Lourenço Pires de Távora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Lourenço Pires de Távora
Capitão de Tânger
Período 01/04/1564 - 1566
Antecessor(a) Bernardim de Carvalho
Sucessor(a) João de Meneses, o Craveiro
Dados pessoais
Nascimento c. 1500
Almada
Morte 15 de novembro de 1573 (73 anos)
Almada
Progenitores Mãe: Francisca de Sousa
Pai: Cristóvão de Távora

Lourenço Pires de Távora (Almada, c. 1500[1] - Caparica (Almada) em 15 de novembro de 1573), "morgado da Caparica", foi um diplomata português, e capitão de Tânger.

Com 16 anos (?) de idade combateu em Arzila. Foi capitão de uma frota, que, com o auxílio de João de Castro defendeu Diu (1546). Em 1555, acompanhou o infante Luís à expedição de Tunes. Pouco depois ingressou na carreira diplomática, tendo sido enviado a Marrocos, Madrid,Londres e Roma (1559-1562).

Contribuiu para que a regência do reino de Portugal fosse entregue ao conde Henrique a quem deu um verdadeiro programa de governo. Foi, contudo despachado para Tânger, como capitão-mor dessa praça entre 1564 e 1566. Aí «havendo paz com os mouros, e valendo-se dela fortificou por ordem del-rei Dom Sebastião, o castelo com os baluartes e os terraplenos mais ao moderno; a obra ficou imperfeita e depois não se achou interesse em acaba-la[2]».

Em 1569, retirou-se para o Convento dos Capuchos (Caparica) que tinha sido mandado por ele erigir em 1558, no seu solar Torre da Caparica.

Dados Genealógicos[editar | editar código-fonte]

Filho de: Cristóvão de Távora, 2º senhor do morgado de Caparica, e Francisca de Sousa.

Casou com: Catarina de Távora, filha de Rui Lourenço de Távora e Joana Ferrer de Acuña.

Tiveram:

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Memória Sobre os Interesses da Monarquia
  • Correspondência Diplomática, que reúne os ofícios escritos por ele, enquanto embaixador.

Referências

  1. : Lourenço, como seu irmão Álvaro (autor da Historia de varões illustres do appellido de Távora, e que foi morto no "feito do dia de Corpo de Deus" em 29 de Maio de 1526) estava presente em Arzila, e combatia, durante o governo de António da Silveira (1524-1529), mas Bernardo Rodrigues nunca diz que é "mancebo", como o diz de muitos outros. cf. Anais de Arzila, crónica inédita do século XVI, por Bernardo Rodrigues. Academia das sciências de Lisboa. Coimbra - Imprensa da Universidade-1919
  2. História de Tânger durante la dominacion portuguesa, por Fernando de Menezes, conde de la Ericeira, etc. traduccion del R. P. Buanaventura Diaz, O.F.M., Misionero del Vicariato apostólico de Marruecos. Lisboa Occidental. Imprenta Ferreiriana. 1732. p. 88

Fontes[editar | editar código-fonte]

  • Lexicoteca: moderna enciclopédia universal: tomo XVI - Lisboa, Círculo de Leitores, 1988
  • Grande enciclopédia universal: vol 19. - Lisboa:Correio da Manhã, 2004


Precedido por
Bernardim de Carvalho
Capitão de Tânger
15641566
Sucedido por
João de Meneses, o Craveiro