Imigração portuguesa no Reino Unido

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Portugal Luso-britânicos Reino Unido
Catarina de Aragão Catarina de Bragança David Ricardo
Grace Aguilar Piers Morgan Jay Kay
Mia Rose Ana Free Christian Ribeiro
População total

140,000[1]

Regiões com população significativa
Línguas
inglês · português
Religiões
católicos (maioria)
Grupos étnicos relacionados
Portugueses, Britânico

Luso-britânico ou português britânico é um britânico que possui ascendência portuguesa ou um português que reside permanentemente no Reino Unido.

População[editar | editar código-fonte]

De acordo com o censo britânico de 2011, havia 88 161 portugueses a residir no Reino Unido (um aumento 141% por cento, em 2001 eram 36 555 pessoas)[2] Estima-se que o número total de britânicos descendentes de portugueses ultrapasse os 500 000.[3][4]

Do total, quase metade dos portugueses residentes no Reino Unido estão estabelecidos na área metropolitana de Londres, especialmente nos bairros de Kensington, Chelsea, Westminster e Brent. Em Lambeth, o distrito sul de Londres, onde a Little Portugal (Londres) está localizada, o censo registou 6.992 emigrantes portugueses, o equivalente a 2,3% da população do distrito.

História[editar | editar código-fonte]

A primeira comunidade portuguesa no Reino Unido foi, na verdade, composta de pessoas de ascendência judaica secreta (conhecidos como cristãos-novos) que escaparam da perseguição em Portugal a partir do ano 1496. Isto levou à fundação de uma pequena comunidade judaica portuguesa secreta em Londres. Em 1550, havia cerca de uma centena de membros da comunidade judaica portuguesa em Londres. A comunidade judaica portuguesa de Londres sofreu um revés em 1609, quando foram oficialmente expulsos. No entanto, há evidências de que pelo menos alguns deles continuaram a viver em Londres.

O maior número de portugueses, no entanto, chegou ao Reino Unido na década de 1960 e 1970, durante o governo autoritário do estadista António de Oliveira Salazar. A partir de 1974, Portugal foi um dos países mais pobres da Europa Ocidental, até à adesão à União Europeia. A pressão sobre as oportunidades fez com que muitas vezes havia nenhuma alternativa para procurar trabalho no estrangeiro. Durante este período, muitos jovens também emigraram para evitar o serviço militar, sendo que na época Portugal travava uma guerra colonial, na tentativa de manter as suas províncias ultramarinas de Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe. Muitos portugueses vieram a partir de seus antigos territórios ultramarinos na África e Macau e antigos territórios britânicos na Guiana e Hong Kong.

Luso-britânicos famosos[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências