Mantispidae

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaMantispidae
Fotografia de um Neuroptera Mantispidae da espécie Spaminta minjerribae.
Fotografia de um Neuroptera Mantispidae da espécie Spaminta minjerribae.
Mantispidae da espécie Climaciella brunnea com mimetismo aposemático de vespa.
Mantispidae da espécie Climaciella brunnea com mimetismo aposemático de vespa.
Classificação científica
Reino: Animal
Filo: Arthropoda
Classe: Insecta
Ordem: Neuroptera
Subordem: Hemerobiiformia[1]
Família: Mantispidae
Leach, 1815[2]
Subfamílias
ver texto
Fotografia de Neuroptera Mantispidae da espécie Mantispa styriaca.

Mantispidae (nomeados, em inglês, Mantis flies[3], Mantid lacewings ou Mantidflies) é uma família de insetos da ordem Neuroptera, classificada por William Elford Leach no ano de 1815[2][4], abrangendo cerca de 400 espécies atribuídas a cerca de 44 gêneros com maior representatividade em áreas de clima tropical da Terra[5], alcançando a América do Sul[6], África[7] e região indo-malaia[8] até a Oceania (as espécies conhecidas das regiões neártica e paleártica são em número muito menor do que para outras regiões).[5][9]

Características principais de Neuroptera Mantispidae[editar | editar código-fonte]

Esta família possui espécies de tamanho pequeno a médio[9], com dois pares de asas de venação reticulada e geralmente translúcidas[3][10], com envergaduras entre 2 e 6 centímetros[6]; por vezes com simples padrões de áreas de coloração opaca, marrom ou enegrecida, em espécies que mimetizam vespas (Hymenoptera), como Climaciella brunnea[11] e Euclimacia horstaspoeck, que foi observada na proximidade de vespas que eram surpreendentemente similares na coloração, tamanho do corpo e movimentos.[8] Por apresentarem o seu protórax alongado e patas dianteiras raptoras, adaptadas à predação, são freqüentemente confundidos com louva-a-deuses (Mantodea)[2][6][12], embora não tenham sido filogeneticamente relacionados; sendo predadores de insetos de tamanho adequado, que capturam como os louva-a-deuses o fazem. No entanto, os mecanismos subjacentes para o comportamento de captura de presas são diferentes em Mantispidae e em louva-a-deuses.[13] Muitas vezes eles são noturnos e atraídos por lâmpadas incandescentes ou luzes negras.[14] Seus corpos possuem coloração geral marrom, com algum amarelo ou vermelho, podendo ser verdes, como os Neuroptera Chrysopidae, em espécies como Zeugomantispa minuta.[15] Suas cabeças são triangulares, suas antenas são curtas e, às vezes, engrossadas.[9]

Habitat, hábitos e alimentação das larvas[editar | editar código-fonte]

Enquanto os adultos de Mantispidae passam a maior parte do tempo realizando voos, caçando e se alimentando de pequenos insetos, suas larvas são mais especializadas; dotadas de hipermetamorfose, com formato campodeiforme em seu primeiro ínstar, muito ágeis, e com formato escarabeiforme nos estágios seguintes, com pernas muito reduzidas em tamanho, antenas curtas e cabeças muito pequenas.[6][16] Embora os ciclos de vida da maioria das espécies sejam desconhecidos, os que são conhecidos apresentam larvas que se alimentam de outros insetos e de aranhas. Na subfamília Mantispinae elas se alimentam de aranhas e, principalmente, de seus ovos. Já as poucas criações descritas para a subfamília Symphrasinae estão todas associadas com ninhos de Hymenoptera aculeados; embora a maioria dos detalhes de seus ciclos de vida não sejam claros[12], estando ainda relatados gêneros de Mantispidae em Coleoptera, Lepidoptera e Diptera.[2]

Na subfamília Mantispinae as larvas do primeiro ínstar procuram e penetram diretamente o saco de ovos de uma aranha, ou abordam as aranhas e aguardam a oportunidade de entrar em sacos de seus ovos na medida em que são fiados.[2] As larvas se alimentam dos ovos perfurando a membrana e drenando seu conteúdo, mas também foram observadas se alimentando de aranhas recém-eclodidas. As larvas que estão a bordo de aranhas geralmente são encontradas em volta da cintura, dentro de aberturas do pulmão folhoso ou presas à área membranosa entre a borda da carapaça e a base de suas pernas; sobrevivendo por meses, aparentemente alimentando-se da hemolinfa, podendo ser consideradas verdadeiros ectoparasitas nesta fase de seu ciclo de vida.[12] No terceiro ínstar a larva constrói um casulo pupal dentro do saco de ovos da aranha.[14] Ao eclodir, ela perfura o seu casulo e o saco de ovos, rastejando por um tempo até formar asas.[16]

Classificação de Mantispidae: subfamílias[editar | editar código-fonte]

A família Mantispidae possui quatro subfamílias relatadas nas Américas: Mantispinae, Calomantispinae, Symphrasinae[2] e Drepanicinae[17], possuindo muitas espécies que ainda são incertae sedis em suas nomenclaturas.[8]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Kral, Karl; Devetak, Dušan (2 de junho de 2012). «CHAPTER 14: NEUROPTERA» (PDF) (em inglês). ResearchGate. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  2. a b c d e f «Family Mantispidae - Mantidflies» (em inglês). Bug Guide. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  3. a b Bron (15 de março de 2010). «Mantis fly» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  4. Penny, Norman D. (1982). «Review of the generic level classification of New World Mantispidae (Neuroptera)» (PDF) (em inglês). Acta Amazonica 12(1). (SciELO). 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  5. a b «MANTISPIDAE» (em inglês). Atlas of Living Australia. 29 de setembro de 2011. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  6. a b c d e BORROR, Donald J.; DELONG, Dwight M. (1969). Introdução ao Estudo dos Insetos. São Paulo: Editora Edgard Blücher/Editora da Universidade de São Paulo. p. 186. 654 páginas 
  7. Snyman, Louwtjie P.; Ohl, Michael; Mansell, Mervyn W.; Scholtz, Clarke H. (21 de abril de 2012). «A revision and key to the genera of Afrotropical Mantispidae (Neuropterida, Neuroptera), with the description of a new genus» (em inglês). ZooKeys 184. pp. 67–93. Consultado em 6 de março de 2018 
  8. a b c Ohl, Michael (17 de setembro de 2004). «A new wasp-mimicking species of the genus Euclimacia from Thailand (Neuroptera, Mantispidae)» (PDF) (em inglês). Denisia 13. (Zobodat). pp. 193–196. Consultado em 6 de março de 2018 
  9. a b c «Family Mantispidae - Mantid Lacewings» (em inglês). Brisbane Insects. 2 de junho de 2012. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  10. Deb (18 de dezembro de 2013). «Yellow Mantid Lacewing» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  11. Goodman, Amy (22 de julho de 2014). «Climaciella brunnea» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  12. a b c Hoffman, Kevin M.; Flint, Jr., Oliver S.; Perez-Gelabert, Daniel E. (junho de 2017). «The Mantispidae of the West Indies with special reference to the Dominican Republic (Neuroptera: Mantispidae)» (em inglês). Insecta Mundi 0559 (Florida Online Journals). pp. 1–15. Consultado em 6 de março de 2018 
  13. Kral, Karl (março de 2013). «Vision in the mantispid: a sit-and-wait and stalking predatory insect» (em inglês). Physiological Entomology Volume 38. (Wiley Online Library). 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  14. a b c «Mantispidae» (em inglês). EOL. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  15. Cotinis (12 de setembro de 2010). «Green mantidfly» (em inglês). Flickr. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  16. a b «Life cycle of Mantispidae» (em inglês). Bug Guide. 1 páginas. Consultado em 6 de março de 2018 
  17. Ardila-Camacho, A.; García, A. (26 de março de 2015). «Mantidflies of Colombia (Neuroptera, Mantispidae)» (em inglês). Zootaxa 3937(3). (NCBI). pp. 401–55. Consultado em 6 de março de 2018 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Mantispidae
Ícone de esboço Este artigo sobre insetos, integrado no Projeto Artrópodes é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.