Jorge de Sousa Braga

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Jorge de Sousa Braga
Nascimento 23 de dezembro de 1957 (64 anos)
Cervães, Vila Verde, Portugal
Nacionalidade português
Cônjuge Maria da Graça Braga
Prémios Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens[1]

Prémio Autores 2021 de Melhor Livro de Poesia

Género literário Poesia
Movimento literário Pós-modernismo
Magnum opus De manhã vamos todos acordar com uma pérola no cu

Jorge Sousa Braga (Cervães, 23 de dezembro de 1957) é um poeta, tradutor e médico obstetra português.[2]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Plano para salvar Veneza, 1981
  • De manhã vamos todos acordar com uma pérola no cu, 1983
  • A greve dos controladores de voo, 1984
  • Boca do inferno, 1987
  • Os pés luminosos, 1987
  • O poeta nu, 1991, 1997, 2007 (poesia, compilação de livros anteriores)
  • O vinho e as rosas, 1995 (antologia)
  • Fogo sobre fogo, 1998 (poesia)
  • Herbário, 1999 (poesia), Grande Prémio Gulbenkian de Literatura para Crianças e Jovens[1]
  • A ferida aberta, 2001 (poesia)
  • Pó de estrelas, 2004
  • Porto de abrigo, 2005
  • Diário de bordo, 2011 (antologia bilíngue português-espanhol, traduzida por Diego Valverde Villena)
  • O Novíssimo Testamento, 2012
  • A matéria escura e outros poemas, 2021 (poesia), Prémio Autores na categoria de melhor livro de poesia[3]

Traduções das obras de[editar | editar código-fonte]

Prémios[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «As árvores e os livros». Instituto Camões. Consultado em 11 de fevereiro de 2016 
  2. «Jorge de Sousa Braga». Dicionários Porto Editora. Infopédia 
  3. spautores (25 de novembro de 2021). «PRÉMIO AUTORES 2021 | VENCEDORES |». www.spautores.pt. Consultado em 27 de março de 2022 
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.