Marte 3

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido (desde dezembro de 2013). Ajude e colabore com a tradução.
A espaçonave Marte 3 e o aterrissador (visível no topo).

Marte 3 é a designação de uma missão não tripulada, parte do Programa Marte, uma série de espaçonaves com o objetivo de orbitar e pousar em Marte, lançadas pela União Soviética no início da década de 70.

As missões Marte 2 e Marte 3 consistiram de espaçonaves idênticas, cada uma com um veículo orbital e um aterrissador acoplado, elas foram lançadas pelo foguete Proton-K com um Bloco-D no último estágio. O aterrissador da Marte 3 se tornou o primeiro objeto feito pelo homem a efetuar um pouso suave na superfície de Marte.

Características[editar | editar código-fonte]

  • Plataforma: M-71[1]
  • Data e hora do lançamento:
    • 28 de Maio de 1971 as 15:26:30 UTC
  • Massa no lançamento (incluindo combustível):
    • Conjunto: 4.650 kg
    • Orbitador: 3.440 kg
    • Aterrissador: 1.210 kg
  • Massa seca em órbita: 2.265 kg
  • Dimensões:
    • Altura: 4.1 m
    • Largura: 2 m (5,9 m com os painéis solares estendidos)

O orbitador[editar | editar código-fonte]

Os objetivo primários do módulo orbital eram:[2]

  • Estudar a topografia da superfície
  • Analisar a composição do solo
  • Obter dados de várias propriedades da atmosfera
  • Monitorar a radiação solar, os ventos solares e os campos magnéticos marcianos.

Além disso ele servia como um retransmissor de comunicações entre o aterrissador e a Terra.[2]

O módulo orbital sofreu uma perda parcial de combustível e não teve o suficiente para se colocar na órbita de 25 horas planejada. O motor acabou executando uma combustão parcial, o que colocou a espaçonave numa órbita elíptica alta de longo período (12 dias e 19 horas) sobre Marte.

Por uma triste coincidência, uma forte tempestade de poeira afetou negativamente a missão. Incapazes de reprogramar os computadores, tanto a Marte 2 quanto a Marte 3 liberaram seus aterrissadores quase que imediatamente e os orbitadores usaram uma quantidade considerável dos seus recursos de dados obtendo imagens sem muito interesse das nuvens de poeira ao invés da superfície como estava planejado.[3]

O orbitador da missão Marte 3 enviou dados cobrindo o período de dezembro de 1971 a março de 1972, apesar das transmissões continuarem até agosto. Em 22 de agosto de 1972, foi anunciado que a Marte 3 completou sua missão depois de 20 órbitas. A Marte 3 e a Marte 2 em conjunto enviaram um total de 60 imagens. Essa imagens e os dados obtidos, revelaram montanhas de até 22 km, átomos de hidrogênio e oxigênio na atmosfera superior, temperaturas na superfície entre -110 °C e +13 °C, pressão na superfície entre 5.5 e 6 mbar (0.55 a 0.6 kPa), concentração de vapor d'água 5.000 vezes menor que a atmosfera da Terra, a base da ionosfera entre 80 e 110 km de altitude, e grãos de poeira oriundos das tempestades a 7 km de altitude. As imagens e os dados permitiram a criação de mapas do relevo da superfície,[4] e forneceram informações sobre a gravidade marciana e seus campos magnéticos.

O aterrissador[editar | editar código-fonte]

O módulo aterrissador da missão Marte 3 foi liberado em 2 de dezembro de 1971 as 09:14 UTC, 4 horas e 35 minutos antes de chegar a Marte. O módulo aterrissador, entrou na atmosfera de Marte a cerca de 5,7 km/s.

Através de um sistema de frenagem aerodinâmico, paraquedas e retrofoguetes, o aterrissador conseguiu um pouso suave na localização: 45°S 202°L[5] e iniciou a sua operação normal.

Depois de 14,5 segundos, as 13:52:25, as transmissões foram interrompidas em ambos os canais de dados por razões desconhecidas e nenhum outro sinal foi recebido. Não se sabe se o problema ocorreu no módulo de aterrissagem ou no sistema repedidor do módulo orbital. A provável causa foi a forte tempestade de poeira que estava ocorrendo na superfície naquele período, o que pode ter causado uma descarga de corona, causando danos ao sistema de comunicação. A tempestade também explica a baixa qualidade das imagens por deficiência de iluminação.[4]

Uma imagem parcial (de 70 linhas) foi transmitida. Apesar desta imagem aparentar exibir o horizonte e um céu escuro, ela foi obtida com uma câmera do tipo "ciclorama". Isso significa que para visualizar a imagem ela precisa ser rotacionada 90 graus no sentido horário. Segundo a academia de ciências soviética não havia nenhum conteúdo identificável naquela imagem.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. AMC Series M-71 online NPO. Lavochkin
  2. a b «"Mars 3". Nasa, NSSDC/COSPAR ID: 1971-049A.». NASA. Consultado em 15 de dezembro de 2013 
  3. Pyle, Rod (2012). Destination Mars. [S.l.]: Prometheus Books. pp. 73–78. ISBN 978-1-61614-589-7 
  4. a b c Perminov, V.G. (julho de 1999). The Difficult Road to Mars - A Brief History of Mars Exploration in the Soviet Union (PDF). [S.l.]: NASA Headquarters History Division. pp. 34–60. ISBN 0-16-058859-6. Consultado em 15 de dezembro de 2013 
  5. Webster, Guy (11 de abril de 2013). «NASA Mars Orbiter Images May Show 1971 Soviet Lander». NASA. Consultado em 15 de dezembro de 2013 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Marte 3