Jorge Luís Rocha de Paula

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Jorge Luís Rocha de Paula, o Rocha, (Rio de Janeiro, 28 de outubro de 1958Rio de Janeiro, 14 de setembro de 1995) foi um jogador de futebol brasileiro.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Jogando na posição de volante, foi revelado pelo Olaria, em 1978, atuando posteriormente por Campo Grande, Bahia, Botafogo-RJ, Palmeiras, XV de Piracicaba, Juventus-SP e Vila Nova-GO, além da Seleção Brasileira, quando foi convocado para um amistoso por Telê Santana contra a Bulgária, em Porto Alegre, em outubro de 1981. Ele entrou no lugar de Toninho Cerezo, na vitória brasileira por 3 a 0. Ainda atuou na Seleção Brasileira de Masters, comandada por Luciano do Valle.

Os cabelos loiros e abundantes eram a grande marca desse jogador. Muito esforçado, conhecido pela raça e a dedicação em que encarava cada partida, Rocha não conquistou muitos títulos em sua carreira porque pegou fases ruins nas equipes que defendeu, especialmente o Palmeiras e o Botafogo, que estavam há anos sem conseguir títulos.

Permaneceu na equipe do Parque Antártica de 1982 a 1985. É considerado um grande ídolo do alviverde paulista durante um período dificil de sua história. Atuou em 199 partidas (79 vitórias, 77 empates, 43 derrotas) e marcou apenas um gol, como consta no Almanaque do Palmeiras, de Celso Dario Unzelte e Mário Sérgio Venditti.

Esteve próximo de disputar uma final de Brasileiro pelo Botafogo, time pelo qual estreou no dia 31 de agosto de 1980 na derrota contra o Fluminense por 4x0 pelo Campeonato Estadual. Pelo Clube da Estrela Solitária atuou em 97 partidas e assinalou 2 gols. O volante fez uma boa partida contra o São Paulo, mas o Tricolor Paulista, do inspirado Éverton, levou a melhor no jogo válido pela semifinal do Brasileirão, de 1981, jogo que ficou marcado pela arbitragem, que foi coagida pelos seguranças do tricolor, favorecendo consequentemente a equipe paulista. O São Paulo passou pelo Fogão e perdeu para o Grêmio, o campeão daquele ano.

No Botafogo, Rocha atuou com jogadores de renome, como o meia Mendonça e o zagueiro Osmar. No Palmeiras, teve a oportunidade de jogar com o ponta Jorginho e os zagueiros Luís Pereira e Vágner.

No Juventus teve o prazer de ser campeão paulista do Torneio Início de 1986. O clube da Mooca tinha ainda outros experientes jogadores, entre eles, o goleiro Barbirotto (ex-São Paulo), o zagueiro Juninho (ex-Ponte Preta e Corinthians) e o meia Gatãozinho (ex-São Bento e XV de Piracicaba).

Faleceu relativamente jovem, vítima de leucemia.

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • UNZETE, Celso Dario Unzelte & Venditti, Mário Sérgio. Almanaque do Palmeiras. São Paulo: editora abril, 2004.