Mário Mesquita

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Mário António da Mota Mesquita (Ponta Delgada, 3 de janeiro de 1950) é um jornalista português.[1][2]

Esteve ligado à Oposição Democrática desde a sua juventude, apoiando a CDE de Ponta Delgada em 1969 e 1973. Radicou-se em Lisboa, onde se dedicou ao jornalismo, colaborando no jornal oposicionista "República". Foi militante fundador do PS, em 1973, deputado à Assembleia Constituinte (1975-1976) e à Assembleia da República (1976-1978), partido do qual depois se afastou. Foi diretor-adjunto, de 1976 a 1978, e diretor do "Diário de Notícias", de Lisboa, de 1978 a 1986.[1]

Em 2014 foi um dos fundadores do PS que apoiou António Costa para a liderança do PS contra António José Seguro.

Atualmente é professor de jornalismo na ESCS (Escola Superior de Comunicação Social).

A 13 de julho de 1981, foi agraciado com o grau de Comendador da Ordem do Infante D. Henrique.[3]

Referências

  1. a b «MÁRIO MESQUITA: Uma memória». Diário de Notícias (Portugal). Consultado em 30 de abril de 2012. Arquivado do original em 9 de janeiro de 2015 
  2. «A sua herança é um jornal livre e independente». Diário de Notícias (Portugal). Consultado em 30 de abril de 2012 
  3. «Cidadãos Nacionais Agraciados com Ordens Portuguesas». Resultado da busca de "Mário António Mesquita". Presidência da República Portuguesa. Consultado em 11 de julho de 2019 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) jornalista é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.