Manuel de Almeida (fadista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde fevereiro de 2016). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Manuel de Almeida
Informação geral
Nome completo Manuel Ferreira de Almeida
Nascimento 27 de abril de 1922
Local de nascimento Lisboa
Morte 03 de dezembro de 1995 (73 anos)
Local de morte Cascais
Nacionalidade português
Género(s) fado
Instrumento(s) Voz
Editora(s) Strauss, Polygram
Prémios Prémio Bordalo (1963) Fado

Manuel de Almeida (Lisboa, 27 de Abril de 1922Cascais, 3 de Dezembro de 1995) foi um fadista de português. Recebeu o Prémio Bordalo (1963) na categoria de "Fado".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Manuel Ferreira de Almeida nasceu, em Lisboa, no dia 27 de Abril de 1922.[1]

Estreou-se profissionalmente em 1951 no "Tipóia". Em 1962 recebe a Festa de Consagração no Pavilhão dos Desportos.

Manuel de Almeida recebeu o Prémio Bordalo (1963), ou Prémio da Imprensa, entregue pela Casa da Imprensa em 1964, na categoria "Fado" que também distinguiu a fadista Fernanda Maria e o letrista Linhares Barbosa[2]

Em Barcelona grava, com Mariana Silva, o seu primeiro LP. Os seus dois primeiros LP são gravados para a editora catalã Belter.

Esteve doze anos na Casa Típica "A Tipóia" e onze no restaurante típico "Lisboa à Noite". Em 1979 é convidado para actuar no "Forte Dom Rodrigo", em Cascais, propriedade de Rodrigo, onde esteve até ao fim da sua vida.

Manuel de Almeida e Rão Kyao actuaram na Coreia do Norte, em 1986, no "Festival da Primavera, da Amizade e da Arte". Em 1987 foi editado o álbum Eu Fadista me Confesso. Produzido por Rão Kyao, este trabalho seria editado em CD em 1992[3].

Em Fevereiro de 1994, por ocasião das suas bodas de ouro, foi homenageado no Teatro São Luiz, em Lisboa. Em 1995, recebeu o Prémio de Interpretação no "Les Blues de l`Europe", em Saint-Severe (França).

Manuel de Almeida morreu em Cascais a 3 de Dezembro de 1995.[1] Em 1997 foi-lhe atribuído pela Casa da Imprensa, a título póstumo, o Troféu-Prémio Carreira.[1]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

  • Fados, com Mariana Silva (1964, LP, Monitor Records)[4] (2001, CD, Washington, D.C.: Smithsonian Folkways)[5]
  • Fados do Coração (1969, CD, Strauss)[6]
  • Eu Fadista me Confesso (1992, CD, Polygram)[3]

Singles[editar | editar código-fonte]

  • "Romance Incompleto" (1972, Single, Madrid : Marfer)[7]

Compilações[editar | editar código-fonte]

Participações em compilações[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c «Personalidades: Manuel de Almeida». Museu do Fado. Março de 2008. Consultado em 21 de fevereiro de 2016 
  2. «Prémios Bordalo». Em 1963 denominado "Prémio da Imprensa". Sindicato dos Jornalistas. 22 de janeiro de 2002. Consultado em 2 de outubro de 2017 
  3. a b «Catálogo - Detalhes do registo de "Eu fadista me confesso"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 21 de fevereiro de 2016 
  4. OCLC 6879149. Consultado em 2 de outubro de 2017
  5. OCLC 51945633. Consultado em 2 de outubro de 2017
  6. «Catálogo - Detalhes do registo de "Fados do coração"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 21 de fevereiro de 2016 
  7. OCLC 740333529. Consultado em 2 de outubro de 2017
  8. «Catálogo - Detalhes do registo de "Manuel de Almeida; O melhor dos melhores; 30"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 21 de fevereiro de 2016 
  9. «Catálogo - Detalhes do registo de "Fado : sempre! Ontem, hoje e amanhã = always! Yesterday, today and tomorrow"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 21 de fevereiro de 2016 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) cantor é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.