Mário Cláudio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mário Cláudio
Mário Claúdio na Feira do Livro de 2019
Nome nativo Rui Manuel Pinto Barbot Costa
Nascimento 6 de novembro de 1941 (78 anos)
Porto, Portugal
Residência Porto
Cidadania Portugal
Alma mater Universidade de Coimbra

University College de Londres

Ocupação escritor, poeta, ensaísta
Período de atividade 1969 - presente
Prémios Grande Prémio de Romance e Novela da APE/DGLAB (1984, 2014)

Prémio Seiva de Literatura (1993)
Prémio P.E.N. Clube Português de Novelística (1998, 2007)
Prémio Pessoa (2004)
Prémio Clube Literário do Porto (2005)
Prémio Vergílio Ferreira (2008)
Prémio Fernando Namora (2008)
Prémio Autores de 2011

Género literário Ficção, Poesia, Teatro, livros infantis e ensaio
Magnum opus Amadeo

Mário Cláudio ComSEGCIH pseudónimo de Rui Manuel Pinto Barbot Costa, (Porto, 6 de novembro de 1941), é um escritor português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Proveniente de uma família burguesa, em criança vivia na zona da Boavista, no Porto[1].

Licenciado em Direito, é autor de obras de ficção, poesia, teatro, livros infantis e ensaio.

Em 2006, doou o seu espólio ao município de Paredes de Coura para a criação do Centro de Estudos Mário Cláudio.

Foi um dos principais signatários do Manifesto em Defesa da Língua Portuguesa Contra o Acordo Ortográfico de 1990, petição on-line que, entre Maio de 2008 (data do início) e Maio de 2009 (data da apreciação pelo Parlamento), recolheu mais de 115 mil assinaturas válidas[2].

Foi agraciado com os graus de Comendador da Antiga, Nobilíssima e Esclarecida Ordem Militar de Sant'Iago da Espada, do Mérito Científico, Literário e Artístico (9 de junho de 2000) e Grã-Cruz da Ordem do Infante D. Henrique (29 de agosto de 2019), ambos das ordens honoríficas portuguesas.[3]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Obras[editar | editar código-fonte]

Ficção[editar | editar código-fonte]

  • Um Verão Assim (1974)
  • As Máscaras de Sábado (1976)
  • Damascena (1983)
  • Improviso para Duas Estrelas de Papel (1983)
  • Amadeo (1984) - inspirado na vida do pintor Amadeo de Souza Cardoso
  • Guilhermina (1986)
  • Duas Histórias do Porto (1986)
  • A Fuga para o Egipto (1987)
  • Rosa (1988)
  • A Quinta das Virtudes (1990)
  • Tocata para Dois Clarins (1992)
  • Trilogia da Mão (1993)
  • Itinerários (contos, 1993)
  • As Batalhas do Caia (1995)
  • Dois Equinócios (contos, 1996)
  • O Pórtico da Glória (1997)
  • O Último Faroleiro de Muckle Flugga (1998)
  • Peregrinação de Barnabé das Índias (1998)
  • Uma Coroa de Navios (1998)
  • Ursamaior (2000)
  • O Anel de Basalto e Outras Narrativas (narrativas, 2002)
  • Oríon (romance, 2003)
  • Gémeos (romance, 2004)
  • Triunfo do Amor Português (2004)
  • Camilo Broca (2006)
  • O eixo da bússola (2007)
  • Boa Noite, Senhor Soares (2008)
  • Retrato de Rapaz (2014)
  • O Fotógrafo e a Rapariga (2015)
  • Astronomia (2015) - autobiografia
  • Os Naufrágios de Camões (2016)
  • A Alma Vagueante (2017)
  • Memórias Secretas (2018)

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Ciclo de Cypris (1969)
  • Sete Solstícios (1972)
  • Étimos e Alexandrinos (1973)
  • A Voz e as Vozes (1977)
  • Estâncias (1980)
  • Terra Sigillata (1982)
  • Dois Equinócios (1996)
  • Nas Nossas Ruas, ao Anoitecer (2001)
  • Os Sonetos Italianos de Tiago Veiga (2005)

Teatro[editar | editar código-fonte]

  • Noites de Anto (1988)
  • A Ilha de Oriente (1989)
  • Henriqueta Emília da Conceição (1997)
  • O Estranho Caso do Trapezista Azul (1998)resumo

Outras[editar | editar código-fonte]

  • Meu Porto
  • Fotobiografia de António Nobre
  • A Cidade num Bolso
  • Pintor e a Cidade
  • Páginas Nobrianas
  • Júlio Pomar - Um Álbum de Bichos
  • A bruxa, o poeta e o anjo (1996) - vencedor do Prémio Nacional de Ilustração (1997)

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre Personalidades, integrado no Projecto Grande Porto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.