Lobo eurasiático

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaLobo-eurásiatico
Eurasian wolf.JPG
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Família: Canidae
Género: Canis
Espécie: Canis lupus
Subespécie: C. lupus lupus
Nome trinomial
Canis lupus lupus
Linnaeus, 1758

O lobo-eurásiatico(nome científicoCanis lupus lupus), também conhecido como lobo-comum[1] [2] é uma subespécie do lobo-cinzento(Canis lupus) nativa da Europa e das zonas de floresta e estepe da ex-União Soviética. A espécie habitou em toda a Eurásia antes da Idade Média. Além de um extenso registro paleontológico e genético,[3] línguas Indo-Europeias, normalmente possuíam várias palavras para lobo, assim, atestando a abundância da espécie e sua importância cultural.[4] A espécie era tida com alta consideração nas culturas dos Báltico, Celtas, Eslavos, Turcos, gregos antigos, Romanos, e Trácios, embora possuísse ambivalente reputação no início culturas Germânica.

É o maior lobo do Velho mundo, com média de 39 kg (86 lb) na Europa;[5] no entanto, indivíduos excepcionalmente grandes pesavam entre 69–80 kg (150–180 lb), embora isso varie de acordo com a região.[6] Sua pelagem é relativamente curta e grossa, e é, geralmente, de uma cor acastanhada-alaranjada, com parte branca na garganta que quase não se estende para as bochechas. Animais melanísticos(pretos), albinos e avermelhados são raros e, principalmente, são na maioria o resultado da hibridização cão-lobo.[7] O uivo do lobo eurasiático é muito mais prolongado e melodioso do que o dos os lobos norte-americanos, cujos uivos são mais altos e tem uma forte ênfase na primeira sílaba. Os dois são, no entanto, mutuamente inteligíveis, como os lobos norte-americanos foram registrados por biólogos respondendo ao uivo do estilo europeu.[8]

Tamanho[editar | editar código-fonte]

O tamanho do lobo eurasiático está sujeito a variação geográfica, com os animais na Rússia e na Escandinávia, sendo maiores e mais volumosos do que aqueles que residem na Europa Ocidental.[9] Os lobos adultos da Rússia medem de 105–160 centímetros (41–63 in) de comprimento, 80–85 centímetros (31–33 in) na altura do ombro, e pesam, em média, 32–50 quilogramas (71–110 lb), com um peso máximo de 69–80 quilogramas (150–180 lb). O maior lobo registrado foi morto após a II Guerra Mundial, área de Kobelyakski na regiãode Poltavskij em SSR da Ucrânia, e pesava 86 quilogramas (190 lb).[10] Maiores pesos de 92–96 quilogramas (200–210 lb) têm sido relatados na Ucrânia, embora as circunstâncias em que estes últimos animais foram pesados não são conhecidos. Embora semelhante em tamanho a lobos da Rússia central, lobos suecos e noruegueses tendem a ser mais fortemente construído com ombros mais profundos. Um lobo morto na Roménia foi estimado a pesar 72 quilogramas (160 lb).[11]Nos lobos italiano, com exceção da cauda, o comprimento do corpo varia entre 110-148 cm, enquanto que a altura do ombro é 50-70 cm. Os machos pesam entre 25–35 quilogramas (55–77 lb) e, raramente, 45 quilogramas (99 lb).[12] O extinto lobo britânico é conhecido por ter atingido dimensões semelhantes ao lobo do Ártico.[13]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Mech, L. David (1981), The Wolf: The Ecology and Behaviour of an Endangered Species, University of Minnesota Press, p. 354, ISBN 0-8166-1026-6
  2. Heptner, V. G. & Naumov, N. P. (1998) Mammals of the Soviet Union Vol.II Part 1a, SIRENIA AND CARNIVORA (Sea cows; Wolves and Bears), Science Publishers, Inc. USA., pp. 184-187, ISBN 1-886106-81-9
  3. O. Thalmann et al., "Complete Mitochondrial Genomes of Ancient Canids Suggest a European Origin of Domestic Dogs", Science, November 14, 2013, 342(6160):871-4, DOI: 10.1126/science.1243650
  4. Gamkrelidze, T. V. & Ivanov, V. V. (1995), Indo-European and the Indo-Europeans: A Reconstruction and Historical Analysis of a Proto-Language and Proto-Culture, Walter de Gruyter, pp. 413-417, ISBN 3110815036
  5. http://www.lhnet.org/gray-wolf/
  6. Miller, G. S. (1912), Catalogue of the mammals of Western Europe (Europe exclusive of Russia) in the collection of the British museum, London, Printed by order of the Trustees of the British Museum, pp. 313-314
  7. Heptner, V. G. & Naumov, N. P. (1998) Mammals of the Soviet Union Vol.II Part 1a, SIRENIA AND CARNIVORA (Sea cows; Wolves and Bears), Science Publishers, Inc. USA., pp. 166, ISBN 1-886106-81-9
  8. Zimen, E. (1981), The Wolf: His Place in the Natural World, Souvenir Press, p. 73, ISBN 0-285-62411-3
  9. Jardine, William. The Naturalists Library, Mammalia, Vol. IX: Dogs. Edinburgh: W.H. Lizars, 1839.
  10. Graves, Will. Wolves in Russia: Anxiety throughout the ages. [S.l.: s.n.] ISBN 1-55059-332-3. Consultado em 3 de março de 2018. Arquivado do original em 2 de agosto de 2009 
  11. Gibson, Nancy. Wolves. [S.l.: s.n.] ISBN 0-89658-299-X 
  12. Viviani, Alessia; Gazzola, Andrea; Scandura, Massimo. «Il Lupo: Un predatore sociale ed adattabile». Il Lupo in provincia di Arezzo. [S.l.: s.n.{{{2}}} .
  13. Owen, R., A history of British fossil mammals, and birds, J. Van Voorst, 1846