Infinitivo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lang-pt.gifGnome-globe.svg
Esta página ou seção está redigida sob uma perspectiva principalmente lusófona e pode não representar uma visão mundial do assunto.
Por favor aperfeiçoe este artigo ou discuta este caso na página de discussão.

Na gramática, infinitivo é uma das três formas nominais do verbo, sendo aquela com a qual verbo se apresenta naturalmente, sem qualquer conjugação.[1] Corresponde ao lema do verbo, encabeçando sua entrada em dicionários e enciclopédias. Transmite ideia de uma ação ou estado, porém sem vinculá-la a um tempo, modo ou pessoa específica.[2]

Na língua portuguesa, além do infinitivo não flexionado ou infinitivo impessoal, também existe o infinitivo flexionado por pessoa, chamado de infinitivo pessoal.[3]

Infinitivo impessoal[editar | editar código-fonte]

O infinitivo impessoal é formado de maneira invariável e não está relacionado a nenhuma pessoa.[3]

Exemplo: cantar, sofrer, partir.

Uso[editar | editar código-fonte]

Costuma-se usar o infinitivo impessoal quando:[4]

  • refere-se a uma ideia genérica, sem sujeito determinado;
Sair é preciso.
Pessoal, sair!
Vocês têm o direito de sair quando quiserem.
  • em locuções verbais;
Quero sair daqui.
  • quando o sujeito do verbo no infinitivo é o mesmo do da oração anterior;
Estamos dispostos a sair.
  • quando o verbo no infinitivo preceder ou estiver distante do verbo da oração principal, ele poderá ser flexionado;
Ao sairmos, estaremos livres.
Eles fizeram a prova apressadamente para saírem mais cedo da escola.
  • com os verbos causativos "deixar", "mandar", "fazer" e sinônimos que não formem locuções verbais;
Mandei-os sair.
  • com os verbos sensitivos "ver", "ouvir", "sentir" e sinônimos;
Ouvi os passarinhos sair em debandada.

Infinitivo pessoal[editar | editar código-fonte]

O infinitivo pessoal é formado a partir do infinitivo impessoal, adicionando-se as desinências iguais às do futuro do subjuntivo: -, -es, -, -mos, -des, -em. Por isso, nos verbos regulares esses dois tempos se confundem.[5]

Exemplo: cantar, cantares, cantar, cantarmos, cantardes, cantarem.

Uso[editar | editar código-fonte]

Costuma-se usar o infinitivo pessoal quando:[5]

  • refere-se a um sujeito próprio, diferente do da oração principal;
Para conseguirmos sair, alguém precisa destrancar a porta.
  • o sujeito a que se refere é expresso antes do infinitivo;
Para nós conseguirmos sair, precisamos abrir a porta.
  • o sujeito é indeterminado na terceira pessoa do plural.
Para conseguirem sair, devem abrir a porta.
  • em ação recíproca ou reflexiva;
Depois das portas abrirem-se, poderemos sair.

Referências

  1. «Formas nominais do verbo». Conjugação de Verbos. 7graus. Consultado em 31 de dezembro de 2016 
  2. «O uso do infinitivo». Globo. Consultado em 3 de novembro de 2013 
  3. a b «Emprego do Infinitivo Impessoal e Pessoal». Só Português. Virtuous. Consultado em 23 de dezembro de 2016 
  4. «Emprego do Infinitivo Impessoal e Pessoal». Só Português. Virtuous. Consultado em 23 de dezembro de 2016 
  5. a b «Infinitivo Pessoal». Só Português. Virtuous. Consultado em 23 de dezembro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikcionário Definições no Wikcionário
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros