Lito Vidigal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lito Vidigal
Treinador de futebol
Informações pessoais
Nome completo José Carlos Fernandes Vidigal
Data de nasc. 11 de julho de 1969 (48 anos)
Local de nasc. Luanda,  Angola
Altura 1,89 m
Informações profissionais
Equipa atual Vitória de Setúbal
Clubes profissionais
Seleção nacional
Times/Equipas que treinou

José Carlos Fernandes Vidigal (Luanda, 11 de julho de 1969), conhecido por Lito Vidigal, é um treinador de futebol e ex-futebolista angolano. Atualmente, treina o Vitória de Setúbal.

Carreira[editar | editar código-fonte]

No final da época 2007/2008 mudou-se do Ribeirão, clube que disputou a II Divisão e assumiu o comando técnico do Clube de Futebol Estrela da Amadora.[2]

Ainda em Novembro da época 2008/2009 demitiu-se do cargo que ocupava devido ao ambiente que se vivia no clube por vários meses de salários em atraso.[3]

Em Fevereiro de 2009 foi anunciado como novo treinador do Portimonense[4], após a saída de Vítor Manuel, altura em que a equipa ocupava o 13º lugar da Liga Vitalis 2008/2009.

No final de Outubro de 2009 deixou o Portimonense para treinar uma equipa da Liga Sagres, a União de Leiria.[5]

Na época de 2014/2015, foi o treinador do Belenenses.

Em Maio de 2015, com a cessação de funções de Pedro Emanuel[6], o Futebol Clube de Arouca contrata Lito Vidigal para a época de 2015/2016[7], tendo sido a melhor época realizada, até hoje (2016), pelo Futebol Clube de Arouca. A 7 de Maio de 2016, o Futebol Clube de Arouca garantiu, pela primeira vez, orientado por Lito Vidigal, num facto inédito da história deste clube de futebol nortenho, da Área Metropolitana do Porto e da Região do Norte (sediado na Vila de Arouca, no vale do rio Arda), o acesso à Liga Europa da UEFA, a uma jornada de terminar a Liga portuguesa[8].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Angola em 1969. A sua família vivia numa quinta na zona do actual Lubango, perto da fronteira com a Namíbia. O seu pai era carpinteiro mas também fazia criação de gado e agricultura. A mãe trabalhava na quinta e tomava conta dos filhos, que em Angola eram 12 irmãos - depois ainda nasceu mais um, já no Alentejo.

Devido à guerra, a família fugiu para a Namíbia em 1975 e depois veio para Portugal. Mandaram-nos para Vidago, perto de Chaves. Depois mudaram-se para Elvas, em 1976. Os seus pais tinham amigos em Elvas e por influência deles foram para lá. O seu pai trabalhou na câmara como carpinteiro.[9]

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre um treinador de futebol é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.