Leopold Trepper

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Leopold Trepper
Nascimento 23 de fevereiro de 1904
Morte 19 de janeiro de 1982 (77 anos)
Jerusalém
Residência Viena, Moscou, Cracóvia, Paris, Jerusalém
Cidadania Polônia, Israel
Ocupação jornalista, espião

Leopold Zakharovitch Trepper (Nowy Targ (Áustria-Hungria), 23 de fevereiro de 1904 – Jerusalém, 19 de janeiro de 1982) foi um comunista polaco, participante no movimento de resistência alemã e espião soviético. Também foi conhecido pelos nomes "Leiba Domb" e "Jean Gilbert".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Trepper nasceu em Nowy Targ, na Galícia polaca, numa família de judeus. Desde a sua juventude, militou na organização juvenil sionista Hachomer Hatzaïr. Em 1920, é nomeado para a direção desse movimento, abandona os estudos e torna-se aprendiz de relojoeiro. Mas em 1921, desloca-se junto com a sua família à Dabrowa Górnicza, na região da Silésia, onde começa a trabalhar como operário. Em 1923, participará já ativamente na greve geral de Cracóvia, durante a qual é arrestado antes de abandonar o país.

Em 1924, Trepper abandona a Polónia, constituída recentemente (1917) e viaja à Palestina com uma dezena de camaradas. Em 1925, adere ao Partido Comunista Palestiniano com o objetivo de unir judeus e árabes contra a ocupação militar britânica. Depois de um arresto, desloca-se para a URSS, onde é recrutado pelo GRU, o departamento de espionagem militar soviético. Após a sua formação, é enviado a Paris, onde contata com o Partido Comunista Francês e funda um semanário em língua iídiche: Die Morgen.

A partir de 1938, configurou uma rede de informação entre a Bélgica e a França ajudado por alguns companheiros que conhecera na sua época na Palestina, nomeadamente com Hillel Katz. A finalidade da rede era atingir informação sobre os movimentos internos do Terceiro Reich e da Resistência alemã. Alguns meses antes do ataque alemão contra a URSS, Trepper - como outros espiões soviéticos como Richard Sorge - conseguira já enviar informes para Moscovo sobre a data e as características da Operação Barbarossa - Stalin considerou todas aquelas informações propaganda britânica e não lhes deu qualquer credibilidade.

Ademais, desde a França, Trepper organizou também uma organização de resistência particularmente eficaz, a Orquestra vermelha, que operou na França, na Bélgica, na Suíça, em Dinamarca, nos Países Baixos e no interior da Alemanha, junto com Harro Schulze-Boysen e Avid Harnak. Porém, o grupo será desmantelado pela Abwehr (a inteligência alemã) durante o ano 1942. Nesse mesmo ano, em 16 de novembro, Trepper foi arrestado e interrogado pela Gestapo, que o obrigou a revelar a maior parte dos seus contatos e a fazer de agente duplo. Todavia, Trepper conseguiu informar a GRU da nova situação e continuar a trabalhar para a URSS ao tempo que fazia crer aos alemães que trabalhava para o Terceiro Reich. Naquela altura, o Kriminalrat Heinz Pannwitz tinha desenvolvido um plano, denominado Funkspiel para intoxicar as informações que chegavam a Moscovo baseando-se na ambiguidade de possíveis negociações de paz. Trepper conseguiu enviar informações sobre o plano a Moscovo através de um transmissor do Partido Comunista Francês.

Em 1943, Trepper fugiu do controlo da Gestapo ao refugiar-se em Bourg-la-Reine (França), ajudado por Suzanne e Claude Spaak, para depois reaparecer como membro da resistência francesa depois da liberação de Paris.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, as autoridades soviéticas fizeram-no regressar à URSS, onde é encerrado na Lubianka e processado, chegando a salvar-se da pena de morte só graças à intervenção de amigos bem situados na hierarquia stalinista. Porém, permaneceu em prisão até 1955. Depois da sua liberação, regressou à Polónia, onde teve três filhos e dirigiu uma associação cultural judia. Sem embargo, depois da Guerra dos Seis Dias e do aumento do antissemitismo na Polónia, Treper decidiu emigrar a Israel em 1974. Em 1975 publicou a sua autobiografia, intitulada em francês Le grand jeu ("O grande jogo").

Leopold Trepper morreu em Jerusalém em 1982.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Trepper, Leopold: Le grand jeu, 1975, Paris: Albin Michel (em francês)
  • Perrault, Gilles: L'orchestre rouge, 1967, Paris: Fayard (em francês)