Lago de lava

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Não confundir com Lago de crateras, Lagos de água que se formam em uma cratera ou caldeira vulcânica
Disambig grey.svg Nota: Para Lugares chamados Lava Lake, veja Lago de lava (desambiguação).
Lago de lava no Nyiragongo, em estado fundido
Lago de lava no Erta Ale
Fontes de lava no lago de lava Halema'uma'u, Kīlauea
Lago de lava na cratera Marum, Ambrym
Imagem de satélite mostrando o lago de lava de Monte Erebus
Vista aérea do lago de lava na cratera Pu'u'Ō'ō, Kīlauea. A cratera tem cerca de 250 m de diâmetro.
Vista aérea de um lago de lava em cima do respiradouro de Kūpa'ianahā na zona de fendas leste do vulcão Kīlauea. Este lago de lava já se solidificou, mas atualmente existem outros dois lagos de lava em Kilauea.

Lava lakes (lagos de lava) são grandes volumes de lava fundida, geralmente basáltico, contida em um respiradouro vulcânico, cratera, ou ampla depressão. O termo é usado para descrever os lagos de lava que são total ou parcialmente fundidos e aqueles que são solidificados (às vezes referidos como frozen lava lakes nesse caso).

Formação[editar | editar código-fonte]

Os lagos de lava podem formar-se de três maneiras:[1]

  • De uma ou mais aberturas em uma cratera que entra em erupção de lava suficiente para preencher parcialmente a cratera; ou
  • quando a lava derrama em uma cratera ou ampla depressão e parcialmente enche a cratera; ou
  • no topo de um novo orifício que entra em erupção de lava continuamente por um período de várias semanas ou mais e lentamente constrói uma cratera progressivamente maior do que o terreno circundante.

Comportamentos[editar | editar código-fonte]

Os lagos de lava ocorrem em uma variedade de sistemas vulcânicos, que vão desde o basaltico Erta Ale lago na Etiópia e o Andesite basáltico vulcão de Villarrica, Chile, para o único Fonolítico lago de lava no Mt. Erebus, Antarctica. Os lagos de lava foram observados para exibir uma série de comportamentos. Um “circulando constantemente, aparentemente estável” lago de lava foi observado durante a erupção Mauna Ulu 1969-1971 do Kilauea, Havaí.[2] Em contraste, um lago de lava no 1983-1984 Pu'u 'O'O erupção do Kilauea apresentou comportamento cíclico com um período de 5 a 20 minutos; gás "percorreu a superfície" do lago, e a lava rapidamente drenou de volta pelo canal antes do início de uma nova fase de atividade do lago.[3] O comportamento observado é influenciado pelos efeitos combinados da pressão dentro do reservatório, exsolução e descompressão de bolhas de gás dentro do canal e, Potencialmente, exsolução de bolhas dentro do reservatório de magma. Sobreposta em cima desta é o efeito de bolhas que sobem através do líquido, e coalescência de bolhas dentro do canal. As interações desses efeitos podem criar um lago de recirculação estável ou um nível de lago que aumenta periodicamente e depois cai.[4]

Exemplos notáveis[editar | editar código-fonte]

Os lagos de lava persistentes são um fenômeno raro. Apenas alguns vulcões hospedaram lagos de lava persistentes ou quase persistentes nas últimas décadas:

Kīlauea possui apenas dois lagos de lava persistentes: um na Halemaʻumaʻu cavidade de ventilação dentro da cimeira caldera, e outro dentro do Puʻu ʻŌʻō cone localizado na zona leste da fenda do vulcão.[9]

O lago de lava Nyiragongo geralmente foi o maior e mais volumoso da história recente, atingindo 700 metros de largura em 1982, [10] embora Masaya acredita-se que tenha hospedado um lago de lava ainda maior na época da conquista espanhola, sendo 1000 metros de largura em 1670.[11] O lago de lava em Masaya voltou em janeiro de 2016.[12]

Além dos lagos de lava persistentes acima mencionados, um certo número de ocorrências de lagos de lava temporários (às vezes chamado lava ponds ou lava pools, Dependendo do tamanho e da natureza[13]) também foram observados e estão listados no tabela seguinte.

Lista de vulcões de ter exibido atividade lago de lava passado ou presente[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Esta lista está incompleta. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-a.
Vulcão Local
Lagos de lava persistentes ou quase persistentes nas últimas décadas
Erta Ale[5] Etiópia
Monte Erebus[6] Ilha de Ross, Antarctica
Kīlauea[7] (dois lagos de lava em ambos Halemaʻumaʻu e Pu'u O'o crateras) Havaí (Ilha Grande)
Nyiragongo[8] (a maior do século passado) República Democrática do Congo
Ambrym[14] (dois lagos de lava nas duas crateras Benbow e Marum desde 1991)[15] ilha Ambrym, Vanuatu
Recente atividade de lagos de lava intermitente
Masaya[12][16] Nicarágua
Villarrica[17] Chile
Karthala[18] Grande Comore, Comoros
Piton de la Fournaise [19][20] (pequeno lago de lava temporária na cratera de Dolomieu) Ilha Reunião
Ol Doinyo Lengai [21][22] (apenas um vulcão ativo no mundo que emite lava carbonatito Tanzânia
atividade lago de lava não confirmada
Telica[23] (possivelmente em 1971 e 1999-2000) Nicarágua
Tungurahua[24] (possivelmente em 1999) Equador
Tofua[25] (possivelmente em 2004 e 2006) Ilha Tofua, Tonga
Nabro[26] (possivelmente em 2012) Eritréia
atividade lago de lava sugerido por satélite de dados de sensoriamento remoto
Monte Michael[27] Ilha Saunders (Ilhas Sandwich do Sul)
Monte Belinda[28] Ilha Montagu, Ilhas Sandwich do Sul
Mawson Peak[29] Ilha Heard
atividade passada do lago de lava (tempos históricos)
Monte Matavanu[30][31] (durante a erupção 1905-1911) Ilha Savai'i, Samoa
Nyamuragira[31][32] (lago de lava localizado dentro da caldeira da cúpula, confirmado pela primeira vez em 1921, drenado em 1938 e lagoa de lava temporária no cone Kituro no flanco SW, durante a erupção de 1948) República Democrática do Congo
Capelinhos[33][34] (em 1958, uma erupção surtseiana) ilha do Faial, Açores
Surtsey[35][36][37] (em 1964, durante a erupção 1963-67 que levou à formação da ilha) Islândia
Tolbachik,[31][38] parte do complexo vulcânico Klyuchevskaya (última observação da atividade do lago de lava em 1964) Kamchatka, Rússia
Etna[39] (em 1974) Sicília, Itália
Monte Vesúvio (em 79 DC) Campania, Itália
Ardoukôba[40] (em 1978) Djibouti
Monte Mihara[41] (em 1986) Izu Ōshima, Japão
Stromboli[42] (em 1986 e 1989) Ilhas Aeolian, Itália
La Cumbre[43] (em 1995) ilha Fernandina, Galápagos
Pacaya[44] (em 2000 e 2001) Guatemala
Atividade do lago de lava em outros corpos planetários
Loki Patera[45] Io

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «VHP Photo Glossary: Lava lake». Volcanoes.usgs.gov. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  2. Swanson et al. (1979) Deformação no solo em Pu'u 'O'o. U.S. Geological Survey Chronological da 1969-71 Mauna Ulu erupção do vulcão Kilauea US Geological Survey Professional Paper 1056
  3. Wolfe et al. (1988). Geologic observations and chronology of eruptive events US Geological Survey Professional Paper 1463
  4. Witham and Llewellin (2006) Estabilidade de Lava Lakes, Journal of Volcanology and Geothermal Research vol. 158 p.321-332
  5. a b «Global Volcanism Program : Erta Ale». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  6. a b «Global Volcanism Program : Erebus». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  7. a b «Kīlauea». Programa Global de Vulcanismo. Smithsonian Institution 
  8. a b «Nyiragongo». Programa Global de Vulcanismo. Smithsonian Institution 
  9. «HVO Kilauea Status». Volcanoes.usgs.gov. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  10. «Global Volcanism Program : Nyiragongo». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  11. «Pit crater structure and processes governing persistent activity at Masaya Volcano, Nicaragua» (PDF). Eps.mcgill.ca. Consultado em 15 de agosto de 2013. Arquivado do original (PDF) em 4 de março de 2016 
  12. a b «Masaya». www.volcanodiscovery.com. Consultado em 7 de novembro de 2016 
  13. Tazieff, H. (1994). «Permanent lava lakes: Observed facts and induced mechanisms». Journal of Volcanology and Geothermal Research. 63. pp. 3–2. doi:10.1016/0377-0273(94)90015-9 
  14. «Ambrum». Programa Global de Vulcanismo. Smithsonian Institution 
  15. http://www.volcano.si.edu/volcano.cfm?vn=257040
  16. «Masaya». Programa Global de Vulcanismo. Smithsonian Institution 
  17. «Villarrica». Programa Global de Vulcanismo. Smithsonian Institution 
  18. «Global Volcanism Program : Karthala». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  19. «Global Volcanism Program : Fournaise, Piton de la». Volcano.si.edu. doi:10.1029/2007GL031248. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  20. «Terre et Volcans News v4». Terreetvolcans.free.fr. Consultado em acessodata=15-08-2013  Verifique data em: |acessodata= (ajuda)
  21. «Global Volcanism Program : Lengai, Ol Doinyo». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  22. «Etnatao: Ol Doinyo Lengai Volcano Tanzania». YouTube. 11 de fevereiro de 2010. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  23. «Global Volcanism Program : Telica». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  24. «Global Volcanism Program : Tungurahua». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  25. «Global Volcanism Program : Tofua». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  26. «Eruption volcanique, activité éruptive du volcan Nabro». Activolcans.info. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  27. «Global Volcanism Program : Michael». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  28. Primeira erupção gravada do vulcão Monte Belinda (ilha de Montagu), Ilhas Sandwich do Sul, Bull Volcanol (2005) 67:415–422 (PDF)
  29. «Global Volcanism Program : Heard». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  30. «Global Volcanism Program : Savai'i». Volcano.si.edu. 3 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  31. a b c Tazieff, Haroun, Cratères en feu, éd. Arthaud, 1951.
  32. «Global Volcanism Program : Nyamuragira». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  33. «GC1QN4C Capelinhos Volcano [Faial] (Earthcache) in Arquipélago dos Açores, Portugal created by almeidara». Geocaching.com. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  34. http://www.volcano.si.edu/volcano.cfm?vn=382010
  35. «Global Volcanism Program : Vestmannaeyjar». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  36. «Inspired by Iceland stories: Tell us the story of your visit to Iceland». Stories.inspiredbyiceland.com. 26 de maio de 2011. Consultado em 15 de agosto de 2013. Arquivado do original em 15 de julho de 2012 
  37. Duncan C. Blanchard, From Raindrops to Volcanoes: Adventures With Sea Surface Meteorology, Dover Publications, 1967.
  38. «Global Volcanism Program : Tolbachik». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  39. «Global Volcanism Program : Etna». Volcano.si.edu. doi:10.1029/2005GL022527.2005. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  40. «Global Volcanism Program : Ardoukôba». Volcano.si.edu. 3 de janeiro de 2013. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  41. «Izu-Oshima Volcano Observatory». Consultado em 20 de fevereiro de 2014 
  42. «Global Volcanism Program : Stromboli». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  43. «Global Volcanism Program : Fernandina». Volcano.si.edu. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  44. «Global Volcanism Program : Pacaya». Volcano.si.edu. doi:10.1029/2007GC001791. Consultado em 15 de agosto de 2013 
  45. Howell, R. R.; R. M. C. Lopes (2007). «The nature of the volcanic activity at Loki: Insights from Galileo NIMS and PPR data» 2 ed. Icarus. 186: 448–461. Bibcode:2007Icar..186..448H. doi:10.1016/j.icarus.2006.09.022 

 Este artigo incorpora material em domínio público do sítio eletrônico ou documento de {{{agência}}}.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Lago de lava