Mariner 5

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Mariner 5
O lançamento da Mariner 5
Operador(es) Estados UnidosNASA
Propriedades
Massa 244,9 kg
Contratante(s) Jet Propulsion Laboratory
Data de lançamento 14 de Junho de 1967 às 06:01:00 UTC
Veículo de lançamento Atlas-Agena D
Planet - The Noun Project.svg Portal Astronomia


A Mariner 5 (Mariner Venus 1967) foi uma nave espacial norte-americana que fez parte do Programa Mariner que transportou experimentos complementares para estudos da atmosfera de Vênus.

A Mariner 5 foi originalmente construída como uma cópia de segurança para a Mariner 4, mas depois do sucesso daquela, foi modificada para a "missão Venus", removendo a camera de televisão, invertendo e reduzindo os quatro painéis solares, e adicionando isolamento térmico extra.[1]

A decolagem ocorreu em 14 de junho de 1967 do Complexo de Lançamento 12 da Estação da Força Aérea de Cabo Canaveral no veículo Atlas 5401. O desempenho do reforço foi normal durante a parte Atlas do lançamento e a primeira queima do Agena, com todos os sistemas operando no nível adequado. Durante a segunda queima do Agena, flutuações anormais na pressão da câmara do motor ocorreram, no entanto, elas não impediram a injeção interplanetária bem-sucedida. Houve várias ocorrências desse comportamento em lançamentos anteriores da NASA e da Força Aérea e um programa foi iniciado para corrigi-lo, o que levou a um redesenho da caixa de engrenagens do turbo Agena. A Mariner 5 voou por Vênus em 19 de outubro daquele ano a uma altitude de 3 990 quilômetros (2 480 milhas). Com instrumentos mais sensíveis do que seu predecessor Mariner 2, A Mariner 5 foi capaz de lançar uma nova luz sobre o planeta quente coberto por nuvens e sobre as condições no espaço interplanetário.[1]

Dados de rádio ocultação do Mariner 5 ajudaram a entender os dados de temperatura e pressão retornados pelo módulo de pouso Venera 4, que chegou a Vênus pouco antes dele. Os dados do Venera 4 e do Mariner 5 foram subsequentemente analisados ​​em conjunto por um grupo de trabalho soviético-estadunidense do COSPAR em 1969,[2][3] uma organização de cooperação espacial inicial.[4] Com os dados dessas missões, ficou claro que Vênus tinha uma superfície muito quente e uma atmosfera ainda mais densa do que o esperado.[1]

As operações da Mariner 5 terminaram em Novembro de 1967 e a sonda foi deixada em uma órbita heliocêntrica.[1]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. a b c d «Quick Facts: Mariner 5». Laboratory for Atmospheric and Space Physics. Consultado em 9 de julho de 2019 
  2. Carl Sagan (setembro de 1969). «The COSPAR Meetings in Prague». Icarus. 11 (2): 268-272. doi:10.1016/0019-1035(69)90052-9 
  3. «Report on the Activities of the COSPAR Working Group VII». Preliminary Report, COSPAR Twelfth Plenary Meeting and Tenth International Space Science Symposium. Prague, Czechoslovakia: National Academy of Sciences. 11 de maio de 1969. p. 94 
  4. Sagdeev, Roald; Eisenhower, Susan (28 de maio de 2008). «United States-Soviet Space Cooperation during the Cold War». Consultado em 19 de julho de 2009 
Ícone de esboço Este artigo sobre astronomia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.