José Pedro Goulart

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

José Pedro Goulart (Porto Alegre, 20 de Dezembro de 1959) é um cineasta e publicitário brasileiro.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formado em Jornalismo pela Unisinos (1982), José Pedro Goulart trabalhou na TVE-RS, onde chegou muito jovem a diretor de programação (1985).

Largou a televisão no ano seguinte, para se dedicar à realização de filmes de curta-metragem, inicialmente em co-direção com Jorge Furtado. Foi um dos fundadores da Casa de Cinema de Porto Alegre e participante da chamada "Primavera do Curta", quando o cinema brasileiro passava por uma grave crise ao mesmo tempo em que os curtas nacionais ganhavam dezenas de prêmios em festivais no exterior. Seu O Dia em que Dorival Encarou a Guarda, dirigido em parceria com Jorge Furtado, por exemplo, foi premiado nos festivais de Havana e Huelva, além de Gramado. Como integrante da Casa de Cinema, Goulart foi produtor associado dos curtas Barbosa e Ilha das Flores.

Em 1991, durante o período Collor, José Pedro desligou-se da Casa de Cinema para criar a Zeppelin Filmes, que em seguida tornou-se a maior produtora de publicidade da região sul do Brasil, além de realizar curtas e documentários. Como publicitário, José Pedro já foi premiado seis vezes como diretor do ano pelo Salão da Propaganda do Rio Grande do Sul; em 2004, recebeu o Prêmio Folha/Meio & Mensagem como o diretor de publicidade mais premiado do Brasil.

Seu curta O Pulso (1997) recebeu prêmios de melhor filme nos festivais de Palm Springs, Gramado, Rio de Janeiro, Cuiabá e Vitória, além de melhor roteiro em Brasília. Foi também co-roteirista e produtor do curta O Branco (2000, de Liliana Sulzbach e Ângela Pires), premiado em diversos festivais nacionais e internacionais.[2] Na Zeppelin, produziu ainda o documentário O Cárcere e a Rua (2004), de Liliana Sulzbach, premiado em Gramado e no forum.doc de Belo Horizonte [3] e o curta-metragem Vera Lúcia (2006), de Diego de Godoy.

Desde 2001 foi cronista de cultura do jornal Zero Hora; suas crônicas quinzenais foram reunidas em três livros já publicados pela Editora L&PM. Desde 2007, é também colunista do Terra Magazine.[4]

Em 2007, José Pedro fez a direção geral do DVD Tangos & Tragédias, fixando um sucesso de mais de 20 anos dos palcos de Porto Alegre.[5] Em 2008, dirigiu o espetáculo musical "Onde está o amor?", do cantor Nico Nicolaiewsky, que estreou em Porto Alegre no mês de março, no Teatro do Bourbon Country, e foi reapresentado em novembro no Theatro São Pedro.[6]

Ainda em março de 2008, desligou-se da Zeppelin e em outubro anunciou a abertura da empresa Mínima, focada em produção de conteúdo para mídias não tradicionais.[7] Atualmente, sob a supervisão de José Pedro Goulart, a Mínima desenvolve os projetos das séries para TV Elvis e o cometa[8] e A princesa do coração gelado.[9] Prepara também seu primeiro projeto de longa-metragem.

José Pedro Goulart foi casado com a atriz Ana Maria Mainieri, com quem tem uma filha, Paris (2003).

Filmografia[editar | editar código-fonte]

como diretor
como produtor
  • 2006: "Vera Lúcia" (curta)
  • 2005: "O Continente de Erico" (especial TV)
  • 2004: "O Cárcere e a rua" (documentário)
  • 2002: "Travessia" (especial TV)
  • 2002: "História natural" (curta)
  • 2000: "Sul sem fronteiras (especial TV)
  • 2000: "O Branco" (curta)

Livros publicados[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Perfil no Portal da Propaganda». Consultado em 15 de fevereiro de 2009 
  2. «Perfil no "Quem é quem" da FilmeB». Consultado em 15 de fevereiro de 2009 
  3. «Página do filme "O Cárcere e a rua" no sítio Adorocinema». Consultado em 2 de fevereiro de 2010 
  4. «Coluna de José Pedro Goulart no Terra Magazine». Consultado em 15 de fevereiro de 2009 
  5. «"Tangos e tragédias já pode ser visto em DVD"». Consultado em 2 de fevereiro de 2010 
  6. «"Onde está o amor?" - sítio oficial do espetáculo». Consultado em 15 de fevereiro de 2009 
  7. «"Dupla amadora do que faz", matéria do ClicRBS de 20/10/2008». Consultado em 15 de fevereiro de 2009 
  8. «Matéria do jornal Zero Hora sobre a produção de "Elvis e o cometa"». Consultado em 2 de fevereiro de 2010 
  9. «Página da TV Cultura sobre a série "A Princesa do coração gelado"». Consultado em 2 de fevereiro de 2010