Lolo Arziki

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Lolo Arziki
Nascimento 5 de fevereiro de 1992 (29 anos)
Ilha do Maio
Cidadania Cabo Verde
Alma mater Universidade Nova de Lisboa, Instituto Politécnico de Tomar
Ocupação cineasta, ativista LGBT

Lolo Arziki (Ilha do Maio, 5 de fevereiro de 1992) é uma cineasta cabo-verdiana e ativista pelos direitos LGBTQI+.[1]

Percurso[editar | editar código-fonte]

Lolo Arziki nasceu em Cabo Verde e mudou-se para Portugal com 13 anos. Vive, atualmente, entre Portugal e Luxemburgo.[2]

Frequentou a licenciatura de Estudos Africanos durante um ano onde uma professora deu-lhe a conhecer o livro História da África Negra, de Joseph Ki -Zerbo. Ao ler esse livro interessou-se pela História da Arte em África, questionando a perspetiva eurocêntrica e decidindo optar pelo ativismo através da arte.[3] Formou-se em Cinema pelo Instituto Politécnico de Tomar e concluiu o mestrado em Estética e Estudos Artísticos na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.[2] Como feminista negra, desenvolve o seu trabalho explorando temas como a sexualidade, a negritude, género e a experimentação estética.[4] Lolo aborda estas temáticas nos seus filmes, advogando também pela proibição legal da homofobia em Cabo Verde, onde a homossexualidade só deixou de ser crime em 2004.[1]

Em 2016, iniciou-se na realização com a vídeo-performance “Relatos de Uma Rapariga Nada Púdica”, retratando a experiência íntima e pessoal de mulher e a sua afirmação sexual dentro do contexto cultural cabo-verdiano como ativista pelos direitos LGBTI.[5]

No mesmo ano, dirigiu o documentário sobre turismo rural em Cabo Verde "Homestay", retratando mulheres chefes de família da ilha do Maio receberam nas suas casas hóspedes interessados num tipo diferente de turismo,[5] em que os turistas escutam histórias sobre a vida das mulheres e os segredos da ilha em vez de pagar alojamento.[6]

Em 2018 foi júri da 22.ª edição do Festival AVANCA - Encontros Internacionais de Cinema, Televisão, Vídeo e Multimédia.[7]

Em 2019, a jovem ativista cabo-verdiana pediu, em entrevista à Inforpress, a proibição legal da homofobia em Cabo Verde.[8]

No mesmo ano, foi uma das finalistas ao Prémio António Loja Neves, criado pela Federação Portuguesa de Cineclubes.[9]

Ainda em 2019, os seus documentários foram exibidos no SESC de São Paulo, num evento organizado pela USP, onde também participou em vários debates.[10][11][12]

Em 2020, participou no FESTLIP Encontros, no âmbito do Festival Internacional das Artes da Língua Portuguesa (Festlip), no debate “A voz feminina na língua portuguesa e em nossas sociedades”.[13][14]

Em setembro do mesmo ano, "Sakudi", o seu último filme documentário, foi censurado, quando se candidatava a financiamento pela Associação de Cinema e Audiovisual de Cabo Verde. O documentário relata a vida de jovens LGBTQIA+ no contexto cultural cabo-verdiano/africano, procurando desafiar o sistema de opressão machista, racista e homofóbico. A artista encontra-se a desenvolver atualmente uma campanha de crowdfunding para produzir "Sakudi".[3]

Obras[editar | editar código-fonte]

Como realizadora[editar | editar código-fonte]

  • Sakudi (2020)[3]

Prémios e Nomeações[editar | editar código-fonte]

  • Homestay
    • 2019 - Foi nomeada para o Prémio António Loja Neves, promovido pela FPCC – Federação Portuguesa de Cineclubes [17]
    • 2018 - Menção Honrosa, no Silicon Valley African Film Festival, California (EUA)
    • 2017 - Recebeu o Prémio Estreia Mundial Televisão, no Avanca Film Festival - International Meeting of Cinema, TV, Video and Multimedia (2017)[18][19]
    • 2017 - Recebeu Prémio Revelação Nacional, Plateau International Film Festival - Praia, Cabo Verde (2017)[18]

Referências

  1. a b «Activista LGBTQI+ pede proibição legal da homofobia em Cabo Verde». INFORPRESS. 24 de junho de 2019. Consultado em 6 de julho de 2020 
  2. a b Áudio 127 - Sobre Relatos De Uma Rapariga Nada Pudica (em inglês), consultado em 6 de julho de 2020 
  3. a b c «Lolo Arziki: "Se eu morrer agora, não morro infeliz"». Gerador. 31 de janeiro de 2021. Consultado em 9 de fevereiro de 2021 
  4. «Um cinema decolonial, é possível?» (PDF). Consultado em 6 de julho de 2020 
  5. a b Magalhães, Chissana (23 de agosto de 2017). «Homestay. De projecto de turismo domiciliar a documentário premiado». Expresso das Ilhas. Consultado em 6 de julho de 2020 
  6. a b BANTUMEN, Equipa (25 de julho de 2017). «"Homestay", um documentário sobre turismo rural em Cabo Verde, vai se estrear em festival de cinema português». BANTUMEN. Consultado em 6 de julho de 2020 
  7. «Dez filmes portugueses premiados no AVANCA 2018 - Notícias». ICA. Consultado em 6 de julho de 2020 
  8. «Activista LGBTQI+ pede proibição legal da homofobia em Cabo Verde». INFORPRESS. 24 de junho de 2019. Consultado em 6 de julho de 2020 
  9. Portugal, Rádio e Televisão de. «Realizador Sol de Carvalho recebe Prémio António Loja Neves do cinema lusófono». Realizador Sol de Carvalho recebe Prémio António Loja Neves do cinema lusófono. Consultado em 6 de julho de 2020 
  10. «Áfricas Contemporâneas -». centrodepesquisaeformacao.sescsp.org.br. Consultado em 6 de julho de 2020 
  11. «EVENTO». Laboratório de Estudos do Imaginário. 15 de abril de 2019. Consultado em 6 de julho de 2020 
  12. «Áfricas contemporâneas. Do continente às diásporas: pensar o universal a partir dos arquivos afro-diaspóricos.» (PDF). Consultado em 6 de julho de 2020 
  13. Lusa, Agência. «Festlip faz ligação em rede das artes da Língua Portuguesa até terça-feira». Observador. Consultado em 6 de julho de 2020 
  14. Abrantes, Jornal de. «Festlip, o festival que junta artistas da lusofonia, vai ser totalmente online». www.jornaldeabrantes.pt. Consultado em 8 de julho de 2020 
  15. Henriques, Joana Gorjão. «Há um cinema negro em Portugal?». PÚBLICO. Consultado em 9 de julho de 2020 
  16. Coletivo, Bintou (1 de novembro de 2016). «CRÍTICA: Relatos de uma rapariga nada púdica, por Julia Morais». Medium (em inglês). Consultado em 9 de julho de 2020 
  17. Neves, Prémio Loja (22 de abril de 2019). «Filmes Nomeados ao Prémio Loja Neves». Prémio Loja Neves. Consultado em 9 de julho de 2020 
  18. a b «Seleção Oficial». São Tomé Fest Film. Consultado em 6 de julho de 2020 
  19. «Prémios | Awards 2017 | Festival de Cinema de Avanca». www.avanca.com. Consultado em 9 de julho de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]