Macario Santiago Kastner

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Macario Santiago Kastner
Nascimento 15 de outubro de 1908
Londres
Morte 12 de maio de 1992 (83 anos)
Lisboa
Cidadania Portugal
Ocupação professor universitário, músico, musicólogo
Empregador Escola de Música do Conservatório Nacional

Carl Macario Santiago Kastner[1] (Londres, 15 de outubro de 1908Lisboa, 12 de maio de 1992) foi um musicólogo, instrumentista, professor e crítico musical inglês, mais conhecido pelo seu trabalho de investigação em Música Antiga e, em particular, na Musicologia ibérica.[2] [3]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Influenciado pelo contexto familiar, constituído por músicos e fabricantes de instrumentos, estudou Música em Londres, Amesterdão,[3] Leipzig e Berlim[2] com alguns dos maiores mestres da altura, como Hans Belz, Günther Ramin, Friedrich Högner e Hans Prüfe.[1]

Em 1929 estabelece-se em Barcelona[4] onde, sob influência de Higino Anglés, nasce o seu interesse pelo estudo da Música Antiga e da Musicologia ibérica.[1] [3]

Em 1934 radica-se em Portugal,[5] [4]onde integra a Comissão de Musicologia da Fundação Calouste Gulbenkian, a convite da instituição, e realiza os primeiros trabalhos de catalogação de arquivos musicais em Portugal. Desempenhou funções como professor no Conservatório Nacional de Lisboa[1] e produziu uma vasta obra bibliográfica na temática da Musicologia.[3] Foi professor de Manuel Morais (n. 1943), Joaquim Simões da Hora (1941-1996), Manuel Carlos de Brito (n. 1945), Gerhard Doderer (n. 1944), Cremilde Rosado Fernandes (n. 1940), Rui Vieira Nery (n. 1957), e Constança Capdeville (1937-1992).

Obra (Seleccionada)[editar | editar código-fonte]

  • Música Hispânica: O estilo do Padre Manuel R. Coelho e a interpretação da música hispânica para tecla desde 1450 até 1650, Lisboa: Editorial Ática, 1936.
  • Contribución al estúdio de la música española y portuguesa, Lisboa: Editorial Ática, 1941.
  • Federico Mompou, Madrid: Consejo Superior de Investigaciones Cientificas, 1947.
  • Carlos Seixas, Coimbra: Coimbra Editora, 1947.
  • Antonio und Hernando de Cabezón: Eine Chronik dargestellt am Leben zweier Generationen von Organisten, Tutzing: Hans Schneider, 1977.
  • Três Compositores Lusitanos para Instrumentos de Tecla/Drei Lusitanische Komponisten für Tasteninstrumente: António Carreira, Rodrigues Coelho, Pedro de Araújo, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1979.
  • The Interpretation of 16th- and 17th-Century Iberian Keyboard Music, translated from the Spanish by Bernard Brauchli, Monographs in Musicology N.º 4, Stuyvesant, NY: Pendragon Press, 1987.
  • Antonio y Hernando de Cabezón, Spanish translation and foreword by Antonio Baciero, Burgos: Editorial Dossoles, 2000.

Artigos (Seleccionados)[editar | editar código-fonte]

  • "Tres libros desconocidos com música orgânica en las Bibliotecas de Oporto y Braga", Anuário Musical, vol. I, Barcelona, CSIC, 1946, pp. 143–151.
  • "Los manuscritos musicales n.º 48 y 242 de la Biblioteca General de la Universidad de Coimbra", Anuário Musical, Barcelona, CSIC, Vol. V, 1950, pp. 78-96.
  • “Orígenes y evolución del tiento para instrumentos de tecla”, Anuário Musical, Barcelona, CSIC, Vol. XXVIII, 1973, pp. 11-86.
  • "Interpretación de la música hispana para tecla de los siglos XVI y XVII", Anuario Musical, vol. XXVIII–XXIX, Barcelona, CSIC, 1976, pp. 87–154.

Edições Musicais com Estudo Introdutório (Selecção)[editar | editar código-fonte]

  • Facultad Orgánica, Francisco Correa de Arauxo, Barcelona: Instituto Español de Musicología, CSIC, vol. I e vol. II, 1948 e 1952.
  • Flores de Música de P. Manuel Rodrigues Coelho, Portugaliae Musica, volumes I e II, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1959 e 1961.
  • 80 Sonatas para Tecla, Carlos Seixas, Portugaliae Musica, vol. X. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1965.
  • Antologia de Organistas do Séc. XVI, Portugaliae Musica, Vol. XIX, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, 1969.

Partituras (Selecção)[editar | editar código-fonte]

  • Cravistas Portugueses, Mainz: B. Schott’s Söhne, vol. I e vol. II, 1935 e 1950.
  • P. Manuel Rodrigues Coelho: 5 Tentos, Mainz: Schott’s Söhne, 1936.
  • António de Cabezón: Claviermusik, Mainz: Schott’s Söhne, 1951.
  • Silva Iberica, Mainz: Schott’s Söhne, vol. I e vol. II, 1954 e 1965.
  • P. Manuel Rodrigues Coelho: 4 Susanas, Mainz: Schott’s Söhne, 1955.
  • P. António Soler: 2 x 2 Sonatas, Mainz: Schott’s Söhne, 1956.
  • António de Cabezón: Tientos und Fugen aus den Obras, Mainz: Schott’s Söhne, 1958.
  • Otto Tentos del Cinquecento di Autori Portoghesi e Spagnoli per Strumenti a Tastiera, Milano: Suvini Zerboni, 1970.
  • P. António Soler: 6 Conciertos de dos Órganos Obrigados, 2 vols., Mainz: Schott’s Söhne, 1972.
  • Kompositionen fur Tasteninstrumente: Antonio de Cabezón und Zeitgenossen; Antonio de Cabezón y Contemporáneos: Composiciones para Instrumentos de Tecla, Musikverlag Wilhelm Zimmermann, 1973.
  • Pedro de Araújo: Cinco peças para instrumentos de tecla, Lisboa: Valentim de Carvalho, 1978.

Homenagens[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d e f g h i Rui Vieira Nery. «Santiago Kastner (1908-1992) - Centenário do nascimento». Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 2 de Maio de 2015 
  2. a b c «Espólio de Santiago Kastner doado à BN». Destak/Lusa. 14 de Julho de 2009. Consultado em 3 de Maio de 2015 
  3. a b c d Enrique Franco (16 de Maio de 1992). «Santiago Kastner, musicólogo ibérico» (em espanhol). El País. Consultado em 3 de Maio de 2015 
  4. a b João Céu e Silva (18 de Julho de 2009). «O inglês do cravo seduzido por Lisboa». Diário de Notícias 
  5. «Doação do Espólio do musicólogo Santiago Kastner à BNP». Biblioteca Nacional de Portugal. Consultado em 2 de Maio de 2015 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Alegria, José Augusto (1992), “A Singularidade da Obra do Prof. Kastner no Panorama Musicológico Português”, in Livro de Homenagem a Macario Santiago Kastner, editores: Maria Fernanda Cidrais Rodrigues, Manuel Morais e Rui Vieira Nery, Lisboa, Fundação Calouste Gulbenkian, pp. 17-32.
  • Lopez-Calo, José e Brito, Manuel Carlos (2001), “Kastner, Macario Santiago”, The New Grove Dictionary of Music and Musicians, Segunda Edição, Londres, Macmillan.
  • Nery, Rui Vieira (2010), “Kastner, Macario Santiago”, in Enciclopédia da Música em Portugal no Século XX, Círculo de Leitores e Temas e Debates, volume 2, pp. 671-673.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Música erudita é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.