1995
  • Tempos de revolução (História de Portugal - Vol. III) (Infanto-juvenil), com Ana Maria Magalhães, Isabel Alçada, 1995
  • O reino dos mortos na Idade Média peninsular, ed. lit., 1996
  • A Identidade Nacional, 1998 ; 2003
  • A função social da História no mundo de hoje, 1999
  • A dignidade. Konis Santana e a resistência timorense, 2005
  • Portugal O Sabor da Terra, um retrato histórico e geográfico por regiões, com Suzanne Daveau e Duarte Belo. 1998; 2010

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Notas

  1. Publicada em 1968: Louvain, Publications Universitaires de Louvain (Recueil de travaux d’histoire et de philologie, 4.e série, Fascicule 39).
  2. Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas Presidência da República Portuguesa. Visitado em 2015-01-05. "Resultado da busca de "José João da Conceição Gonçalves Mattoso"."
Precedido por
Jorge Borges de Macedo
Director da Torre do Tombo
1996 - 1998
Sucedido por
Bernardo de Vasconcelos e Sousa
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um historiador é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.