José Leite Nogueira Pinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

José Leite Nogueira Pinto CvCComNSC (Matosinhos, Leça da Palmeira, 1875 - ?), 1.º Conde de Leça, foi um advogado e diplomata português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Bacharel formado em Direito na Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, entrou em 1901, por concurso, para o Ministério dos Negócios Estrangeiros, e foi colocado como Adido na Legação de Portugal em Roma, Itália, no Palácio do Quirinal. De Roma foi transferido, com a categoria de Secretário, para a Legação em Londres, Grã-Bretanha e Irlanda, e depois para a de Paris, França, onde esteve de 1907 a 1910. Após a Proclamação de Implantação da República Portuguesa pediu a demissão e abandonou a carreira diplomática.[1]

Foi Cavaleiro[2] da Ordem Militar de Cristo como Advogado no Porto a 6 de Março de 1902 (Diário do Governo, n.º 118, 28 de Maio de 1902),[3] Comendador da Ordem de Nossa Senhora da Conceição de Vila Viçosa como Bacharel a 18 de Dezembro de 1902 (Diário do Governo, n.º 38, 18 de Fevereiro de 1903),[4] Cavaleiro da Ordem Nacional da Legião de Honra de França e Cavaleiro da Ordem da Coroa de Itália.[1][5]

O título de 1.º Conde de Leça foi-lhe concedido em sua vida como Bacharel por D. Carlos I de Portugal por Alvará de 16 e Decreto e Carta de 28 de Julho de 1906 (Diário do Governo, n.º 197, 3 de Setembro de 1906 e Arquivo Nacional da Torre do Tombo, Mercês de D. Carlos I, L. 23, fl. 123v), e teve Alvará do Conselho de Nobreza de Duarte Nuno de Bragança de 30 de Abril de 1947.[1][6]

Casamento[editar | editar código-fonte]

Casou com Maria Inês Pereira Guimarães, sem geração.[1]

Referências

  1. a b c d "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, p. 684
  2. "Nobreza de Portugal e do Brasil", Direcção de Afonso Eduardo Martins Zúquete, Editorial Enciclopédia, 2.ª Edição, Lisboa, 1989, Volume Segundo, p. 684 diz ter sido Comendador.
  3. "Mercês Honoríficas do Século XX (1900-1910)", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz, Guarda-Mor, 1.ª Edição, Lisboa, 2012, p. 168
  4. "Mercês Honoríficas do Século XX (1900-1910)", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz, Guarda-Mor, 1.ª Edição, Lisboa, 2012, p. 216
  5. Estas duas Mercês não constam de "Mercês Honoríficas do Século XX (1900-1910)", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz, Guarda-Mor, 1.ª Edição, Lisboa, 2012
  6. "Mercês Honoríficas do Século XX (1900-1910)", Jorge Eduardo de Abreu Pamplona Forjaz, Guarda-Mor, 1.ª Edição, Lisboa, 2012, p. 25