John Graz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

John Louis Graz (Genebra, 12 de abril de 1891São Paulo, 27 de outubro de 1980) foi um pintor, ilustrador, decorador, escultor e artista gráfico.

John Graz (1891-1980)

Biografia[editar | editar código-fonte]

John Louis Graz (Genebra, Suíça 1891 - São Paulo SP 1980). Pintor, decorador, escultor e artista gráfico. Ingressa no curso de arquitetura, decoração e desenho da Escola de Belas Artes de Genebra em 1908, onde é aluno de Eugène Gilliard (1861 - 1921), Gabriel Vernet e Daniel Baud-Bovy (1870 - 1958). É discípulo também de Edouard Ravel, com quem aprende uma multiplicidade de técnicas e estilos. De 1911 a 1913, na Escola de Belas Artes de Munique, estuda decoração, design e publicidade com Carl Moos (1873 - 1959). Retorna à Escola de Belas Artes de Genebra, onde permanece de 1913 a 1915, período em que passa boa parte do tempo em companhia dos irmãos Regina Gomide (1897 - 1973) e Antonio Gomide (1895 - 1967). Viaja a Paris, onde se familiariza com o trabalho de Paul Cézanne (1839 - 1906) e entra em contato com o cubismo, o fauvismo e o futurismo. Recebe, por duas vezes, a Bolsa Lissignol e parte para estudos na Espanha. De volta a Suíça, realiza vários trabalhos como ilustrador. Em 1920, vem para o Brasil e, nesse mesmo ano, casa-se em São Paulo com Regina Gomide. Por intermédio de Oswald de Andrade (1890 - 1954) o casal passa a fazer parte da vida intelectual da cidade. Graz participa da Semana de Arte Moderna de 1922, expondo sete obras. No mesmo ano tem um de seus trabalhos publicados na revista Klaxon, 7ª edição. Em 1923, trabalha com o arquiteto Gregori Warchavchik (1896 - 1972). Projeta e executa a decoração de residências paulistanas, desenhando móveis, luminárias, afrescos, vitrais, maçanetas, banheiros e jardins. Torna-se sócio-fundador daSociedade Pró-Arte Moderna - SPAM, em 1932. Ainda nos anos de 1930, produz inúmeras capas da revista Ilustração Artística do Brasil e forma o Grupo 7 com Regina Graz, Antonio Gomide, Elisabeth Nobiling (1902 - 1975), Rino Levi,Victor Brecheret (1894 - 1955) e Yolanda Mohalyi (1909 - 1978).

Entre 1908 e 1911, John Graz freqüenta cursos de arquitetura, decoração e desenho na Escola de Belas Artes, em Genebra, onde é aluno de Eugène Gilliard (1861 - 1921) e Daniel Baud-Bovy (1870 - 1958). Em seguida, inscreve-se na Escola de Belas Artes de Munique e estuda com o artista gráfico Carl Moos (1873 - 1959). Em viagem a Paris, conhece o escultor Victor Brecheret (1894 - 1955). Em 1913, retorna a Genebra, onde finaliza seus estudos na Escola de Belas Artes. Recebe, por duas vezes, a bolsa Lissignol, que permite sua ida para a Espanha. Nesse país, realiza grandes paisagens, que revelam seu interesse pelas obras de Paul Cézanne (1839 - 1906) e, principalmente, de Ferdinand Hodler (1853 - 1918).

Em Genebra, desenha vitrais e faz ilustrações para cartazes publicitários. Trava amizade com o escritor Sérgio Milliet (1898 - 1966) e conhece Regina Gomide (1897 - 1973) e seu irmão, Antonio Gomide (1895 - 1967), colegas na Escola de Belas Artes. Noivo de Regina, vem ao Brasil em 1920 e casa-se. Integra-se ao grupo modernista de São Paulo, constituído por Anita Malfatti (1889 - 1964), Di Cavalcanti (1897 - 1976), Brecheret e Mário de Andrade (1893 - 1945), entre outros. Em 1922, participa da Semana de Arte Moderna com sete telas. Faz ilustrações para a revista Klaxon, primeiro periódico modernista.

A partir de 1923, executa projetos de decoração de residências: cria inúmeros vitrais e realiza design de móveis e peças como portas, fechaduras, luminárias, tapetes e afrescos. É considerado, com Regina e Antonio Gomide, um dos introdutores do estilo art déco em São Paulo. Trabalha com Gregori Warchavchik (1896 - 1972), recém-chegado ao país, decorando as casas projetadas pelo arquiteto russo. Em 1925, Graz apresenta em São Paulo móveis tubulares, feitos de canos metálicos e laminados de madeira, com formas geometrizadas. Dotado de grande conhecimento técnico e fabril, acompanha pessoalmente a produção das peças no Liceu de Artes e Ofícios, onde conta com a colaboração de Federico Oppido (1877 - 1950). É inovador na decoração de ambientes. Ao projetar os móveis, prevê sua distribuição no espaço e sua relação com painéis, vitrais e afrescos. A integração dos elementos é uma característica das casas decoradas por Graz: a mesma proposta estende-se dos painéis pintados aos móveis, objetos e iluminação. A residência Cunha Bueno (Jardim América) é exemplo do seu pioneirismo: para a decoração, o artista elabora inclusive o desenho geométrico do piso dos jardins. Infelizmente, a incipiência da indústria brasileira impossibilita a transformação dos protótipos de autoria de John Graz em utensílios produzidos em larga escala.

O Instituto John Graz[editar | editar código-fonte]

Fruto do empenho de Annie Graz, o Instituto John Graz é uma instituição sem fins lucrativos fundada em 2005. O Instituto tem como missão preservar, estudar e difundir a obra do artista John Graz em suas diversas influências estéticas e nas suas relações com a sociedade brasileira ampliando sua discussão nos âmbitos artísticos, educacionais, acadêmicos e profissionais – e, por consequência, na sociedade como um todo.

O Instituto John Graz busca, ao difundir e consolidar a obra do artista, diluir as fronteiras estabelecidas entre as artes plásticas e o design, além de contribuir para a preservação do patrimônio cultural, assim como para a ampliação do repertório cultural da sociedade brasileira.

O Instituto atua a partir de três eixos de atuação: cultural, educacional e social.

Cultural:

- Realiza pesquisa, conserva e documenta a obra do artista;

- Resgata e difunde os princípios de atuação do artista, como sua contribuição para a formação, valorização e reconhecimento da identidade cultural brasileira;

- Executa e apóia a produção de reedições de obras do artista como móveis, luminárias, gravuras, relevos, objetos, jóias, esculturas e fotografias;

- Estimula a releitura e a interpretação da obra de John Graz através de artistas contemporâneos;

- Apoia a confecção de publicações individuais e coletivas, visando a difusão de uma obra que considera essencial e, portanto, necessário o seu conhecimento pelo público.

Educacional:

- Desenvolve e apóia a realização de materiais e outras atividades em torno de John Graz e sua obra;

- Estimula a criação e difusão de cursos, palestras e oficinas nas áreas das artes plásticas, design, arquitetura de interiores e afins.

- Nas exposições, o Instituto John Graz busca, sempre que possível, organizar visitas para alunos e professores de escolas públicas e particulares, guiadas por arte-educadores especializados que trazem elementos e fazem conexões para compor um aprendizado interdisciplinar.

- Aproximar públicos de todas as faixas etárias e classes sociais e ampliar o (re)conhecimento do trabalho do artista como fonte referencial da história das artes plásticas e do design brasileiros é parte fundamental de nosso trabalho.

Social:

- Disponibiliza o acesso à obra do artista por meios eletrônicos e impressos: através do rico acervo disponibilizado no site do Instituto; através dos catálogos das exposições, que contêm imagens em alta qualidade e textos críticos, e são, sempre que possível, distribuídos ou cedidos gratuitamente; assim como através da participação de exposições individuais e coletivas, em geral gratuitas;

- Colabora com projetos nas áreas de artes plásticas, design, arquitetura de interiores e correlatas que visem a inclusão social;

- Dialoga com outras instituições, sempre em busca de parcerias que estimulem o interesse pelas artes por parte da sociedade, pensando a Arte como um forte instrumento de mudança.

Site[editar | editar código-fonte]

Com o intuito de disponibilizar parte do acervo digitalizado do artista, o Instituto John Graz criou um site que serve como plaforma de conteúdo para pesquisadores, artistas, galeristas, leiloeiros, estudantes e outros públicos interessados na produção de John Graz.

Além do acervo disponível para acesso e pesquisa através de um sistema de busca por categorias como tema, área, década e técnica, o endereço eletrônico compila textos sobre a obra do artiste feito por pesquisadores das áreas de design e artes plásticas. É disponibilizada a sua biografia e cronologia de sua produção no menu "John Graz".

Para as pessoas que tem alguma obra do artista e querem um certificado de autenticidade, é possível realizar o pedido pelo menu "certificação".

No caso de interesse por adquirir reedição de algumas obras do artista, na área de design, ver o menu "reedição de obras".

Acesse esse conteúdo no endereço: http://institutojohngraz.org.br

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • AMARAL, Aracy A. Artes plásticas na Semana de 22. São Paulo: Editora 34, 1998. p.187-196.
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) pintor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.