Juçara Marçal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Juçara Marçal
Nome completo Juçara Marçal Nunes
Nascimento 27 de janeiro de 1962 (60 anos)
Duque de Caxias, RJ
Nacionalidade brasileira
Ocupação Cantora, professora

Juçara Marçal Nunes (Duque de Caxias, 27 de janeiro de 1962) é uma cantora e professora brasileira, conhecida tanto pelo seu trabalho nos grupos Vésper Vocal, A Barca e Metá Metá, como pela carreira solo.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nascida em 1962, Juçara Marçal começou sua carreira artística em 1990 com a Companhia Coral, que fundia música e teatro sob a regência do maestro Samuel Kerr.[1]

Em 1991, ingressou no grupo vocal feminino Vésper, que lançou três discos: Flor D’Elis (1998), produzido por André Magalhães, 180 anos de samba cantando Adoniran e Noel (2002) e Ser tão paulista (2004), por Magro Waghabi.[1]

Em 1998, participou como cantora na formação da banda A Barca, que lançou quatro discos: Turista aprendiz (2000), Baião de princesas (2002), Trilha, toada e trupe (2006) e Turista aprendiz (2010).[1]

Formou-se em jornalismo e letras pela Universidade de São Paulo, onde defendeu em 2000 sua dissertação de mestrado sobre o escritor Pedro Nava.[2]

Lecionou canto no curso superior de teatro da Universidade Anhembi Morumbi e realizou oficinas para grupos. Também é professora de língua portuguesa.[1]

Em 2008, além dos discos gravados com bandas, Marçal também lançou em parceria com Kiko Dinucci o disco Padê.[3] Em 2011, 2012 e 2016, lançou três álbuns com o trio Metá Metá (com Dinucci e Thiago França).[2][4]

No começo de 2014, lançou seu primeiro álbum solo, Encarnado,[5] que ganhou destaque na crítica especializada[2][6][7] e o prêmio de Música Compartilhada, por júri especializado, no Prêmio Multishow, recebido por Criolo.[8]

Em outubro, regravou duas músicas de Isaura Garcia para o especial Cantoras do Brasil, do Canal Brasil, da Rede Globo.[9] Em novembro, foi lançada sua participação com Criolo na canção Fio de Prumo (Padê Onã), do álbum Convoque seu Buda.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Ano Detalhes do Álbum
2008 Padê (em parceria com Kiko Dinucci)
2014 Encarnado
2015 Anganga (em parceria com Cadu Tenório)
2021 Delta Estácio Blues

Referências

  1. a b c d «Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira - Juçara Marçal». Consultado em 7 de julho de 2016 
  2. a b c «A finitude inspira o primeiro disco solo de Juçara Marçal - Cultura - Estadão». Consultado em 7 de julho de 2016 
  3. «Eu recomendo: Padê - Juçara Marçal, Kiko Dinucci». tratore.com.br. Consultado em 7 de julho de 2016 
  4. «"MM3": o novo disco do Metá Metá finalmente está disponível». 27 de maio de 2016. Consultado em 7 de julho de 2016 
  5. «Juçara Marçal abre ferida em disco solo 'Encarnado' - 21/03/2014 - Ilustrada - Folha de S.Paulo». www1.folha.uol.com.br. Consultado em 7 de julho de 2016 
  6. «Hot list – março – Juçara Marçal». Rolling Stone. Consultado em 8 de novembro de 2014 
  7. Eça, Alexandre (24 de fevereiro de 2014). «LANÇAMENTO: Rigorosa, Juçara Marçal faz de Encarnado um álbum de incômoda beleza». Música Estática. Consultado em 16 de novembro de 2016 
  8. «MÚSICA COMPARTILHADA (Júri Especializado): Juçara Marçal - Encarnado - Prêmio Multishow 2014 - Especiais - MULTISHOW». MULTISHOW. Consultado em 7 de julho de 2016 
  9. «Juçara Marçal canta Isaura Garcia». Consultado em 7 de julho de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]