Mark Simpson

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Mark Simpson
Nome completo Mark Simpson
Nascimento 4 de julho de 1965 (55 anos)
York,  Inglaterra
Nacionalidade britânico
Ocupação Jornalista e escritor britânico

Mark Simpson (York, 4 de julho de 1965) é um jornalista e escritor britânico que se dedica principalmente a assuntos ligados ao género, à sexualidade e à cultura popular. Foi o criador da palavra "metrossexual" e editou a colectânea "Anti-Gay", na qual escritores homo- e bissexuais discutiram as falhas da cultura gay. É autor de Saint Morrissey, uma auto-intitulada "psico-biografia" inovadora do antigo líder da banda Smiths.[1]

Simpson escreveu para várias publicações em todo o mundo, incluindo The Times, The Guardian, Salon, Arena Homme +, GQ Style, Vogues Hommes International, The Independent on Sunday, Têtu, the Seattle Stranger e Dutch Playboy. Em dezembro de 2007, a GQ Rússia o classificou entre as 'Top Ten Things That Changed Men's Lives'.[2]

O termo metrossexual[editar | editar código-fonte]

Mark Simpson é creditado por cunhar o termo metrosexual em um artigo de 1994 para o The Independent.[3][4] Ele também apresentou a palavra aos Estados Unidos em 'Meet the Metrosexual', um ensaio muito citado no Salon.com em 2002, levando à popularidade global do termo.[5] Esta também foi a primeira citação do jogador de futebol britânico David Beckham como o exemplo definitivo do tipo. Simpson foi posteriormente creditado com a introdução do termo 'retrossexual' (no sentido de anti-metrossexual) em 2003.[6]

Descrito como uma das "Idéias do Ano" pelo The New York Times em 2006, Simpson escreveu sobre a questão do esporte e da publicidade cada vez mais usando imagens homoeróticas, em um processo que ele apelidou de "sporno" ("o lugar onde o esporte e a pornografia se encontram e produzir um tiro de dinheiro gigante ").[7][8] Simpson escreveu sobre "sporno" para a revista Out comentando que: "toda uma nova geração de jovens fanfarrões, de jogadores de futebol brilhantes como Alan Smith e Cristiano Ronaldo do Manchester United a perspectivas mais rudes como Joe Cole do Chelsea e Kaká do AC Milan, ansiosos para emular seu sucesso, estão perseguindo ativamente o status de objeto sexual em um mundo pós-metressexual, cada vez mais pornolizado."[9] O jornal London The Times também apresentou sporno em sua lista 'Year in Ideas'.[10]

Livros[editar | editar código-fonte]

Saint Morrissey[editar | editar código-fonte]

Saint Morrissey foi a "psico-bio" de Simpson do ex-líder do Smiths, escrita em um ponto baixo da carreira do cantor e publicada um ano antes do retorno de Morrissey em 2004. O livro suscitou algumas comparações com o estilo do sujeito: "Simpson é engraçado, inteligente, honesto, irreverente e egoísta: o par perfeito para Morrissey. Mais biografias deveriam ser escritas desta forma."[11] (Laurence Phelan, Independent on Sunday Books of the year')[12]

Referências

  1. «Philip Hensher». The Independent. Consultado em 5 de outubro de 2020. Arquivado do original em 4 de janeiro de 2007. Mark Simpson is a skinhead Oscar Wilde, his bon mots are both alarming and amusing, getting up people's noses and inside their trousers with equal aplomb."; quote used to promote Simpson's books "Sex Terror" and "The Queen is Dead 
  2. Simpson, Mark (11 de dezembro de 2007). «Simpson Tops Arnie And Freud in GQ Spread». www.marksimpson.com. Consultado em 5 de outubro de 2020. Arquivado do original em 28 de agosto de 2008 
  3. Simpson, Mark (1994). «Here come the mirror men». The Independent 
  4. Simpson, Mark. «Here come the mirror men». www.marksimpson.com. Consultado em 5 de outubro de 2020. Arquivado do original em 19 de janeiro de 2007 
  5. Simpson, Mark. «Meet the metrosexual». Salon 
  6. McFedries, Paul (6 de outubro de 2004). «retrosexual». Word Spy (em inglês). Consultado em 5 de outubro de 2020 
  7. Haskell, David (10 de dezembro de 2006). «THE 6th ANNUAL YEAR IN IDEAS; Sporno». The New York Times. Consultado em 5 de outubro de 2020 
  8. palu (18 de dezembro de 2006). «Metrosexual man invents Sporno». In The Mix. Consultado em 5 de outubro de 2020. Arquivado do original em 10 de janeiro de 2007 
  9. «Sporno». Revista Out (em inglês). 19 de junho de 2006. Consultado em 5 de outubro de 2020 
  10. «Storno». The Times. Londres. 30 de dezembro de 2006. p. 18 
  11. «Saint Morrissey». www.marksimpson.com. 24 de agosto de 2004. Consultado em 5 de outubro de 2020 
  12. Granger, Ben (2004). «This Alarming Man». Spike Magazine. Consultado em 5 de outubro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]