Luís Freire

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Luís Freire
Nascimento 16 de março de 1896
Recife
Morte 17 de julho de 1963 (67 anos)
Nacionalidade  Brasileiro
Alma mater Universidade Federal de Pernambuco
Instituições Universidade Federal de Pernambuco, Universidade Federal do Rio de Janeiro
Campo(s) Engenharia

Luís de Barros Freire[1] (Recife, 16 de março de 189617 de julho de 1963) foi um engenheiro, professor e pioneiro da ciência no Brasil.[2]

Foi engenheiro civil, professor da Escola Politécnica de Pernambuco e personagem de destaque na ciência do estado, no século XX. Foi catalisador de talentos em Pernambuco, estimulando e influenciando futuros cientistas, como Mário Schenberg, José Leite Lopes[3] e Leopoldo Nachbin.[4]

Vida[editar | editar código-fonte]

Luís Freire obteve o diploma de engenheiro civil pela Escola de Engenharia de Pernambuco em 1918. Em 1919, conquistou a cátedra de matemática da Escola Normal de Pernambuco. Em 1920 ingressou como professor contratado na Escola de Engenharia, atualmente pertencendo à Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Tornou-se em 1934 professor catedrático de física, recebendo o título de Doutor em Ciências Físicas e Matemáticas.[5]

Luís Freire também lecionou nos principais colégios de Recife, sendo professor de física no Ginásio Pernambucano e em outros colégios particulares, como Nóbrega e Osvaldo Cruz. No Rio de Janeiro foi professor catedrático da Faculdade de Ciências da Universidade do Distrito Federal (UDF), atual Universidade Federal do Rio de Janeiro, dirigida pelo educador Anísio Teixeira.

Em 1951, Luís Freire foi nomeado membro do recém-criado Conselho Nacional de Pesquisas, atual CNPq, participando da Comissão de Ciências Físicas e Matemáticas.

Referências

  1. Na grafia antiga, Luiz de Barros Freire
  2. Albuquerque, Ivone Freire Mota de; Hamburger, Amélia Império (1987). «Retratos de Luiz de Barros Freire como pioneiro da ciência no Brasil». Consultado em 29 de janeiro de 2013 
  3. «José Leite Lopes (depoimento, 1977)» (PDF). Consultado em 4 de março de 2012. (...) quando passei no vestibular e fiz o primeiro ano de Química Industrial, o professor de Física era o Luis Freire. Esse era a figura mais notável de todas porque era um homem de uma grande cultura em Matemática e em Física, um grande espírito filosófico e de crítica e dava as aulas de uma maneira muito elegante, muito atraente, Foi ele, exatamente, ao fazer já o curso no primeiro ano, que me desviou da Química Industrial. 
  4. Simon Schwartzman (organizador) (1982). «Por Uma Universidade no Rio de Janeiro». Consultado em 24 de fevereiro de 2012 
  5. «Prof. Luiz Freire». Consultado em 24 de fevereiro de 2012