Marc Allégret

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Marc Allégret (Basel, 22 de dezembro de 1900 - Paris, 3 de novembro de 1973) foi um cineasta e roteirista francês.

Nascido na Suíça, filho de um pastor protestante missionário, Marc recebeu educação em Direito. Foi amante do escritor André Gide a partit dos quinze anos, quando este já tinha 47. A relação durou mais de dez anos.

Em 1927, após filmar uma viagem ao Congo com Gide, ele decidiu tentar uma carreira na indústria do cinema. Suas relações com Gide terminaram após essa viagem, quando, após ter relações com nativas africanas, ele descobriu que preferia se relacionar com mulheres. Os dois continuaram amigos pelo resto de suas vidas.

Após aprender o ofício como assistente de direção, em 1931, ele dirigiu seu primeiro filme e, no ano seguinte, foi aclamado por seu segundo filme, Fanny. A partir daí, teve uma longa carreira na cinematografia francesa. Escreveu roteiros e dirigiu mais de cinquenta filmes.

Allégret é reconhecido por ter descoberto ou desenvolvido novos talentos, como Michèle Morgan, Jean-Paul Belmondo, Gérard Phillipe, Louis Jordan e Roger Vadim, que foi seu assistente de direção nos anos 1950, antes de fazer carreira própria.

Marc Allégret morreu em 1973 e seu corpo foi sepultado no Cimetière des Gonards, em Versailles, França.


Ícone de esboço Este artigo sobre cineastas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.