Língua nihali

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Nihali
Falado em: Índia
Região: Jalgaon (Jamod), divisa entre Maharashtra e Madhya Pradesh
Total de falantes: 2 mil dentre 5 mil da etnia (2007) - [1]
Família: Língua isolada
 Nihali
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: ---
ISO 639-3: nll

Nihali, também chamado Nahali ou erroneamente Kalto, é uma língua isolada que está em perigo de extinção falada no centro-oeste [Índia] (em [[Madhya Pradesh] e Maharashtra) por cerca de 2 mil pessoas em 1991 numa população étnica de 5 mil pessoas.[2] A área tribal de Nihali fica ao sul do rio Tapti, ao redor da vila de Tembi no distrito de Nimar (distrito de [Burhanpur]]) de Madhya Pradesh..[3] Os falantes da língua Nihali também estão presentes em várias aldeias do distrito de Buldhana em Maharashtra, como Jamod, Sonbardi, Kuvardev, Chalthana, Ambavara, Wasali e Cicari. Existem diferenças dialetais entre as variedades Kuvardev-Chalthana e Jamod-Sonbardi.[4]

A língua possui um número muito grande de palavras adotadas em línguas vizinhas, com 60 a 70% aparentemente retiradas da língua korku (25% do vocabulário e grande parte de sua morfologia), das línguas dravídicas, e do Marata, mas grande parte do seu vocabulário principal não pode ser relacionado a eles ou a outros idiomas, como os numerais e as palavras "sangue" e "ovo". Os estudiosos afirmam que menos de 25% do vocabulário original do idioma é usado hoje.[4] Não há mais falantes monolíngues sobreviventes do idioma. Aqueles versados no Nihali moderno provavelmente também falam variedades de hindi, marathi ou korku..[5]

Durante séculos, a maioria dos Nihali trabalhou frequentemente como trabalhadores agrícolas para falantes de outras línguas que não a sua. Em particular, os trabalhadores de Nihali frequentemente trabalham para membros do povo Korku e eram frequentemente bilíngues na língua Korku. Por causa disso, Nihali às vezes é usado por seus falantes apenas para impedir que falantes nativos de Korku e outros estrangeiros os entendam.[6]

Localização do Nihala

Pesquisas[editar | editar código-fonte]

Franciscus Kuiper foi o primeiro a sugerir que Nihali pode não estar relacionado a qualquer outra língua indiana, com o vocabulário principal não-Korku e não-dravidiano sendo o remanescente de uma população anterior na Índia. No entanto, não descarta que possa ser uma língua munda, como o Korku. Kuiper sugeriu que Nihali pode diferir das línguas da vizinhança, como o Korku, principalmente em sua função de gíria, como um cant de ladrões.[3] Kuiper's As afirmações decorrem, em parte, do fato de que muitos grupos oprimidos na Índia usaram línguas secretas para impedir que pessoas de fora as entendam..[7]

O linguista Norman Zide descreve a história recente do idioma da seguinte forma:

"Os empréstimos (termos de origem externa) de Nihali são muito mais massivos do que em exemplos de palavras de empréstimo presentes na externa como a língua albanesa". A esse respeito, diz Zide, o Nihali moderno parece comparável aos dialetos hibridizados das línguas romanis. faladas na Europa Ocidental. Zide afirma que isso é resultado de um processo histórico que começou com um massacre de Nihalis no início do século XIX organizado por um dos governantes da área supostamente em resposta a "saques". Zide alega que, posteriormente, os Nihalis "dizimados em tamanho", "funcionaram amplamente como assaltantes e ladrões ... que [descartaram] ... bens roubados" por meio de "associados externos". Zide acrescenta que a sociedade Nihali "há muito tempo é multilíngue e usa o Nihali como uma linguagem mais ou menos secreta que não é normalmente revelada a pessoas de fora" e que os primeiros pesquisadores "que tentavam aprender a língua foram aparentemente rejeitados ou enganados deliberadamente".[8]

Alguns falantes de Korku se recusam a reconhecer os Nihali como uma comunidade distinta e descrevem o surgimento dos Nihalis como resultado de uma perturbação da sociedade civil de Korku.[7]

Os Nihali vivem da mesma forma que os Kalto. Isso e o fato de os Kalto ter sido chamados frequentemente de Nahali levaram à confusão entre as duas línguas.

Fonologia[editar | editar código-fonte]

Vogais
Anterior Posterior
i i: u u:
e e: o o:
a a:

O alongamento das vogais é fonêmico. As vogais [e] e [o] têm variedades mais baixas no final dos morfemas.

A nasalização é rara e tende a ocorrer em palavras emprestadas de outras línguas.

Phonemes of Nihali
Labial Dental/
Alveolar
Retroflexa Palatal Velar
Nasal m n ɳ ɲ
Plosiva/
Africada
surda p t ʈ k
surda aspirada ʈʰ tʃʰ
sonora b d ɖ ɡ
sonora aspirada ɖʱ dʒʱ ɡʱ
Fricative s ʂ ʃ h
Rótica r ɽ
Aproximante ʋ l j

Existem 33 consoantes.As oclusivas não aspiradas são mais frequentes do que as aspiradas.

Léxico[editar | editar código-fonte]

Abaixo estão algumas palavras do vocabulário básico de Nihali sem paralelos externos claros (em Korku, Hindi, Marathi, Dravidian, etc.) listados no apêndice de Nagaraja (2014).

Partes do corpo

cabeça pe(ː)ñ
cabelo kuguso
olho jikit
ouvido cigam
nariz coːn
dente menge
boca kaggo
mão bakko
ombro ṭ/tagli
barriga bhaːwri
intestinos koṭor
umbigo bumli
fígado gadri
sangue corṭo
osso paːkṭo
pele ṭoːl

Animais e plantas

ave poe; pyu
ovo kalen
cobra koːgo
peixe caːn
piolho keːpe
mosquito kaːn
mosca eḍ(u)go
árvore aːḍḍo

Fenômenos naturais

água joppo
chuva maːnḍo
rocha caːgo, caːrgo
sal coːpo
Outros
caminho, estrada ḍãːy, ḍa(ː)y
casa aːwaːr
nome jumu, jyumu

Verbos (In Nihali, many verbs are suffixed with -be.)

comer ṭ/tyeː-
beber ḍelen-
morder haru-
soprar bigi-, bhigi-
morrer betto-, beṭṭo-
matar paḍa-
rir haːgo-
chorar aːpa-
ir eːr-, eṛe
vir paːṭo, pya
dar beː-
ver ara-
ouvirr cakni

Pronomes e demonstrativos[editar | editar código-fonte]

Os pronomes pessoais em Nihali são (Nagaraja 2014: 34):

singular dual plural
1ª pessoa jo tye:ko ingi
2ª pessoa ne na:ko la
3ª pessoa eṭey hiṭkel eṭla < eṭey + la

Nagaraja (2014: 139) observa que Nihali tem um paradigma demonstrativo diferente do de Korku.

Nihali Korku
'o que' nan co:(ch)
'quem' nani je
'por que' naway, nawa:san co:- ~ co:ch
‘quando’ meran ~ miran co:-la
‘onde’ mingay ṭone ~ ṭongan 'at where'
‘quanto’ m(i)yan co-ṭo
‘como’ naw-ki co-phar
‘de quem’ nan-in je-konṭe ‘whose child’
‘qual (livro)’ nu-san (pustak) ṭone-bukko ‘which (book)’

A morfossintaxe de Nihali é muito mais simples que a do Korku e de outras línguas munda e não tem relação com a das línguas munda (Nagaraja 2014: 144). A ordem das palavras é SOV

Notas[editar | editar código-fonte]

  1. «Nihali». UNESCO Atlas of the World's Languages in danger (em inglês). UNESCO. Consultado em 12 de março de 2018 
  2. «Did you know Nihali is threatened?». Endangered Languages. Consultado em 4 de maio de 2016 
  3. a b Franciscus Bernardus Jacobus Kuiper, «Nahali: a comparative study», N.V. Noord-Hollandsche Uitg. Mij., 1962, Mededeelingen der Koninklijke Nederlandsche Akademie van Wetenschappen, Afd. Letterkunde (5, Pt 25) 
  4. a b Nagaraja, K.S. (2014). The Nihali Language. Manasagangotri, Mysore-570 006, India: Central Institute of Indian Languages. 7 páginas. ISBN 978-81-7343-144-9 
  5. Nagaraja, K.S. (2014). The Nihali Language. [S.l.]: Central Institute of Indian Languages. 3 páginas. ISBN 978-81-7343-144-9 
  6. Nagaraja, K.S (2014). The Nihali Language. Manasagangotri, Mysore-570 006: Central Institute of Indian Languages. 250 páginas. ISBN 978-81-7343-144-9 
  7. a b Anderson, Gregory (2008). The Munda Languages. New York, New York: Routledge. 772 páginas. ISBN 0-415-32890-X 
  8. Norman Zide, "Munda and non-Munda Austroasiatic languages". In Current Trends in Linguistics 5: Linguistics in South Asia, p 438

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]