Hixam II

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Hisham II al-Hakam)
Ir para: navegação, pesquisa
Hixam II
ھشام
3º / 7º Califa de Córdova
Dinar de Hixam II
Governo
Reinado 976–1009
Antecessor(a) Al-Hakam II
Sucessor(a) Maomé II de Córdoba
Dinastia Omíadas
Vida
Nome completo al-Ḥisham II ibn ʿAl-Hakam II
Nascimento 966, em Córdoba
Morte 19 de abril de 1013 (47 anos)
Pai Al-Hakam II
Mãe Subh

Hixam II[1] , Hixeme II[2] ou Híxem II[3] (em árabe: هشام المؤيد بالله) foi o terceiro califa de Córdoba da dinastia omíada, reinando entre 976 e 1009 e entre 1010-1013 no al-Andalus (a Espanha islâmica).

História[editar | editar código-fonte]

Hixam II sucedeu ao seu pai, al-Hakam II, como califa de Córdoba em 976, com dez anos de idade, com sua mãe Subh e o ministro Jafar al-Mushafi atuando como regentes. O general Galibe e Almançor conseguiram impedir que os eunucos do palácio colocassem um irmão de al-Hakam II ao trono. Subh, em retribuição, designou Almançor como tesoureiro do califado. O próprio Hixam II foi mantido longe do governo e não tinha nenhuma influência política, sendo forçado, em 997, a ceder oficialmente o poder para Almançor, que levou o califado à sua maior extensão territorial e às maiores vitórias sobre os reinos cristãos da península Ibérica.

Após a morte de Almançor em 1002, seu filho Abdal Malique (1002–1008) tomou o poder e assegurou sua posição no califado com uma campanha de sucesso contra Navarra e Barcelona antes de ser assassinado por Abderramão Sanchuelo (1008–1009). Em 1009, uma revolta popular liderada por Maomé II al-Madi depôs tanto Sanchuelo quanto Hixam II, este último aprisionado em Córdoba pelas forças do novo regime.

Os anos seguintes foram de rápidas mudanças na liderança como resultado das guerras entre os bérberes e os árabes, bem como tropas escravas lutando por Hixam II, com al-Mahdi perdendo o poder para Sulaiman al-Mustain - líder dos bérberes - em 1009 e reconquistando-o novamente em 1010. Finalmente, os escravos de Hixam II, sob o comando de al-Uadide, o restabeleceram como califa (1010-1013).

Hixam II agora estava sob a influência de seu general, al-Uadide, que foi incapaz de reconquistar o controle sobre as tropas bérberes - que ainda apoiavam Sulaiman - e a guerra civil continuava. Em 1013, os berberes tomaram Córdoba e saquearam a cidade. O destino de Hixam é incerto - supostamente ele teria sido morto em 13 de abril de 1013 pelos invasores. Após a sua morte, Sulaiman al-Mustain se tornou o novo califa.

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Sabe-se que Hixam, como seu pai, mantinha abertamente um harém composto exclusivamente de rapazes[4] .

Ver também[editar | editar código-fonte]

Hixam II
Precedido por:
Al-Hakam II
Califa de Córdoba
976–1009
Sucedido por:
Maomé II
Precedido por:
Sulaiman al-Mustain
Califa de Córdoba
1010–1013
Sucedido por:
Sulaiman al-Mustain

Referências

  1. Franca 1994, p. 105
  2. Domingues 1997, p. 170
  3. Alves 2014, p. 564
  4. Michael Gerli, Medieval Iberia: An encyclopaedia, 2003 Routledge

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Alves, Adalberto (2014). Dicionário de Arabismos da Língua Portuguesa Leya [S.l.] ISBN 9722721798. 
  • Domingues, José D. García (1997). Portugal e o Al-Andalus Hugin [S.l.] ISBN 9728310471. 
  • Franca, Rubem (1994). Arabismos: uma mini-enciclopédia do mundo árabe Fundação de Cultura Cidade do Recife [S.l.]