Mariss Jansons

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde julho de 2009). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde julho de 2009).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Mariss Jansons em 2008.

Mariss Jansons (Riga, 14 de janeiro de 1943) é um maestro letão.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Mariss Jansons é filho do maestro Arvid Jansons e da cantora Iraida Jansons, que era judia.

Quando criança ele começou estudando violino com seu pai. Em 1946 seu pai ganhou o segundo prêmio em uma competição nacional, e foi escolhido por Yevgeny Mravinsky para ser seu assistente na Filarmônica de Leninegrado. Quando sua família se juntou a ele em 1956, o jovem Jansons entrou no Conservatório de São Petesburgo, onde estudou piano e condução, embora seu pai o tenha convidado a continuar o estudo de violino com ele. Em 1969 continuou sua formação, mas agora em Viena com, Hans Swarowsky e em Salzburgo com Herbert von Karajan. Karajan convidou Jansons para ser seu assistente na Filarmônica de Berlim.

Em 1973 Jansons foi nomeado maestro associado da Orquestra Filarmônica de Leninegrado (atual Orquestra Filarmônica de São Petesburgo). Em 1979 foi nomeado diretor musical da Orquestra Filarmônica de Oslo, com a qual fez muitas turnês. Jansons se demitiu de seu cargo em Oslo.

Em 1992 ele foi nomeado maestro convidado da Orquestra Filarmônica de Londres. Também trabalhou e gravou com a Orquestra Sinfônica de Londres, gravou a Sinfonia Nº6 de Mahler. Em 1997, Jansons tornou-se diretor musical da Orquestra Sinfônica de Pittsburgh, seu contrato inicial foi de três anos, mas seu contrato foi estendido, deixando seu posto apenas em 2004.

Em abril de 1996 em Oslo, Jansons quase morreu durante a realização de La Bohème, após sofrer um ataque do coração. Ele se recuperou na Suíça. Seu pai morreu em 1984, durante um concerto devido a um ataque do coração.

No início da temporada 2003-2004, Jansons iniciou seu mandato como condutor chefe da Orquestra Sinfônica da Rádio Bávara, para um contrato inicial de três anos. Seu contrato com a orquestra é de dez semanas por temporada. Em setembro de 2006 seu contrato com a orquestra foi prorrogado até o início de agosto de 2009, entretanto, foi novamente prorrogado até agosto de 2012.

Em outubro de 2002 foi nomeado o sexto maestro chefe a Orquestra Real do Concertgebouw de Amsterdã, tendo um contrato de doze semanas por temporada, Jansons continua sendo o maestro chefe da orquestra. Em 2006, ele conduziu o Concerto de Ano Novo de Viena. Em 2006 ele também foi premiado como o Artista do Ano em Cannes.

Em outubro de 2007, Jansons, que é luterano, conduziu a Nona Sinfonia de Beethoven com a Orquestra daRádio Bávara para o Papa Bento XVI e outros 7000 ouvintes no Auditório Paulo VI. O concerto foi televisionado e transmitido em muitos países do mundo.

Jansons foi casado duas vezes. Ele e sua primeira esposa, Ira, tiveram uma filha, Ilona, mas o seu casamento com ela terminou durante seu mandato em Oslo. Jansons e sua segunda esposa, Irina, uma ex-terapeuta têm uma casa em São Petersburgo e nenhum filho.