Luso-africanos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde fevereiro de 2013).
Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde fevereiro de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Luso-africano
Portugal Angola África do Sul Moçambique
Mia Couto.jpg
Mariza.jpgWayne ferreira.jpg
Mia Couto •José Eduardo Agualusa
Mariza •Wayne Ferreira
População total

Luso-africano
474.355

Regiões com população significativa
 África do Sul 400.000 [1]
 Angola 140,000 [2]
 Moçambique 22.090 [3]
Outros países da África  ?
Línguas
português • inglês • africâner
Religiões
Cristianismo (maioria filiada ao Catolicismo Romano)  • outras
Grupos étnicos relacionados
portugueses • brasileiros •galegos •africanos

Luso-africanos são pessoas de origem portuguesa que nasceram em África ou então pessoas que nasceram em Portugal mas passaram boa parte de suas vidas em terras africanas. O termo "luso-africano" não deve ser confundido com afro-português ou afro-lusitano, uma vez que esses termos são usados para designar o português de ancestralidade negro-africana. O maior comunidade portuguesa que vive no continente africano encontra-se na África do Sul (algo em torno de 1 milhão), enquanto que importantes minorias vivem na Namíbia e nos países de língua portuguesa da África (Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e São Tomé e Príncipe).

Guiné-Bissau se tornou um país independente em 1974, seguido pelo resto das colônias em 1975. A maior parte dos colonos portugueses voltou a Portugal, onde eram chamados de retornados. Alguns migraram para outros países como África do Sul, Malawi, Namíbia e Zimbabwe bem como Brasil e Estados Unidos da América.

Quando a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa foi fundada em 1996, alguns portugueses e um número de luso-brasileiros chegaram a pedir ajuda económica e educacional para os países africanos de língua portuguesa. Alguns desses portugueses adotaram a África como sua residência permanente.

A maioria dos luso-africanos são luso-sul-africanos, e a maior parte é resultante da migração direta de Portugal, nomeadamente da ilha da Madeira.

Luso-africanos notáveis[editar | editar código-fonte]

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]