Lúcio Júlio César (cônsul em 64 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados de Júlio César, veja Júlio César (desambiguação).

Lúcio Júlio César foi um tio de Marco Antônio, que Antônio entregou para ser assassinado, mas cuja vida foi poupada por Júlia, sua irmã e mãe de Marco Antônio. Ele foi um cônsul romano, [1] no ano 64 a.C., junto de Caio Márcio Fígulo.[2]

Família[editar | editar código-fonte]

De acordo com o genealogista inglês William Berry, Lúcio Júlio César era de um ramo distante da família de Júlio César na família dos Julii. O pai de Lúcio, também chamado Lúcio, foi cônsul e censor, e o avô deste cônsul e censor foi Sexto Júlio César, que foi embaixador em Abdera. Este embaixador foi filho de Sexto Júlio César, que foi tribuno militar e o trisavô de Júlio César.[3]

Ele era irmão de Júlia, que se casou com Marco Antônio Crético e foi mãe de Marco Antônio.[3]

A barganha de morte por morte[editar | editar código-fonte]

Ele foi enumerado por Cícero como um dos ex-cônsules que se opunham a Marco Antônio, logo após o assassinato de Júlio César, mas que não poderia ir ao Senado por problemas de saúde.[1]

Plutarco descreve o acordo feito entre Otaviano, Marco Antônio e Lépido, celebrado em uma ilha no meio de um rio, no qual eles dividiram o império como se fosse a sua propriedade por herança,[4] como uma barganha de morte por morte, e comenta que nada poderia ser mais selvagem e cruel do que esta troca.[5] Eles, pelo ódio aos inimigos, abandonaram toda a honra devotada aos parentes e a boa vontade aos amigos.[6]

Pelo acordo, César (Otaviano) entregou Cícero, Antônio seu tio Lúcio César, e Lépido seu irmão Paulo.[6] Após o assassinato de Cícero, porém, [7] Lúcio Antônio se refugiou com a irmã, e esta, colocando-se na porta do seu quarto, não deixou os assassinos entrarem, dizendo que eles só assassinariam Lúcio Antônio se, antes, a assassinassem, a mãe do Imperador.[8] Lúcio Antônio foi poupado.[8]

Referências

  1. a b Cícero, carta a Cássio, 25 de setembro de 44 a.C. [em linha]
  2. Dião Cássio, História romana, Livro XXXVII, 10.1 [em linha]
  3. a b William Berry, Genealogia antiqua: or, Mythological and classical tables, compiled from the best authors on fabulous and ancient history (1816)
  4. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Antônio, 19.1 [em linha]
  5. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Antônio, 19.3
  6. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Antônio, 19.2
  7. Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Antônio, 20.1
  8. a b Plutarco, Vidas Paralelas, Vida de Antônio, 20.3